Guia da 2.ª Rodada do Campeonato Paranaense

pr2015

Após uma primeira rodada, que você confere aqui como foi, o Futebol Metrópole aquece as turbinas, sem tempo de descansar, para a segunda rodada do Paranaense 2015. Rodada que tem um clássico regional lá no Norte e um duelo que se repete pela primeira vez após confusão homérica há sete anos.

CoutoPereira

Quarta, 4 de fevereiro – 19h30 – (4.º) Coritiba x Maringá Fc (5.º) – Major Antônio Couto Pereira, Curitiba

Televisionamento: Premiere

Arbitragem: Rafael Traci, Rafael Trombeta e João Fábio Machado Brischiliari.

Da última vez: Após perder fora de casa por 2 a 1 na ida da semifinal do Paranaense 2014, o Coritiba precisaria de fazer um gol de vantagem no Couto Pereira para levar para os pênaltis, em jogo realizado no dia 30 de março. Porém, o Maringá saiu na frente com o atacante Cristiano já aos 14 do segundo tempo. Luccas Claro empatou para o Coxa aos 23, mas não foi suficiente para se classificar à final. Coritiba 1 x 1 Maringá.

Desta vez: O Coritiba, reconstruído, venceu a primeira fora e agora estreia em casa. O Maringá jogará para recuperar dois pontos perdidos em casa após empate com o Operário.

EstádiodoCafé

Quarta, 4 de fevereiro – 20 horas – (1.º) Londrina x Nacional (9.º) – Jacy Scaff (Estádio do Café), Londrina

Televisionamento: nenhum

Arbitragem: Ronaldo Parpinelli, Maurício José Braga e João Vagner Cavalari.

Da última vez: O último duelo do Clássico Pai e Filho (o Nacional inspirou a fundação do Londrina) teve vitória do Filho, o Londrina, em Rolândia. O jogo foi no dia 17 de março de 2013 pela 3.ª Rodada do Paranaense daquele ano. Os gols do Tubarão foram marcados por dois jogadores que estão atualmente no clube: Celsinho, aos 30 minutos do primeiro tempo, e Wéverton, aos 40. Nacional 0 x 2 Londrina.

Desta vez: O Londrina, que manteve a espinha dorsal das últimas temporadas, estreou com uma vitória expressiva sobre o Foz, enquanto que o Nacional deu algum trabalho para o Coritiba, apesar da derrota. Promessa de um clássico interessante.

NewtonAgibert

Quarta, 4 de fevereiro – 20 horas – (10.º) Prudentópolis x J. Malucelli (3.º) – Newton Agibert, Prudentópolis

Televisionamento: nenhum

Arbitragem: Everaldo Modesto, Adolfo Pereira Borges e Flávio Augusto Alves.

Da última vez: O último duelo entre as equipes foi na 8.ª Rodada do Paranaense 2014, no dia 23 de fevereiro no próprio Newton Agibert. O Jotinha saiu na frente com o polivalente Diego Dedoné aos 10 minutos de jogo. Porém, o Tigre das Cachoeiras virou a fatura nos minutos finais com Cabixi aos 33 minutos e Wellington aos 46 da etapa final. Prudentópolis 2 x 1 J. Malucelli.

Desta vez: O Prudentópolis faz seu primeiro jogo em casa após a derrota na estreia para o Paraná. De cara, outra pedreira, o J. Malucelli, que precisou de poucos minutos para resolver a parada contra o Rio Branco em casa.

Ecoestadio

Quarta, 4 de fevereiro – 20 horas – (5.º) Operário x Foz do Iguaçu (12.º) – Ecoestádio Janguito Malucelli, Curitiba

Televisionamento: nenhum

Arbitragem: José Mendonça da Silva Jr., Fabrício da Silva Martins e Eduardo Luis Teixeira Furiatti.

Da última vez: O último duelo entre as duas equipes foi extremamente tumultuado. Foi pela Divisão de Acesso de 2008, no dia 29 de junho daquele ano, no Germano Krüger, lotado. O Fantasma precisava empatar para finalmente voltar à elite estadual após anos batendo na trave. A partida estava em 1 a 1 quando, aos 41 do segundo tempo, o árbitro Edivaldo Elias da Silva marcou um pênalti para o Foz, gerando empurra-empurra e pancadaria, com direito à Polícia Militar em campo. Orientados pelo técnico Rodrigo Cascca, os jogadores do Operário se retiraram para o vestiário. A equipe princesina se recusou a retornar, alegando falta de segurança, e a partida foi encerrada, dando o acesso ao Foz do Iguaçu após os tribunais concederem vitória de 3 a 0 para o time da fronteira por abandono de campo do adversário. O Operário conquistou o acesso no ano seguinte. Operário 0 x 3 Foz do Iguaçu.

Desta vez: O Operário tem de cumprir punição e por isso joga em Curitiba. A tensão neste jogo é bem menor. O Operário vem de um empate fora de casa e pode se aproveitar do fato do Foz estar dependendo do BID para escalar seu time (teve apenas 12 relacionados contra o Londrina, na estreia).

GigantedoItiberê

Quarta, 4 de fevereiro – 22 horas – (11.º) Rio Branco x Atlético (7.º) – Fernando Charburb Farah (Gigante do Itiberê/Caranguejão), Paranaguá

Televisionamento: Globo-RPC, Band-Tarobá, Premiere

Arbitragem: Lucas Paulo Torezin, Sidmar dos Santos Meurer e Rafael Dias de Melo.

Da última vez: O último duelo entre as equipes foi na 4.ª Rodada do Paranaense 2014, no dia 2 de fevereiro, também em Paranaguá. O Rio Branco saiu na frente aos 17 minutos com gol do zagueiro Ricardo Ehle. Jonathan Fumaça ampliou aos 6 do segundo tempo. O atacante Mosquito descontou para o sub-23 atleticano aos 34 da etapa final. Rio Branco 2 x 1 Atlético.

Desta vez: O Rio Branco faz seu primeiro jogo em casa após derrota na estreia, contando com uma mescla de experiência e juventude. O sub-23 do Atlético é só juventude e tenta também a primeira vitória após empate também fora de casa na estreia.

VilaCapanema

Quinta, 5 de fevereiro – 19h30 – (2.º) Paraná x FC Cascavel (7.º) – Durival Britto e Silva (Vila Capanema)

Televisionamento: Premiere

Arbitragem: Nilo Neves de Souza Jr., Victor Hugo Imazu dos Santos e Alessandro Rodrigues Mori.

Da última vez: É um duelo inédito, sem as duas equipes terem se enfrentado em competições profissionais adultas.

Desta vez: Fazendo sua segunda partida em casa, o Paraná, que aos poucos ganha seus reforços no BID, tenta acumular gordura para o clássico e para depois fazer um périplo pelo interior. Depois de empatar em casa na estreia contra o Atlético, o FC Cascavel tenta surpreender outro time da capital e conquistar a primeira vitória do clube na história da elite paranaense, em que é o único estreante nesta temporada.

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: