#BrasileirãoFreak – 17/04

Chegou a hora! A bola rolou e o primeiro #BrasileirãoFreak de 2018 está no ar. Nesta primeira do ano, o papo é mais simples. É praticamente uma recapitulação do que fazemos e tal. Não temos tantos números para falarmos, então…

* A coluna nasceu de informações numéricas jogadas sob a hashtag usada nos primórdios do twitter. Era uma brincadeira e virou algo aparentemente sério.

* As séries sob análise são apenas A e B. Por quê? Porque são em formato de liga, sem múltiplas fases e possuem calendário praticamente sincronizado.

* O dia de publicação é terça-feira, pois a rodada da A acaba na segunda. Curiosamente, é dia de início ou rodada completa da B.

* A tal da Média Inglesa: compararemos os times da ponta com este número, 76 pontos em ambas as séries, e com o aproveitamento relativo, que é de 66,7%. Este número costuma indicar o quão perto um time está de conquistar o título. Em campeonatos disputados, costuma ficar abaixo e em campeonatos sem equilíbrio, ficam acima, mas geralmente ronda a faixa. Por exemplo, o Corinthians foi campeão da A com 72 pontos e o América-MG da B com 73, ligeiramente abaixo da Média Inglesa.

* O G-4 de ambas as séries foi projetado com 63 pontos. Grêmio fez 62 na A e o Paraná fez 64 na B no ano passado, mostrando que nosso cálculo tem fundamento.

* A Série A tem, com regulamento recente da Libertadores, um G-6. Ano passado, esperava um G6 com 58 pontos. Veio com 56 pontos para o Flamengo. Como o Grêmio, campeão da Libertadores, e o Cruzeiro, campeão da Copa do Brasil estão entre os seis, o G6 virou G8, entrando na Libertadores a Chapecoense com 54 pontos. Logo, a margem será mantida.

* O Z-4, vulgo zona da degola, tem como referência os 45 pontos. Na A do ano passado, o Sport fez 45 e foi o 15.º, e o Vitória se salvou no saldo de gols com 43 pontos. Na B do ano passado, CRB e Goiás se salvaram com esta pontuação e o Guarani se salvou com 44, mas com mais vitórias que a Luverdense, que também marcou 44. Logo, manteremos a referência, pois está no desvio padrão.

* Rolará análise da sequência recente. Infelizmente e bizarramente, os sites com tabela pioraram com os anos em alguns aspectos, como gráfico de desempenho durante a competição inteira. É este o motivo de termos deixado de analisar apogeu (melhor classificação) e perigeu (pior posição) das equipes na competição.

* Artilheiros também serão comparados pelos gols totais com outras edições.

* No segundo turno, teremos a Régua dos Pontos, com o alcance de pontuação da equipe. O dispositivo ajudará a mostrar quem não alcança mais quem e as situações definitivas além da projeção de pontos.

* Qualquer dado curioso poderá entrar na coluna. Inclusive colaborações dos internautas com a hashtag da coluna, o que explicaremos abaixo. São poucas as contribuições, é verdade, mas a gente é teimoso e continua pedindo. São as Freakadas Alheias.

Freakadas Alheias

Use a tag #BrasileirãoFreak no Twitter e corra o risco de aparecer aqui. Entre este Brasileirão e o passado, ninguém teve a coragem de fazer isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: