Fortaleza vence Bangu e volta à Série A um ano depois da queda

Tiquinho (10, lá atrás do gol, levantando a camisa) comemora o gol do acesso do Fortaleza

Foi por um Tiquinho: assim se define o acesso do Fortaleza à Série A da Suburbana. Foi do camisa 10 o gol da vitória sobre o Bangu, na tarde de sábado (23), no Ozório Claudino de Barros, que garantiu a subida e a vaga da final. Um ano após a queda para a Série B, o Fortaleza está de volta à elite e agora tentará o título contra o Tanguá, uma das surpresas positivas da competição, este chegando à Série A pela primeira vez no Século XXI. Já o Bangu, depois do rebaixamento em 2015, bate na trave pela quarta vez na tentativa de retornar.

“Jogo bom dos dois lados, jogo pegado, saberia que seria assim. Fortaleza jogou melhor e fez para conseguir a vitória”, disse Castelli, meia-atacante do Bangu. “Em 2017, a gente conseguiu acesso, ano passado deu um monte de coisa errado e caímos. Este ano, botamos na cabeça que nada de fora do campo iria nos atrapalhar e nos focamos para conseguir o acesso”, afirmou o meia Roberto, um dos destaques do Fortaleza. O Forta decide em casa.

O Fortaleza volta a campo no próximo sábado (30) contra o Tanguá no Francisco Thiago da Costa, em Almirante Tamandaré. A bola rola às 15h30 pela decisão da Série B da Suburbana.

O jogo

Com uma punição de perda de mando de jogo que não conseguiu reverter a tempo, o Fortaleza viu-se jogando no Ozório Claudino de Barros. A ida, duas semanas atrás, havia terminado empatada por 0 a 0. O jogo começou bastante truncado, com o Fortaleza assustando em faltas e o Bangu tendo uma ótima chance com Felipe defendendo chute de Adriano Gloneke.

Com apenas 28 minutos de jogo, Coutinho sentiu lesão e teve de deixar o campo, entrando Castelli, o que mudou as características do time visitante.

O Bangu tentava chegar com troca de passes entre seus meias, enquanto que o Fortaleza tinha força pelo lado direito com Piwi e Abacaxi (tente não ficar com o clássico do Trem da Alegria na cabeça) e Roberto, definitivamente adaptado à função de segundo volante, era o responsável por quebrar linhas. Tiquinho tentava sempre cortar para o pé bom e arrematar da média distância.

Na segunda etapa, o Fortaleza passou a ostensivamente marcar a saída de bola do Bangu, tentando forçar a equipe visitante ao erro. E foi assim que, aos 18 minutos, após roubar uma bola no campo de ataque por pressionar, que o Fortaleza fez o gol da vitória. A bola sobrou para Tiquinho, que bateu rasteiro e viu o goleiro Ricardo ser traído pela bola molhada, passando por baixo do corpo. Momento de explosão da torcida do Fortaleza, em grande número no Corredor.

Atrás no marcador, o Bangu reclamou pênalti sobre Betinho, em choque com zagueiro Gian. Porém, a equipe rubro-negra teve dificuldade para penetrar na bem montada defesa do Forta, que garantiu a vaga na A no apito final.

Nos juvenis, Desportivo reverte vantagem e elimina Bangu

Pedrinho comemora o terceiro gol do Desportivo Paranaense: um dos caçulas da Suburbana chega à primeira decisão

Na preliminar de juvenis, após perder a ida por 1 a 0, o Desportivo Paranaense superou o Bangu por 3 a 1 e chegará à sua primeira final com equipe própria na história. Entenda-se: o Desportivo Paranaense já cedeu equipes de base para outros clubes e desde o ano passado tem uma equipe própria na Suburbana. Pedrinho foi o destaque da partida com dois gols, enquanto que Felipe também marcou para o Despor e Renan fez o gol do Bangu. O Desportivo Paranaense enfrenta na decisão o Combate Barreirinha. A ida é no Francisco Thiago da Costa, no próximo sábado (30), às 13h30, na preliminar de Tanguá x Fortaleza.

O Desportivo Paranaense saiu na frente com Pedrinho, o que levaria a decisão para os pênaltis, aos 37 minutos da etapa inicial. A equipe mandante ampliou aos 6 minutos do segundo tempo com Felipe. Porém, Felipe foi expulso aos 24 minutos da etapa final por falta dura. Justamente no lance da falta que Renan diminuiu para o Bangu.

Mesmo com um a menos, o Desportivo Paranaense matou o jogo com Pedrinho, aos 28 minutos, finalizando jogada em velocidade. O Bangu ainda teve Renan expulso por reclamação aos 38 minutos. A partida marcou a despedida do técnico Cristiano Bassoli, que é também presidente do Urano. Ele irá ser auxiliar técnico de Fernando Tonet, ex-treinador da base do Paraná Clube, no Altos, equipe profissional que disputará o Campeonato Piauiense, a Copa do Brasil e a Série D do Brasileirão na temporada 2020.

Ficha Técnica:

Fortaleza 1 x 0 Bangu

Fortaleza: Felipe; Abacaxi, Gian, Leandro e Willian Neguinho; Baresi, Roberto, Michael (Emerson) e Tiquinho (Marcão); Piwi e Cafu. Técnico: Vilmar Assunção.

Bangu: Ricardo; Léo (Betinho), Paulo César, Merci e Dedé; Diego, Valdir, Hantson e Joãozinho; Coutinho (Castelli) e Adriano Gloneke (Marcos Paulo). Técnico: Jeferson Silveira.

Arbitragem: Cristian Eduardo Gorski da Luz, Weber Felipe Silva, Tom Gomes Rocha.

Gol: Tiquinho (FOR, aos 18’/2.º)

Cartões Amarelos: Abacaxi (FOR); Diego, Merci, Valdir (BAN).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: