Uberlândia vira sobre Nacional e segue brigando; Imperial para no Trindade, mas rodada ajuda

À esquerda, o Santíssima Trindade mostrou evolução ao bater o Imperial; À direita, o Uberlândia precisou suar muito para virar o jogo sobre o Nacional

Na rodada dupla deste sábado (17) pela Copa de Futebol Amador da Capital no Manoel Gustavo Schier, o Santíssima Trindade mostrou que poderia almejar mais se a reação na competição fosse menos tardia ao bater o então líder por pontos perdidos Imperial por 4 a 2. Como a rodada ajudou, o time do Mossunguê segue na briga, agora com um Uberlândia fortalecido ao vencer de virada e com muito suor o Nacional por 2 a 1.

O Capão Raso, mesmo batido pelo Bangu por 1 a 0, segue líder por pontos ganhos, 17, podendo ter o TJD pela frente por escalação irregular, e jogando apenas uma partida mais podendo alcançar apenas 20. O Nova Orleans, que folgou na rodada, comemorou ao seguir na vice-liderança com 16 pontos, mesmo número do Bangu, que tem saldo de gols menor. O Imperial estacionou nos 15 pontos, caiu para a quarta posição e agora tem a companhia do Uberlândia, que tem uma vitória  a menos. O Palmeirinha é o sexto com 14 pontos e o Grêmio Ipiranga subiu para 13 pontos na tabela. Todos os sete primeiros seguem com chance de título, o que dá a promessa de muita emoção nas duas rodadas que restam. O Santíssima Trindade foi a 12 pontos, mas só alcança 15, pois ainda não folgou. Seguem Nacional com sete pontos, União Ahu com quatro e Shabureya ainda zerado.

Os quatro times que estiveram em campo nos jogos que acompanhamos voltam a campo no próximo sábado (24), todos em jogos de fundo, às 15h30. O Imperial pega o Palmeirinha em duelo direto no Elba de Pádua Lima. Santíssima Trindade e Nacional se enfrentam no Parque Linear, na despedida do Trindade da competição. E o Uberlândia será recebido pelo União Ahu no Ricardo Halick.

Em alta, Santíssima Trindade para Imperial

Já sem chances de título, o Santíssima Trindade confirmou a boa reta final ao bater o Imperial, então líder por pontos perdidos, por 4 a 2, embolando mais ainda a competição. O destaque ficou para o bom aproveitamento na bola parada na etapa final do time do Cajuru.

O Santíssima Trindade começou o jogo sufocando a saída de bola do time do Imperial, afetando a produtividade do meio-campo adversário. Quando a defesa intensa não funcionava, o ataque do Imperial parava na falta de pontaria ou no bom goleiro Paulo.

O Trindade saiu na frente aos 35 minutos da etapa inicial, após boa trama concluída por Raí.

Na segunda etapa, o lateral-esquerdo Adson, do Imperial, foi expulso por segunda advertência, deixando o Santíssima Trindade com mais espaço. Aos 14 minutos, Giovani converteu cobrança de pênalti e aumentou a vantagem.

Aos 34 minutos, o jogo parou ao ficar sem bolas. Todas as quatro disponibilizadas haviam caído fora do estádio, demorando cerca de cinco minutos para que uma retornasse. Foi após a parada, aos 41 minutos, que Matheus finalizou bem do lado esquerdo para diminuir para o Imperial.

No entanto, aos 43, o Santíssima Trindade voltou a ter dois gols de vantagem em cobrança de falta esquinada de Tupã, no lado esquerdo, surpreendendo o goleiro Jardam, que substituiu o lesionado Júlio.

O Santíssima Trindade aumentou aos 45 minutos, com uma pancada de Lelo em cobrança de falta. A bola chegou a tocar a trave antes de entrar na gaveta.

Com a longa paralisação anterior deu tempo de Rodrigo Pelezinho chutar da entrada da área para diminuir para o Imperial. O relógio marcava impressionantes 52 minutos de jogo.

“A gente precisava da vitória e ela não veio. Trabalhar essa semana para nos recuperar e tentar o título”, disse Pelezinho após o jogo.

“Últimos quatro jogos vencemos três, o time vem numa crescente. Professor Oscar dando confiança para quem tá chegando. Conseguimos botar bola no chão. Pena que acordamos tarde na competição, mas tem sido um ótimo pré-treino para a Suburbana que está vindo”, analisou Tupã.

Uberlândia vira sobre Nacional em cima da hora e mantém-se vivo

Pela segunda rodada seguida, o Uberlândia sofreu um gol cedo e teve de correr atrás da reversão. Desta vez, diferentemente da semana passada, a equipe conseguiu seu objetivo e bateu o Nacional por 2 a 1, mantendo-se vivo na briga pelo título.

O Nacional conseguiu marcar em seu primeiro ataque, aos 7 minutos, com Nycollas recebendo lançamento de Fernandinho e deslocando Giraia.

O gol fez o time do Uberlândia partir para cima e esbarrar numa defesa bem montada do Nacional, que defendia em números e levava perigo ao ataque, como no lance em que Giraia fez um grande defesa em outra estocada de Nycollas.

A equipe da casa seguiu martelando até conseguir um pênalti no apagar das luzes do primeiro tempo. Juliano bateu aos 47 minutos e igualou a partida.

Na segunda etapa, o Uberlândia seguiu tentando a virada, enquanto que o Nacional apostava numa defesa bem postada e uma saída rápida para o ataque. Opção bem clara ao colocar o “experiente” Juninho (se considerar que maioria da equipe ronda os 20 anos), que teve boa chance de desempatar e deu algum trabalho à defesa, apesar de claramente ainda não estar na melhor forma após longo tempo convivendo com lesões.

O Uberlândia passou a apostar na presença física do centroavante Dinda, que começou o jogo do banco. E foi num lance que Dinda puxou a marcação que Luan Santos acertou a trave.

As coisas pareciam que iam piorar para o Uberlândia quando Luanzinho tomou o segundo amarelo foi expulso aos 43 minutos. No entanto, logo depois, aos 44, Paulinho recebeu lançamento em diagonal e entrou para bater e virar a partida.

O lance gerou reclamações do time do Nacional, que pediu impedimento. Do ângulo da reportagem, um pouco melhor que o banco do Nacional e ligeiramente pior que o do assistente Euclides Lucas José Garcia, Paulinho saiu em diagonal em posição legal. Barney acabou levando cartão vermelho por reclamação após o lance.

“Jogo favorável para gente. Segundo tempo deu impedimento que não acontecendo e deu não deu impedimento que teve e eles fizeram o gol e não tivemos como reverter”, reclamou Nycollas do Nacional.

“Partida pegada. Rapaziada do Nacional de parabéns, time novo com muito futuro pela frente. Fui feliz com uma bola que sobrou e fazer o gol da vitória”, disse Paulinho do Uberlândia.

Warfare?

Após ter sido multado por não tocar Hino Nacional (!?) e por presença de imprensa (!?), o Uberlândia foi novamente autuado por não executar o Hino Nacional antes de sua partida. A questão que fica é: nenhuma outra equipe foi denunciada pelo mesmo e tal execução raramente ocorre em jogos no Amador (exceções são finais e um jogo de abertura específico). Ou a FPF passa a cobrar todos ou não cobra mais ninguém. No primeiro caso, poderia até produzir um manual dando padrões para as equipe e sugerindo recursos para que possam fazer o cerimonial, lembrando que fatalmente os jogos atrasariam, pois nem sempre há muito tempo entre as preliminares e os jogos de fundo.

Ficha Técnica das partidas:

Rodada dupla no Estádio Manoel Gustavo Schier, Vila Uberlândia, Novo Mundo, Curitiba

Imperial 2 x 4 Santíssima Trindade

Imperial: Jardam; Matheus, Leonardo, Edson e Adson; Zeti, Japa (Dennis), Giovani (Galo) e Arroz (Caíque); Douglas (Murilo) e Fernandinho (Rodrigo Pelezinho). Técnico: Pastor Serafim.

Santíssima Trindade: Paulo; Bahia, Anderson, Marlon e Folha; Marcão, Jé (Edu), Tupã e Raí (Nícolas); Giovani e Luan (Lelo). Técnico: Oscar Kirsten.

Arbitragem: Régis Eduardo da Silveira, Euclides Lucas José Garcia e Danilo Padilha Porse

Gols: Raí (STR, aos 35’/1.º), Giovani (STR, aos 14’/2.º), Matheus (IMP, aos 41’/2.º), Tupã (STR, aos 43’/2.º), Lelo (STR, aos 45’/2.º), Rodrigo Pelezinho (IMP, aos 52’/2.º)

Cartões Amarelos: Jardam, Matheus, Leonardo, Adson, Giovani, Dennis (IMP); Paulo, Folha, Jé, Raí, Lelo (STR).

Cartão Vermelho: Adson (IMP, aos 13/2.º, dupla advertência).

Uberlândia 2 x 1 Nacional

Uberlândia: Giraia; Luizinho (Baiano), Luan Santos, Alex Paiva e Allan; Nepo, Radamés (Mateus), Mineiro (Paulinho) e Luanzinho; Kiki (Dinda) e Juliano. Técnico: Joãozinho Ribeiro.

Nacional: Ricardo; Cris, Fontelli, Evandro e Gustavo; Barney, Jefferson (Guilherme Santini), Douglas (Vitor) e Fernandinho; Luquinhas (Lucas Menor) e Nycollas (Juninho). Técnico: Alemão.

Arbitragem: Lucas Kirchner Bello, Euclides Lucas José Garcia e Danilo Padilha Porse

Gols: Nycollas (NAC, aos 7’/1.º), Juliano (UBE, aos 47’/1.º), Paulinho (UBE, aos 45’/2.º)

Cartões Amarelos: Allan, Radamés, Luanzinho, Paulinho (UBE); Cris, Gustavo, Barney, Jefferson (NAC).

Cartões Vermelhos: Luanzinho (UBE, aos 43’/2.º, dupla advertência), Barney (NAC, aos 45’/2.º, reclamação).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *