Tag Archives: Palmeirinha

Em virada épica, Palmeirinha bate Vila Sandra e respira fora da ZR

Jogadores do Palmeirinha comemoram o gol de Nico, que deu números finais ao embate após segundo tempo alucinante

Após um primeiro tempo sem tantas emoções, o segundo tempo no último sábado (14) no Ozório Claudino de Barros foi completamente alucinante. Sete gols, virada do Palmeirinha sobre o Vila Sandra por 4 a 3 e os dois times começando a rodada decisiva da Série A da Suburbana fora da zona de rebaixamento. Melhor para o Palmeirinha, que saiu da lanterna e só depende dele para se salvar. Salvação que depende também só do Vila Sandra. Para entender o equilíbrio da competição, ambos ainda têm chance de uma classificação para o mata-mata.

“Mais uma vez saímos com resultados adversos. Faz planejamento, faz gol, toma empate, toma virada, faz gol, toma empate. O campeonato é difícil, mas vamos em busca de nosso objetivo que é ficar na Série A”, disse Zé Ricardo, atacante do Vila Sandra, autor de dois gols. “Demos tudo nesse jogo porque é vida ou morte e nosso time é isso, raça e determinação. Agora vamos para outra batalha contra o Trieste, pois precisamos ganhar”, afirmou o atacante Dolinha, do Palmeirinha, também autor de dois gols.

Os dois times têm 8 pontos, o Palmeirinha é o nono com saldo -9 e duas vitórias, o Vila Sandra é o décimo com saldo – 13 e duas vitórias e o Nova Orleans tem os mesmos 8 pontos e apenas uma vitória, estando na zona de rebaixamento, na 11.ª posição. O Imperial é o lanterna com sete pontos. Estes quatro times e o Uberlândia, oitavo com dez pontos, hoje entre os classificados, brigam tanto contra a degola como pela última vaga no mata-mata, o que é o prenúncio de uma última rodada eletrizante.

Na rodada decisiva, próximo sábado (21), a princípio com juvenis às 13h30 e adultos às 15h30, caso a FPF não ajuste já a tabela ao Horário de Verão, Imperial e Vila Sandra fazem confronto direto no Octávio Silvio Nicco. O Vila Sandra se salva com uma vitória simples. Um empate salva o alvinegro se o Nova Orleans não vencer ou o Palmeirinha for derrotado. O Imperial precisa vencer e torcer por um dos seguintes resultados: que Nova Orleans ou Palmeirinha não vençam, ou que o Uberlândia perca sua partida.

O Palmeirinha enfrenta o líder Trieste no José Carlos de Oliveira Sobrinho. Se vencer, alcança a permanência sem depender de outros resultados. Caso empate, terá de torcer por um dos seguintes resultados: empate no confronto entre Imperial e Vila Sandra; uma não vitória do Nova Orleans e qualquer resultado no Mossunguê. Em caso de derrota, o Verdãozinho do Tatuquara terá de torcer por uma derrota do Nova Orleans e para que o Imperial não vença o Vila Sandra.

Outro time que luta pela permanência, o Nova Orleans, recebe o Vila Fanny no José Drulla Sobrinho. Precisa vencer e torcer para que um desses resultados aconteçam: empate ou derrota de Vila Sandra, Palmeirinha ou Uberlândia. Caso empate, terá de torcer por uma derrota do Palmeirinha.

Com menos chances de queda, mas ainda ameaçado, o Uberlândia pega o Operário Pilarzinho no Bôrtolo Gava. O Papagaio se salva com uma vitória sobre a Coruja. Caso empate, precisa que o Vila Sandra não vença o Imperial e que Nova Orleans ou Palmeirinha também não vençam. Caso perca, um empate entre Imperial e Vila Sandra salva a pele do Uberlândia. No entanto, caso haja um vencedor na partida do Mossunguê, o Uber terá de contar que Nova Orleans e Palmeirinha não vençam seus jogos.

O jogo

O primeiro tempo no Corredor foi bastante truncado. O Vila Sandra esteve mais perto do gol, mas pouco finalizou ou, quando finalizou, não o fez da maneira mais correta.

Se o primeiro tempo foi ruim, o segundo tempo veio para redimir o futebol das equipes com um ritmo alucinante e muitas alternativas.

Tudo começou com um pênalti a favor do Vila Sandra. Aos 10 minutos, Zé Ricardo cobrou com categoria e abriu o placar.

O técnico da equipe alvinegra começava a fazer planos para segurar o marcador quando Alex 21 empatou o marcador aos 11 minutos.

Nem deu tempo para respirar, pois Dolinha virou para o Palmeirinha logo aos 12 minutos, botando mais fogo na partida.

O técnico Aroldo José resolveu abrir o time e colocar aos 16 minutos o ponta Leco no lugar do volante Marcos Paulo. A alteração surtiu efeito em quatro minutos. Aos 20 minutos, Leco ganhou na velocidade da defesa e deu um toque de cabeça para deslocar Anderson e empatar o jogo novamente.

O jogo seguiu disputado com os dois times buscando o gol. E foi novamente Dolinha que colocou o Palmeirinha mais uma vez na frente com uma conclusão aos 33 minutos.

Aos 40 minutos, o Vila Sandra conseguiu um pênalti. Mais uma chance convertida pelo centroavante Zé Ricardo. O 3 a 3, a bem da verdade, era um mau resultado para os dois, pior ainda para o Palmeirinha, que ocupava a lanterna naquele momento com seis pontos e não dependeria mais de si mesmo para se salvar.

No entanto, aos 43 minutos, veio um pênalti para o Palmeirinha e a chance de respirar fora da ZR pela primeira vez desde a 2.ª Rodada e de depender de si próprio para se manter na elite. Nico foi para a cobrança e converteu, superando o goleiro Thyago Moraes e garantindo o 4 a 3.

Nos juvenis, Vila Sandra goleia e segue vivo

Vila Sandra teve relativa facilidade para superar o Palmeirinha nos juvenis

Na preliminar de juvenis, o Vila Sandra goleou o Palmeirinha por 7 a 0 e segue vivo na competição. O Alvinegro tem 11 pontos e é o nono, dois pontos atrás do Capão Raso, o oitavo, o que significa ter chances de classificação. O Palmeirinha segue na lanterna sem ponto algum e apenas cumpre tabela.

O jogo começou sob um temporal e teve de ser parado por um minutos aos 2 minutos da etapa inicial devido à queda de granizo. O evento meteorológico durou cerca de um minuto e meio e a partida foi retomada com a chuva diminuindo e o gramado secando aos poucos.

Aos 14 minutos, Jamaica apareceu pela ponta esquerda e cruzou para Leandro bater de primeira e abrir o placar. Aos 32, Juninho chutou de longe e contou com falha do goleiro para ampliar.

Na segunda etapa, com o gramado melhorando,  o Vila Sandra se impôs mais física e tecnicamente. Aos 2 minutos, Irlan viu o goleiro adiantado e bateu por cobertura. Aos 9 minutos, João completou de cabeça para ampliar. Aos 18 minutos, Vinícius marcou de falta. Aos 33 minutos, foi a vez de Patrick mostrar estrela e finalizar bem.

Perto do fim, aos 39 minutos, um lance curioso. O Vila Sandra teve um pênalti a favor. Vinícius bateu por cima, mas o árbitro Marcelo Rodrigues Masena mandou voltar por invasão da área do time do Palmeirinha. O Vila Sandra trocou o batedor e Leandro converteu, fechando o placar em 7 a 0.

Ficha Técnica

Vila Sandra 3 x 4 Palmeirinha

Vila Sandra: Thyago Moraes; Cleiton, Lela, Vinícius e Gian; Fabrício (Cesinha), Guilherme (Clóvis), Marcos Paulo (Leco) e Nenê (Maia); Zé Ricardo e Adriano. Técnico: Aroldo José.

Palmeirinha: Anderson; Mazinho, Thiagão, Alessandro e Polaco (Rafael); Carlão, Alex 21, Maninho (Erick) e Nico; Dolinha e Gean (Marquinhos). Técnico: Wagner Primo.

Arbitragem: Cristiano Antônio Teixeira, Sandra Maria Dawies, Roberto Rivelino dos Santos Jr.

Gols: Zé Ricardo (UVS, aos 10’/2.º, aos 40’/2.º), Alex 21 (PGG, aos 11’/2.º), Dolinha (PGG, aos 12’/2.º, aos 33’/2.º), Leco (UVS, aos 20’/2.º), Nico (aos 43’/2.º).

Cartões Amarelos: Cleiton, Gian, Nenê (UVS); Mazinho, Nico, Marquinhos (PGG).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Rodada Final – O que cada um precisa

Quando se anunciou que seria um turno único de pontos corridos e só, imaginou-se o risco da Copa de Futebol Amador da Capital ser decidida antes da rodada final. Ledo engano: a última rodada, neste sábado (1.º) às 15h30, chega com quatro jogos com cinco time podendo erguer a taça. Confira o que cada um precisa para chegar ao feito:

1.º Bangu – 19 pts – 6 vitórias – saldo +13 – 24 gols pró

Enfrenta: Nova Orleans no Maurício Fruet

Combinações para o título: O Bangu é o único que depende de si mesmo. Uma vitória simples garante o título. Em caso de empate, terá de torcer para o Uberlândia não vencer o Grêmio Ipiranga (superaria o Uber no número de vitórias no caso de um empate), e também contra vitórias de Palmeirinha e Capão Raso.

2.º Uberlândia – 18 pts – 5 vitórias – saldo +10 – 27 gols pró

Enfrenta: Grêmio Ipiranga no Elba de Pádua Lima

Combinações para o título: Precisa vencer e torcer para o Bangu não vencer o Nova Orleans.

3.º Nova Orleans – 17 pontos – 5 vitórias – saldo +9 – 22 gols pró

Enfrenta: Bangu no Maurício Fruet

Combinações para o título: Precisa vencer o Bangu e torcer contra vitória do Uberlândia. Além disso, terá de torcer por tropeços de Palmeirinha e Capão Raso ou para que eles simplesmente não façam mais saldo ou superem os gols marcados.

4.º Palmeirinha – 17 pontos – 5 vitórias – saldo +8 – 21 gols pró

Enfrenta: Nacional no XV de Agosto

Combinações para o título: Precisa vencer o Nacional, torcer por tropeço do Bangu e do Uberlândia e para que o Capão Raso não o supere em saldo e gols marcados, caso este também vença. Em caso de empate entre Bangu e Nova Orleans, terá de superar o saldo do Bangu. Em caso de vitória do Nova Orleans sobre o Bangu, terá de superar o saldo do Nova Orleans.

5.º Capão Raso – 17 pontos – 5 vitórias – saldo +5 – 17 gols pró

Enfrenta: Imperial no José Carlos de Oliveira Sobrinho

Combinações para o título: Precisa vencer o Imperial, torcer por tropeços de Bangu e Uberlândia e superar o Palmeirinha no saldo, caso este também vença. Em caso de empate entre Bangu e Nova Orleans, terá de superar o saldo do Bangu. Em caso de vitória do Nova Orleans sobre o Bangu, terá de superar o saldo do Nova Orleans.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro, Numeralhas

FPF adia rodada no Elba de Pádua Lima

A FPF adiou na noite desta sexta-feira (19) a rodada dupla que seria realizada no sábado no Elba de Pádua Lima. O motivo foi a sequência de chuvas em Curitiba que inviabilizaram o uso do campo, bastante sensível ao tempo ruim.

Com isso, os duelos entre Shabureya x Nacional e Palmeirinha x Grêmio Ipiranga pela quinta rodada da Copa de Futebol Amador serão remarcados.

1 Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Palmeirinha e Nacional vencem em tarde de viradas no Elba de Pádua Lima

À esquerda: Palmeirinha em campo é certeza de muitos gols, como na vitória sobre o Shabureya; À direita: jogadores do Nacional comemoram o terceiro gol sobre o Grêmio Ipiranga, que tirou a equipe do zero na tabela

A tarde de sábado (6) no Elba de Pádua Lima foi cruel para quem fez gol nos primeiros dez minutos de jogo. Foi assim que Shabureya e Grêmio Ipiranga tomaram viradas de Palmeirinha e Nacional, respectivamente, em jogos válidos pela terceira rodada da Copa de Futebol Amador da Capital.

O placar de 5  a 2 fez o Palmeirinha subir na tabela, é o terceiro com seis pontos, e manteve o Shabureya na lanterna, zerado com saldo negativo de seis. O Nacional, após vencer por 3 a 1, subiu para a sexta colocação com três pontos e saldo zerado, enquanto o Grêmio Ipiranga é o vice-lanterna também zerado nos pontos e com saldo negativo de quatro gols.

Na próxima rodada, próximo sábado (13), Grêmio Ipiranga e Nacional voltam a jogar no XV de Agosto. O time canarinho enfrenta o oitavo colocado Bangu às 13h30, enquanto que o Alvianil encara o sétimo colocado União Ahu às 15h30. O Shabureya enfrenta o quarto colocado Uberlândia no José Drulla Sobrinho, às 13h30. O Palmeirinha faz confronto direto contra o vice-líder Capão Raso no José Carlos de Oliveira Sobrinho às 15h30.

Três gols relâmpago, sete no total

Uma certeza em jogo do Palmeirinha é: muitos gols. Foi assim na derrota por 5 a 2 na estreia e na vitória por 5 a 0 na segunda rodada. Na terceira, o time do Tatuquara fez 5 a 2 no Shabureya, mas precisou tomar um susto no começo do jogo para construir o placar principalmente na primeira etapa.

O Shabureya saiu na frente com três minutos de jogo. O lateral-direito Bolinha acertou um belo chute cruzado, no seu melhor estilo, pois havia feito um gol parecido na estreia contra o Santíssima Trindade.

O empate do Palmeirinha e a virada foram fulminantes. Marquinhos marcou aos 14 minutos e Dolinha aproveitou erro da defesa aos 16. Com a dianteira, o time verde ampliou duas vezes com Nico, aos 34 e aos 43 do primeiro tempo.

Na segunda etapa, o Shabureya voltou a mostrar que tem vivido de lampejos, apesar de só ter colecionado derrotas. O time citroalvinegro melhorou de produção e deu trabalho ao goleiro Rafinha. Mucilon foi expulso e deu mais espaço para que o Shabu pudesse atacar no acanhado gramado do Elba de Pádua Lima.

Ironicamente, quem marcou foi o Palmeirinha. A bola veio cruzada da esquerda e Harisson acabou empurrando contra as próprias redes os 30 minutos do segundo tempo.

Após muito martelar, o Shabureya conseguiu diminuir numa forte finalização de Gibson, aos 34 minutos. Ainda deu tempo para o árbitro Thiago Coltre Oliveira expulsar o técnico Pepe do Shabureya por reclamação, mesmo motivo do segundo cartão amarelo, e consequentemente vermelho, de Mazinho, do Palmeirinha, na marca dos 44 minutos do segundo tempo.

“Nosso demorou um pouco para encaixar, mas encaixou e eu pude fazer dois gols para ajudar o Palmeirinha”, disse Nico do Palmeirinha após a partida. “Novamente perdemos por erros individuais. Nosso time é forte do meio para frente, mas tá errando muito atrás. Precisamos focar e treinar para pararmos de  cometer esses erros”, completou Gibson do Shabureya.

Nacional sai do zero

Num duelo entre equipes que estavam sem pontuar, no jogo de fundo, melhor para o Nacional, que bateu o Grêmio Ipiranga por 3 a 1.

O time da casa saiu na frente em cobrança de pênalti convertida pelo jovem Moraes aos nove minutos de jogo.

Juventude, aliás, muito vista em campo. O Grêmio Ipiranga tinha alguns poucos jogadores experientes, mas estava recheado de garotos. Mais jovem ainda foi o time do Nacional, tendo como exceção o veterano goleiro Ricardo, com idade para ser pai dos demais alguns companheiros de time.

Com 23 minutos de jogo, o técnico do Nacional, Alemão, mudou sua equipe tirando o lateral-esquerdo Victor, que machucou o pulso, e colocou o ponteira Luquinhas, uma das apostas do time para o futuro.

A alteração deu resultado aos 36 minutos do 1.º tempo quando o baixinho da camisa 17 apareceu no segundo pau para empurrar para dentro a bola cruzada à meia altura por Bruninho.

No segundo tempo, o Nacional mostrou estar melhor adaptado ao piso duro e com reduzidas dimensões do Elba de Pádua Lima, que dificulta o domínio de bola e favorece muito o jogo de contato, mas permite arrancadas mais explosivas pelos flancos.

Foi numa boa arrancada de Luquinhas pela esquerda que saiu o segundo gol. A jogada, aos 25 minutos, foi completada por Luís.

Sofrendo pressão no fim do jogo, o Nacional partiu em um contra-ataque e conseguiu um pênalti em uma saída desastrada do goleiro Osni. Guilherme converteu com relativa frieza e deu números finais ao placar aos 39 minutos.

“Não foi a partida que queríamos. Saímos na frente e recuamos. Não podemos sair de cabeça baixa, pois o campeonato é longo e ainda podemos nos recuperar e lutar pelo título”, afirmou Moraes do Grêmio Ipiranga. “Foi uma partida difícil, pois eles têm um ataque muito forte e conseguimos vencer fora de casa”, analisou Luquinhas do Nacional.

Visita da casa

O ex-técnico do Grêmio Ipiranga, Giancarlo Balaban, acompanhou a partida de sua antiga equipe. Atualmente vivendo entre Guaratuba, onde vive com mulher e filha pequena, e Garuva, onde é professor de educação física da rede municipal, ele irá treinar uma equipe de Guaratuba na Copa Litoral a partir do meio de ano. Balaban aproveita a Copinha para procurar alguns reforços para sua nova equipe.

Ficha Técnica das partidas

Rodada dupla no Estádio Elba de Pádua Lima, Vila Ipiranga, Capão Raso, Curitiba

Palmeirinha 5 x 2 Shabureya

Palmeirinha: Rafinha; Rafa (Dul), Lincoln, Thiago Cabeção e Valdecir; Mucilon, Mazinho e Nico (Guilherme); Dolinha, Marquinhos, Cezinho (Célio). Técnico: Vagner Primo (interino, o técnico Daniel Jorge não pôde estar presente)

Shabureya: Homero; Bolinha, Gabba, Cléber (Harisson) e China; Vermelho, Murian, Mateus e Gibson; Wesley e Felipe (Guto). Técnico: Pepe.

Arbitragem: Thiago Coltre Oliveira, Marco Aurélio dos Santos, Reube Dobrychlop dos Reis.

Gols: Bolinha (SHA, aos 3’/1.º), Marquinhos (PGG, aos 14’/1.º), Dolinha (PGG, aos 16’/1.º), Nico (PGG, aos 34’/1.º, aos 43’/1.º), Harisson (contra, pró-PGG, aos 30’/2.º), Gibson (SHA, aos 34’/2.º).

Cartões Amarelos: Rafa, Mucilon, Mazinho, Dul, Célio (PGG); Bolinha, Gabba, Murian, Felipe (SHA).

Cartões Vermelhos: Mucilon (PGG, aos 26’/2.º, dupla advertência), Mazinho (PGG, aos 44’/2, dupla advertência).

Grêmio Ipiranga 1 x 3 Nacional

Grêmio Ipiranga: Osni; Giovani (Luís), Gamarra, Maranhão e Moura; Marcelinho (Eduardo Laguna), Gustavo, Carlinhos (Felipe) e Juliano; Moraes e Lucas (Alex). Técnico: Márcio Victor.

Nacional: Ricardo; Bruninho, Gustavo, Evandro e Vitor (Luquinhas); Baraka, Carlinhos, Fernandinho (Marconi) e Guilherme; Luís e Nícolas (Douglas). Técnico: Alemão.

Arbitragem: Julio Cesar Tessaro, Reube Dobrychlop dos Reis, Marco Aurélio dos Santos.

Gols: Moraes (GRI, aos 9’/1.º), Luquinhas (NAC, aos 36’/1.º), Luís (NAC, aos 25’/2.º), Guilherme (NAC, aos 39’/2).

Cartões Amarelos: Osni, Marcelinho (GRI); Baraka, Douglas (NAC).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Vila Sandra segura Palmeirinha e levanta a taça da Série B da Suburbana

Vinícius, capitão do Vila Sandra, levanta a taça da Segundona da Suburbana: alvinegro suportou pressão na segunda etapa e fez valer vantagem da ida

O Vila Sandra ergueu a taça da Série B da Suburbana após empate por 0 a 0 com o Palmeirinha, neste sábado (17), no Ozório Claudino de Barros. O resultado garantiu os quatro pontos necessários ao Alvinegro no playoff decisivo da competição, pois havia vencido a ida por 5 a 1, e garantiu a equipe como um dos dois representantes curitibanos na próxima Taça Paraná (o outro é o Iguaçu, campeão da Série A).

“Estou muito feliz. Ano passado (no Vila Fanny), não tinha feito um campeonato muito bom e este ano me propus a treinar mais e fazer bom campeonato. Deu tudo certo com artilharia, acesso e título. Agora, vamos beliscar a Taça Paraná, vamos para ganhar. O time entrosou muito bem. Na Copinha, um bom teste, não tinha entrosado, mas começamos o campeonato com boas goleadas. O Palmeirinha também está de parabéns, pois é um time forte e sabíamos que seria difícil. Não conseguimos encaixar as bolas. Mas estamos felizes com o título, a torcida e a comunidade merecem e a diretoria está de parabéns”, afirmou Zé Ricardo, centroavante do Vila Sandra e artilheiro do campeonato com 23 gols. Outro prêmio individual para o Vila Sandra foi para o goleiro Felipe, que dividiu a taça de goleiro menos vazado com Ricardo, do semifinalista Bangu.

“Temos de parabenizar o Vila Sandra, que mereceu o título. Não fomos bem no primeiro jogo, mas mostramos a cara do Palmeirinha no segundo. Viemos com o intuito de vencer, mas não deu, mas coroou um ano bom, pois estamos na Série A. Este time, vamos dizer, é a geração do Dolinha com a que está vendo, uma nova geração que estamos tentando colocar que o Palmeirinha não é só colocar a camisa, pois envolve amor. Estamos agora na Série A e vamos seguir o trabalho”, afirmou o técnico do Palmeirinha, Daniel Jorge.

O jogo

O empate garantiria o título ao Vila Sandra, enquanto o Palmeirinha precisava vencer para levar a decisão para um terceiro jogo em campo neutro. O Vila Sandra veio com apenas uma mudança, enquanto que o Palmeirinha veio com três retornos. A primeira etapa teve equilíbrio, com muita concentração de bola na meia cancha. De um lado tínhamos Wescley e de outro Hantson como controladores de tráfego da bola. Dolinha foi a válvula de escape do Palmeirinha, enquanto Maranhão teve duas boas chances de abrir o marcador.

A segunda etapa mostrou o melhor Palmeirinha dos 180 minutos de decisão. O Alviverde do Jardim da Ordem promoveu uma blitz, mas parou em boas defesas de Felipe e no bom dia do setor defensivo do Vila Sandra. Foram dezenas de tentativas, todas em busca de uma bola só que levasse a decisão para o terceiro jogo. A cada uma, o tempo como inimigo e a cada uma o alívio da torcida alvinegra que ficou atrás do gol defendido por Felipe na etapa final.

Para as centenas que se espremeram na arquibancada de fundo, a história foi sendo construída diante dos olhos e diante daqueles momentos em que eles se fecharam de aflição já esperando pelo pior que não veio, parando por centímetros, nas mãos de Felipe ou em uma das centenas de pés e cabeças salvadoras que pintaram na frente na hora da conclusão. O apito final veio e a certeza do título era palpável para os alvinegros.

Juvenis

Teve taça também. Sendo assim, temos um material a parte que, se já entrou no ar, está logo na sequência.

Ficha Técnica

Vila Sandra 0 x 0 Palmeirinha

Estádio Ozório Claudino de Barros, Vila Sandra, Cidade Industrial, Curitiba

Vila Sandra: Felipe; Robinho (Andrézinho), Faísca, Vinícius e Gian; Guilherme, Wescley (Edison) e Mineiro (Seco); Maranhão (Robson) , Zé Ricardo e Adriano (Dedé). Técnico: Marcos Franco.

Palmeirinha: Anderson; Mazinho, Mucilon, Thiagão (Jeovani) e Polaco; Carlo, Celo (César) e Hantson (Marquinhos); Dolinha, Thiago e Nico. Técnico: Daniel Jorge.

Arbitragem: Luiz Alexandre Fernandes, Diogo Morais e Wesley Waldir Marmitt.

Cartões Amarelos: Robinho (VSA), Mucilon e Thiago (PGG).

Confira imagens da partida:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Vila Sandra goleia Palmeirinha e está a um empate da taça da Série B

Zé Ricardo comemora o gol de abertura do placar: ataque do Vila Sandra funcionou muito bem no campo pesado do Elba de Pádua Lima

O Vila Sandra deu um passo gigante para a conquista do título da Série B da Suburbana. O Alvinegro goleou o Palmeirinha neste sábado (10), no Elba de Pádua Lima, pelo expressivo placar de 5 a 1 e está a apenas um empate de levantar a taça. Zé Ricardo e Adriano marcaram duas vezes cada e Maranhão, destaque da partida com dribles e assistências, marcou uma vez. Polaco diminuiu para o Palmeirinha, que agora precisa de uma vitória simples para levar a decisão para o terceiro jogo em campo neutro.

“Agora temos de chegar em casa e jogar o que sabemos, segurando atrás e marcando na frente. É um prazer jogar com o Zé Ricardo e o Adriano, dois monstros, e eu estou aqui só para fazer o dever de casa”, disse Maranhão do Vila Sandra.

 

“Agora é tudo ou nada. Pode ser 1 a 0, pois não tem vantagem. O time deles não chegou à toa e a gente também. Temos de ir lá buscar vitória para levar para o terceiro jogo. Hoje [sábado], o time nosso jogou com bastantes desfalques e nosso estilo de toque de bola e correria não funcionou. O time deles é bem postado e mataram o jogo”, analisou Du, do Palmeirinha.

A partida de volta será no próximo sábado (17), no Ozório Claudino de Barros, com os adultos entrando em campo às 16 horas e os juvenis às 14 horas (ainda nesta reportagem, o que aconteceu na decisão juvenil).

O jogo

O Vila Sandra começou aceso em campo e deu uma amostra do que seria a partida já aos 2 minutos, quando Maranhão arrancou pela esquerda e sofreu pênalti de Rafael. Após paralisação para atendimento, aos 5 minutos, Zé Ricardo bateu rente no canto e abriu o marcador.

O empate do Palmeirinha poderia ter saído pouco tempo depois, mas parou em Faísca salvando uma bola em cima da linha. O jogo na etapa inicial seguiu truncado, com as equipes tendo dificuldades de jogar no chão por causa do maltratado piso do Elba de Pádua Lima, que recebia o terceiro jogo do dia (houve uma final do Cinquentinha antes dos juvenis) com um tempo que alternava pancadas de chuvas com momentos de calmaria.

Atrás no marcador, o técnico Daniel Jorge mexeu três vezes no intervalo, tentando tirar o Palmeirinha do marasmo. Aos 11 minutos, após bate e rebate na área do Vila Sandra, o goleiro Felipe fez uma defesa milagrosa, mas Polaco acertou um voleio no rebote, empatando a partida.

Foi o que precisava para o Vila Sandra acordar. No lance seguinte, aos 12 minutos, Maranhão fez bela jogada pela direita e serviu Adriano, recolocando o Alvinegro na frente.

Aos 14 minutos, Robinho puxou um contra-ataque pela esquerda e encontrou Wescley, que rolou para Mineiro. O camisa 10 viu a passagem de Maranhão pela direita e tocou. O baixinho entortou a defesa, cortou para dentro e bateu na saída de Anderson.

O recital de Maranhão seguiu aos 19 minutos. O jovem ponteiro do Vila Sandra provocou mais um carnaval pelo lado direito do ataque e rolou para Adriano fazer seu 17.º gol na competição. Ele é o terceiro colocado na tabela de artilheiros.

O placar foi fechado aos 30 minutos, com Zé Ricardo aproveitando cruzamento de cabeça, sem sair do chão, com aparente facilidade. Foi o 23.º gol do artilheiro do campeonato, três a mais que Luizinho, do já eliminado Bangu, que tem 20 gols.

O placar elástico de 5 a 1 permitiu ainda que o técnico Marcos Franco pudesse poupar nos minutos finais seus principais jogadores.

Mais homenagens

A Chapecoense foi lembrada em mais alguns momentos. A torcida do Vila Sandra, que esteve em maior número, levou faixas de apoio ao time catarinense e cantou “Vamos Chape” na entrada no estádio, quando se posicionou na arquibancada visitante. A arquibancada local segue interditada após desabamento parcial causado por tempestade no meio do ano. O setor precisará de um muro de concreto para ser sustentado, pois fica alguns metros abaixo do nível da Rua Santa Regina, que passa do lado de trás do campo na Vila Ipiranga.

Bangu vence preliminar e está a um empate de título juvenil

Neguinho comemora o segundo gol do Bangu: um empate separa o Rubro-Negro do título

Na preliminar de juvenis, o Bangu venceu o Bairro Alto por 3 a 0 e também está distante apenas um empate do título da Série B Juvenil. O Bairro Alto precisa vencer o jogo de volta para forçar a terceira partida.

Mais adaptado ao piso, o Bangu saiu na frente aos 37 minutos do primeiro tempo. O lateral-esquerdo Du deu um chute despretensioso que entrou manso no canto do goleiro.

O rubro-negro aumentou aos 17 minutos do segundo tempo em uma bela jogada do centroavante Neguinho, que recebeu na velocidade e cortou duas vezes a defesa antes de bater.

Bonito também foi o gol de Alisson, aos 28 minutos, também usando de habilidade de para contornar a defesa e bater para o gol.

Ficha Técnica:

Palmeirinha 1 x 5 Vila Sandra

Estádio Elba de Pádua Lima, Vila Ipiranga, Capão Raso, Curitiba

Palmeirinha: Anderson; Rafael (Du), Lincoln, Thiago (Valdecir) e Polaco; Mucilon (Célio), Mazinho (Cafu), e Hantz; Dolinha (Jiovane), Marquinhos (César) e Thiagão. Técnico: Daniel Jorge.

Vila Sandra: Felipe; Robinho, Vinícius (Márcio), Faísca e Dedé; Guilherme, Wescley (Matusalém) e Mineiro (Juninho); Maranhão (Robson), Zé Ricardo (Mexicano) e Adriano (Gian). Técnico: Marcos Franco.

Arbitragem: Robson Toloczko Coutinho, Fabrício da Silva Martins e Giovani Marlus de Oliveira Massoquetto.

Gols: Zé Ricardo (VSA, aos 5’/1.º, aos 30’/2.º), Polaco (PGG, aos 11’/2.º), Adriano (VSA, aos 12’/2, aos 19’/2.º), Maranhão (VSA, aos 14’/2.º).

Cartões Amarelos: Rafael, Thiago, Mazinho (PGG); Felipe, Vinícius, Wescley (VSA).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Rodada na Arena Vermelha classifica Vila Fanny e dá “título” da chave ao Novo Mundo

Empate entre Grêmio Ipiranga e Palmeirinha eliminou as duas equipes, assim, o Vila Fanny classificou-se mesmo sendo goleado pelo Novo Mundo

Empate entre Grêmio Ipiranga e Palmeirinha eliminou as duas equipes, assim, o Vila Fanny classificou-se mesmo sendo goleado pelo Novo Mundo

Novo Mundo em primeiro e Vila Fanny em segundo: foi assim que terminou o Grupo A da Copa de Futebol Amador, chave decidida em rodada dupla neste sábado (7) na Arena Vermelha. Na preliminar, o empate por 2 a 2 entre Grêmio Ipiranga e Palmeirinha matou as chances de ambos se classificarem. No jogo de fundo, classificado pelo resultado anterior, o Vila Fanny precisaria vencer por dois gols para ser o primeiro da chave e até saiu na frente do Novo Mundo, mas foi inapelavelmente goleado por 6 a 1.

Nas semifinais, o Novo Mundo enfrentará o surpreendente União Ahu, com o primeiro jogo no Ricardo Halik. O Vila Fanny terá de decidir fora de casa contra o Uberlândia, que foi o campeão do Grupo B.

As meias justificam os meios?

Jogadores do Grêmio Ipiranga trocando as meias no lado do gramado: exigência do regulamento fez partida começar com atraso

Jogadores do Grêmio Ipiranga trocando as meias no lado do gramado: exigência do regulamento fez partida começar com atraso

Um impasse fez a partida entre Grêmio Ipiranga e Palmeirinha começar com atraso. As duas equipes entraram com calções e meias verdes, o que poderia confundir a arbitragem. Como constava como mandante na tabela, o Grêmio Ipiranga teria de trocar. Porém, como o jogo era na Arena Vermelha, campo do Novo Mundo, surgiu outra dificuldade: o time não havia trazido outra opção de uniforme.

A solução veio com o Novo Mundo emprestando meias vermelhas para o time canarinho, que passou a usar uma combinação de uniforme que remeteu à seleção de Camarões jogando com seu segundo uniforme.

Empate foi o abraço da morte

Com a bola rolando, os dois times precisavam vencer e tirar a diferença de saldo para aí torcer contra o Vila Fanny no jogo de fundo. O empate não serviria para nada. Assim, o Grêmio Ipiranga abriu o placar logo aos 3 minutos com Cafu. O Grêmio Ipiranga estava mais equilibrado no primeiro tempo e poderia até ampliar, o que o deixaria com o saldo zerado.

No segundo tempo, a coisa mudou com uma reação do Palmeirinha. Nícolas marcou duas vezes. A primeira, de pênalti, aos 7 e a segunda aos 19 minutos. A chance de classificação passou para as mãos do time do bairro Tatuquara.

Mas as coisas mudaram em um lance. Aos 24 minutos, o goleiro Anderson cometeu pênalti. Por ser chance clara de gol, foi expulso. Sem goleiro reserva, acabou indo o líbero Thiago para a meta do Verdãozinho. Cafu cobrou a penalidade aos 26 minutos e recolocou a igualdade no placar.

Curiosamente, após o gol, o Grêmio Ipiranga pouco chutou ao gol com perigo ao goleiro improvisado Thiago, que terminou invicto na meta. O resultado de 2 a 2 eliminou ambos os times, que voltam a campo agora apenas na Série B da Suburbana.

“Competição complicada em que pegamos times bem preparados. Lutamos até o fim e agora é trabalhar para a próxima competição. Vontade temos de sobra, mas ainda falta entrosamento, pois chegou bastante molecada nova”, analisou o atacante Nícolas do Palmeirinha, autor de dois gols.

“Ficou um legado, que não podemos vacilar. Pegamos grupo difícil, mas provamos que com a vontade que temos, podemos ir longe na próxima competição. O lance da meia até nos ajudou, pois enrolou um pouco o time deles, até saímos com gol na frente”, relembrou Cafu, autor dos gols do Grêmio Ipiranga.

Goleada sela primeira fase perfeita do Novo Mundo

No jogo de fundo, classificado, o Vila Fanny teria de vencer por dois gols de diferença e parecia cumprir a missão até os 20 minutos. Melhor após o apito inicial, o time visitante saiu na frente aos 13 minutos com Dinda cobrando pênalti.

O Novo Mundo tratou de mudar o jogo na base da bola parada com duas pauladas de Djoninho. A primeira foi aos 20 minutos e a segunda aos 22. Atordoado com a virada quase instantânea, o Vila Fanny viu o Novo Mundo aumentar aos 29 minutos com Ricardo concluindo a gol após jogada aérea.

Atrás no placar, o técnico Nego mexeu três vezes das seis possíveis no intervalo. Mesmo assim, o Vila Fanny não conseguiu reação suficiente para mudar a história da partida. Bruno ampliou logo aos 4 do segundo tempo e tornou as coisas mais difíceis ainda.

Nos minutos finais, os jogo até caiu de ritmo, mas deu tempo para os gols de Muriel, aos 37, e de Marquinhos Lima, aos 40, selarem o resultado de 6 a 1 e os 100% de aproveitamento do Novo Mundo, marca igualada apenas pelo Uberlândia, que obviamente também venceu sua chave.

“Fundamental, treinando bastante dia de semana. Tive felicidade de acertar duas cobranças. O time do Ahu vem forte, temos de preparar. Temos de fazer bom trabalho fora para decidir em casa”, afirmou Djoninho, autor de dois gols do Novo Mundo.

“Pois é, a gente entrou classificado e não ter entrado desse jeito, tomar seis gols. Agora trabalhar para pegar o Uberlândia e supreender. Temos fazer o serviço de casa para tentar segurar lá”, analisou o zagueiro Lela, capitão do Vila Fanny.

Santos refletores, Batman!

O atraso da primeira partida por causa do meiagate provocou um interessante efeito cascata: como estamos em uma época do ano que anoitece cedo, o jogo de fundo terminou com a noite já caída e com refletores da Arena Vermelha à toda.

Ficha Técnica das partidas:

Rodada dupla na Arena Vermelha, Novo Mundo, Curitiba

Grêmio Ipiranga 2 x 2 Palmeirinha

Grêmio Ipiranga: Osni; Moura , Anderson, Gustavo e Robson (Leandro); Flavinho, Marcelinho (Clé) e Jonathan; Jackson Laguna (Giovani), Cafu e Fabinho. Técnico: Giancarlo Balaban.

Palmeirinha: Anderson; Thiago, Mazinho e Mucilon; Marquinhos, Carlão, Celo (Maninho), Dolinha (Jô) e Valdecir (Guilherme); Romarinho e Nícolas. Técnico: Daniel Jorge.

Arbitragem: Alexandre Sanches Ferreira, Sandra Maria Dawies e Fernando Cesar Tobias.

Gols: Cafu (GRI, aos 3’/1.º e 26’/2.°), Nícolas (PGG, aos 7’/2.º e 19’/2.º)

Cartões Amarelos:  Moura, Jonathan (GRI); Mucilon, Carlão, Romarinho, Dolinha (PGG).

Cartão Vermelho: Anderson (PGG, aos 24’/2.º, por falta em situação de gol iminente)

Novo Mundo 6 x 1 Vila Fanny

Novo Mundo: Jociel Henrique; Evandro, Bruno e Danilo (Muriel); Ricardo, Alan Diego (Guilherme), Elton (Léo) e Djoninho (Jonathan); Fernandinho (Eduardo), Marquinhos Cambalhota (Waguinho) e Marquinhos Lima. Técnico: Ivo Petry.

Vila Fanny: Flavio; Buiú (Fulvio), Lela, Elísio (Marquinhos) e Rafael (Bruno); Djoni, Cicinho (Alex), Anderson e Guelo; Dinda (Wallisson) e Leco (Géder). Técnico: Nego.

Arbitragem: Lucas Paulo Torezin, Sandra Maria Dawies e Fernando Cesar Tobias.

Gols: Dinda (VFA, aos 13’/1.º),  Djoninho (NMU, aos 20’/1.º e 22/1.º), Ricardo (NMU, aos 29’/1.º), Bruno (NMU, aos 6’/2.º), Muriel (NMU, aos 37’/2.º), Marquinhos Lima (NMU, aos 40’/2.º).

Cartões Amarelos: Ricardo, Bruninho (NMU); Rafael (VFA).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Vila Fanny e Grêmio Ipiranga vencem em tarde de 14 gols no Parque Linear

Vitórias sobre Palmeirinha e Santíssima Trindade, respectivamente, deixam Vila Fanny e Grêmio Ipiranga dentro da luta por uma vaga nas semifinais

Vitórias sobre Palmeirinha e Santíssima Trindade, respectivamente, deixam Vila Fanny e Grêmio Ipiranga dentro da luta por uma vaga nas semifinais. dos times que jogaram no Parque Linear, Palmeirinha também segue na briga

Em uma tarde de sábado (23) cheia de gols no Estádio Parque Linear, Vila Fanny e Grêmio Ipiranga se saíram melhor que Palmeirinha e Santíssima Trindade, respectivamente, conquistando importantes vitórias no Grupo A da Copa de Futebol Amador da Capital.

As coincidências na rodada dupla de 14 gols foram os placares de 5 a 2, mas terminam aí em partidas com histórias distintas. Com nove pontos, o Vila Fanny depende apenas dele para se classificar. Com seis pontos, Grêmio Ipiranga e Palmeirinha têm confronto direto e precisam torcer contra o Fanny na última rodada. Zerado em número de pontos, o Santíssima Trindade apenas cumpre tabela.

A Copa de Futebol Amador pula uma semana e os times voltam a campo no dia 7 de maio. Às 14 horas, no Octávio Sílvio Nicco, o Santíssima Trindade cumpre tabela contra o Capão Raso. É o mesmo horário do duelo entre Grêmio Ipiranga e Palmeirinha na Arena Vermelha. Às 16 horas, no mesmo estádio, o Vila Fanny joga por um empate para se classificar diante do Novo Mundo.

Virada à moda Fanny

Em quatro jogos, o Vila Fanny saiu atrás em três deles. E agora conquistou sua segunda vitória de virada. Desta vez, o alvirrubro tomou dois gols e conseguiu uma recuperação em um expressivo 5 a 2. Curiosamente, ninguém fez mais que um gol na partida.

Na primeira meia  hora, o Palmeirinha, que tem praticamente a mesma base desde 2000 (isso mesmo, você não está lendo errado), dominou. Aos 19 minutos, Nícolas acertou um belo chute na gaveta de Flávio. A equipe do Tatuquara aumentou aos 25 minutos com Dolinha completando jogada à meia altura. Parecia que o Palmeirinha iria fazer uma goleada, mostrando-se perigoso em lances de ataque.

Porém, o vento começou a virar aos 31 minutos, quando Guelo aproveitou cruzamento e diminuiu para o Vila Fanny. O empate veio logo depois aos 33 minutos, com o zagueiro-artilheiro Lela, aproveitando jogada de cabeça.

O segundo tempo começou com o vento realmente a favor do Vila Fanny, que começou a usar isso a favor em cobranças de escanteio que deram trabalho ao goleiro Anderson. A virada, no entanto, veio por meio de outro zagueiro, Elísio, aos 16 minutos. Anderson ampliou aos 40 e Coutinho, de pênalti, fechou o placar em 5 a 2.

“Foi uma vitória importante. Nós só buscávamos os três pontos para ficar mais tranquilo. Conseguimos dar volta ao jogo. A equipe teve tranquilidade e conseguiu dar volta no placar”, disse Guelo do Vila Fanny.

“Nosso time cansou, só tínhamos cinco titulares, sem pessoal mais experiente. Só tínhamos um reserva e o pessoal mais jovem não sabe dosar o jogo. Agora é levantar a cabeça e tentar buscar algo no último jogo. Ainda temos esperança. Depende de nós ganharmos e o Novo Mundo ganhar. Só depende de nós e vamos lutar até o fim”, declarou Dolinha do Palmeirinha.

A sina continua

Um time que marca dez gols em quatro jogos tem uma boa marca, porém tudo se perde quando ele toma 17 gols nestes mesmos duelos. Aí está o drama do Santíssima Trindade, que tem uma rodada e depois uma intertemporada para tentar equilibrar seu time para a disputada Segundona da Suburbana. O Grêmio Ipiranga, que nada ou pouco tem a ver com isso, aproveitou e venceu bem por 5 a 2, mantendo suas chances de classificação.

O jogo começou com muitos erros de passe e finalização. O Santíssima Trindade mostrava dificuldades na saída de bola e o Grêmio Ipiranga esteve bastante ansioso até conseguir marcar. O gol inaugural foi de Cafu, aos 43 minutos da etapa inicial.

No segundo tempo, foi a vez do atacante Sena, do Grêmio Ipiranga brilhar. Ele aumentou o placar com dois gols, aos 10 e aos 23 minutos. O Trindade respondeu aos 30 minutos com Leandro, de pênalti, e com Queen aos 40 minutos, encostando no placar. Mas o time local tomou alguns baldes de água fria perto do fim, quando pressionava, com gols de Geovane, aos 42, e de Leandro, o do Grêmio Ipiranga, aos 47, finalizando o marcador.

“A gente sabia que tinha chance e veio determinado buscar a vitória. Qualquer um porcento, a gente briga. Não estamos na competição à toa. Viemos de dois resultados negativos e viemos aqui para entrar na briga”, afirmou Sena, autor de dois gols para o time do Grêmio Ipiranga.

“A gente desde o primeiro jogo o ataque bem, mas a defesa ainda está sem entrosamento. Vamos tentar acertar a defesa do time. Vamos arrumar e preparar para a Suburbana”, concluiu Leandro do Santíssima Trindade.

Bolada intermunicipal

Localizado muito próximo à divisa com Pinhais, o Estádio Parque Linear, casa do Santíssima Trindade, permite algo anetódico: que a bola possa ser chutada de Curitiba, cruzar o Rio Atuba e cair em outro município.

Fim de semana no parque

Como o nome sugere, o estádio fica anexo a um parque construído para preservar a mata ciliar do Atuba e, mais abaixo, o Iguaçu, que nasce das águas do próprio Atuba e do Iraí. Como todo bom fim de semana ensolarado, havia perto do campo gente empinando pipa, crianças pulando em uma cama elástica e até um palco montado ali perto.

Ficha Técnica das partidas:

Rodada dupla no Estádio Parque Linear, Cajuru, Curitiba

Vila Fanny 5 x 2 Palmeirinha

Vila Fanny: Flávio; Lela, Elísio, Anderson; Buiú (Walisson), Anderson (Marquinhos), Cicinho (Alex), Guelo e Bruninho; Leco (Géder) e Coutinho. Técnico: Nego.

Palmeirinha: Anderson; Thiago, Valdecir e Polaco; Jô (Guilherme), Celo, Romarinho e Nicolas; Dolinha, Marquinhos e Nicolas. Técnico: Daniel Jorge.

Arbitragem: Marcos William C. Cabreira, Alessandro Antonio Gonçalves e Alexsandro Euzebio da Silva.

Gols: Nicolas (PGG, aos 19’/1.º), Dolinha (PGG, aos 25’/1.º), Guelo (VFA, aos 31’/1.º), Lela (VFA, aos 33’/1.º), Elísio (VFA, aos 16’/2.º), Anderson (VFA, aos 40’/2.º), Coutinho (VFA, aos 45’/2.º).

Cartões Amarelos: Anderson (VFA); Jô, Carlão, Dolinha, Nícolas (PGG)

Santíssima Trindade 2 x 5 Grêmio Ipiranga

Santíssima Trindade: Eliseu (Juliano); Bahia, Dill, Queen e Robson; Tom (Alessandro), Marcão (Marcos), Chicletinho (Guilherme) e Erick; Leandro e Euller (Waltinho, depois Wesley). Técnico: Jean Pierre.

Grêmio Ipiranga: Thiago; Moura, Daniclei, Anderson e Flavinho; Clé (Jonathan), Laguna (Leandro), Gustavo e Fabinho (Geovane); Sena e Cafu (William). Técnico: Gian Balaban.

Arbitragem: Adelmo Ferreira dos Santos, Alessandro Antonio Gonçalves e Alexsandro Euzebio da Silva.

Gols: Cafu (GRI, aos 43’/1.º), Sena (GRI, aos 10’/2.º, aos 23’/2.º), Leandro (STR, aos 30’/2.º), Queen (STR, aos 40’/2.º), Geovane (GRI, aos 42’/2.º), Leandro (GRI, aos 47’/2.º).

Cartões Amarelos: Robson, Dill, Marcão (STR); Gustavo (GRI).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

1 Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro