Iguaçu conquista título inédito no Sul-Brasileiro

Título inédito foi conquistado em casa após dois empates e uma vitória

O bom futebol do Iguaçu apareceu apenas na última partida, mas foi suficiente para o Galo da Colônia erguer em seu ano do Centenário o inédito título do Sul-Brasileiro de Futebol Amador. A conquista iguaçuana quebra um tabu de oito anos sem título de equipe paranaense no certame, o último foi o Internacional de Campo Largo em 2011. Em Curitiba, o tabu era maior ainda, sendo a última conquista a do arquirrival Trieste em 2007. A competição foi disputada nesta sexta-feira (15), sábado (16) e domingo (17) com cinco partidas no Egydio Ricardo Pietrobelli e uma no Octávio Silvio Nicco, todos em Curitiba.

O Iguaçu fechou a competição com cinco pontos conquistados em três jogos, dois empates e uma vitória e saldo de gol +4. Mesma pontuação do vice-campeão, o Grêmio Esportivo Metropolitano de Nova Veneza, cidade vizinha a Criciúma, representante catarinense, que terminou com saldo de gols +1. Mesmo saldo do terceiro colocado, o Ferroviários de Bragança Paulista, representante paulista, que viu a prata escapar por um cartão vermelho a mais. Representante gaúcho, o Tramandaí fechou na quarta posição sem pontos marcados, mas com o consolo de, mesmo com pouquíssimos jogadores inscritos e sofrendo com o desgaste de uma viagem longa, ter sido o único time a marcar em todos os jogos.

A artilharia ficou dividida entre três atacantes: Eric e Alex Pinhais do Iguaçu e Lucas Selvagem do Tramandaí, todos com três gols. Três foram também os goleiros menos vazados: Filipe do Iguaçu, Fabiano do Metropolitano e Ricardo do Ferroviários, cada um tendo sido vazado uma única vez, curiosamente todas pelo time do Tramandaí.

“Futebol é gostoso e fantástico por causa disso. Fizemos Sul-Brasileiro ano passado o que não era o que a gente queria. Precisávamos dar a volta por cima em nossa casa. Deus nos deu a chance pudermos nos recuperar em casa, sempre respeitando as outras equipes. Conquistamos um título inédito no ano do Centenário. Respeitando as outras equipes, vamos com tudo que queremos também o título da Suburbana”, disse o técnico do Iguaçu Luisinho Netto. O Iguaçu volta a campo no próximo sábado, às 15h30, contra o Santa Quitéria pela volta da semifinal da Suburbana. O Alvinegro pode perder por um gol que se classifica para a decisão.

Na abertura, nada de gols entre Iguaçu e Ferroviários

Iguaçu e Ferroviários fizeram jogo bastante pegado na abertura do certame

Na abertura da competição na sexta-feira (15), Iguaçu e Ferroviários ficaram no 0 a 0. A partida foi marcada por poucas chances de gol e muita disputa entre uma equipe forte fisicamente, o Ferroviários, e o Iguaçu, cujo miolo de meio-campo também é bastante forte.

Centralizando demais o jogo, o Iguaçu trouxe pouco risco ao gol paulista, enquanto que a Locomotiva da Terra da Linguiça mostrou bastante ansiedade na hora de finalizar.

Nos acréscimos, o Metropolitano estreia vencendo o Tramandaí

Aos 47 minutos da etapa final, Fá salvou o Metropolitano de amargar um empate após pênalti perdido

Na segunda partida de sexta, o Metropolitano venceu o Tramandaí por 2 a 1. João Simão e Fá marcaram para o alvirrubro, enquanto que Feijão fez o gol do time Argento-Azul da Serra-Mar.

Com apenas 13 jogadores disponíveis, o Tramandaí começou uma dolorosa jornada de superação sofrendo um gol cedo da qualificada equipe catarinense. João Simão com 15 minutos de jogo colocava o GEM em vantagem. Aos 37 minutos, o meia-atacante Feijão tirou uma bela cobrança de falta da cartola e colocou na gaveta do goleiro, empatando o duelo.

Na segunda etapa, aos 27 minutos o Tramandaí perdeu Guilherme expulso, sobrecarregando uma equipe com jogadores experientes diante de um time mais veloz. Aos 39 minutos, o Metropolitano teve pênalti a favor, mas Wagner bateu sobre o gol tentando buscar o ângulo do goleiro. Bastante displicente na finalização, o Metropolitano veio resolver a partida só aos 47 minutos, quando o aceso ponta-esquerda Foguinho fez bola jogada e encontrou Fá para a conclusão. O Metropolitano terminou a primeira rodada como líder isolado.

Ferroviários vence Tramandaí com gol perto do fim e se junta à ponta

Dênis comemora o gol da vitória do Ferroviários sobre o Tramandaí

Na abertura do segundo dia de competições, o sábado (16), o Ferroviários venceu o Tramandaí por 2 a 1. Popó e Dênis marcaram para a equipe grená, enquanto que Lucas Selvagem fez o gol dos gaúchos. O resultado colocou momentaneamente a Locomotiva na liderança do torneio.

De pênalti, Popó abriu o marcador para o Ferroviários. No começo do segundo tempo, o zagueiro Merece foi expulso, deixando sua equipe com um a menos. Lucas Selvagem aproveitou aos 10 e deixou tudo igual aproveitando um rebote. Porém, Spock foi expulso aos 12 minutos e o Tramandaí, que só tinha um jogador no banco, pois tinha outro suspenso, passou a sentir fisicamente o ritmo dos jogos em dias seguidos.

A defesa gaúcha bem posicionada foi resistindo às estocadas paulistas, mas acabou sendo vencida em um lance polêmico, aos 39 minutos, quando Dênis recebeu em posição duvidosa e venceu Juliano. O zagueiro Alex Xavier, com passagens por Grêmio, Atlético-MG e Náutico, saiu bravo depois da partida: “Fisicamente fez viagem longa, um no banco, prejudicou a gente. Mas a arbitragem, quase no último lance, não marcou nada com o cara voltando do impedimento”, disse.

Novo empate deixa Iguaçu dependendo de outros para ser campeão

Iguaçu sofreu pressão do Metropolitano, mas saiu sem ser vazado

No jogo de fundo do segundo dia, sábado (16), Iguaçu e Metropolitano ficaram no 0 a 0. O Iguaçu sofreu pressão no início da partida e perdeu Marquinho lesionado. Com a entrada de Roney, o time teve bons momentos na etapa inicial, principalmente com Eric pelo alto. O jogo foi bastante nervoso, com muitas provocações e empurrões.

Na segunda etapa, o Metropolitano foi superior e só não chegou à vitória devido à atuação de gala do goleiro Filipe, com diversas defesas importantes, garantindo a igualdade.

O resultado deixou o Iguaçu precisando torcer pelo empate de Ferroviários e Metropolitano, que estavam rigorosamente iguais na ponta, mas separados por um cartão, e precisando vencer o Tramandaí por dois gols ou mais de vantagem para levantar a taça. Para os representantes de São Paulo e Santa Catarina, uma vitória simples valeria a taça. “Tivemos várias chances de matar o jogo hoje, mas o importante é que não perdemos e vamos jogar em busca do título”, disse o atacante Foguinho ao final daquela partida.

Última rodada teve drama e virada na classificação

Magu comemora um dos gols na vitória do Iguaçu sobre o Tramandaí

Na última rodada, na manhã de domingo (17), dois jogos simultâneos. Enquanto Metropolitano e Ferroviários duelavam no Octávio Silvio Nicco, Iguaçu e Tramandaí viviam seus dramas no Egydio Ricardo Pietrobelli.

O Tramandaí começou sem reservas, pois Spock foi expulso na véspera e Alex Xavier levou o segundo amarelo, deixando a equipe com o goleiro reserva Guilherme Borges improvisado de atacante. A equipe estava visivelmente desgastada e com vários dos restantes encarando a partida no sacrifício ou próximo do limite das capacidades físicas. Na véspera, o Iguaçu, time da casa, emprestou equipamentos para auxiliar a recuperação física dos gaúchos após dois jogos duros, ambos com equipe reduzida por expulsões.

O Iguaçu precisava do resultado e tinha como inimigo de seus objetivos o risco de se perder na ansiedade ou de ver tudo desmoronar se a rede balançasse quilômetros dali.

Com 20 minutos de jogo, o Tramandaí perdeu seu goleiro Juliano, com lesão na coxa, impossibilitado de seguir. Assim, Guilherme Borges voltou à posição de origem e os gaúchos ficaram com dez, pois não tinham quem colocar em campo.

Logo aos 23 minutos, uma trama de ataque com belo lançamento de Helton, teve fim no gol de Eric. Com 29 minutos, Guilherme Borges fez pênalti em Eric e Magu cobrou para ampliar. Era o que o Iguaçu precisava. E o jogo lá no Mossunguê seguia empatado sem gols.

Aos 43 minutos, Roney cruzou e Eric cabeceou no meio da defesa para fazer o terceiro, dando a gordura para o Iguaçu pudesse ter segurança de fazer sua parte.

Na etapa final, aos 12 minutos, o Tramandaí, que seguiu tentando o gol no limite de suas forças, conseguiu diminuir com um lance antológico de Lucas Selvagem, uma letra. A missão do Iguaçu estava na régua.

Alex Pinhais foi para o jogo no lugar de Eric e seguiu cumprindo a missão de seu antecessor ao marcar aos 24 e aos 31 minutos, dando o placar de 5 a 1.

Aos 35 minutos, vários jogadores do Tramandaí caíram no gramado extenuados, cheio de dores de jogar maior parte do tempo com um a menos e sem reposição numa manhã de sol escaldante seguida a dois dias de jogos intensos. Não dava mais para continuar. “Pedimos desculpas por não conseguirmos jogar até o fim, pois somos humanos e chegamos ao nosso limite. Agradecemos aqui à organização por nos terem tratado de maneira excelente”, disse Michel, lateral do Tramandaí com passagem por clubes como Grêmio, Cruzeiro e futebol sul-coreano.

Aí começou a espera do Iguaçu. No segundo tempo, o jogo no Mossunguê entre Ferroviários e Metropolitano seguiu 0 a 0, mas virou um rosário de chances de gols alternadas. Foram no mínimo os 13 minutos mais longos da história recente do centenário Iguaçu, mas o apito final quilômetros dali virou explosão pelo título que parecia improvável na véspera, mas que veio. “Fizemos a nossa parte, esperamos. Quem faz o justo, colhe o resultado, agora é curtir o resultado”, disse Eric, um dos artilheiros da competição.

Confira imagens do Sul-Brasileiro:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: