Tag Archives: Santíssima Trindade

Baixe o pôster do Santíssima Trindade – Campeão da Série B da Suburbana 2017

No último sábado (11), o Santíssima Trindade foi o campeão da Série B da Suburbana após derrota para o Fortaleza por 1 a 0, conquistando vitória no agregado por 2 a 1, pois havia vencido o jogo de ida por 2 a 0.

Sendo assim, o Futebol Metrópole, presenteia o torcedor do Santíssima Trindade com um pôster comemorando o título da Série B da Suburbana.

Para baixar, clique no pôster com o botão direito e escolha a opção de salvar no seu computador ou aparato similar.

Agradecemos ao Oscar Kirsten pelo suporte na nomeação das pessoas na imagem e pelas imagens individuais que foram colocadas nos quadros:

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Fortaleza vence, mas a taça da Série B fica com o Santíssima Trindade

Derrota por 1 a 0 na volta deu o título ao Santíssima Trindade, que havia vencido na ida por 2 a 0: jogadores não esqueceram de homenagear Rodolfo, jogador da equipe morto em agosto

O Santíssima Trindade é o campeão da Série B da Suburbana. O título veio após derrota para o Fortaleza, neste sábado (11), por 1 a 0 no Antonio Monteiro Sobrinho. Como havia vencido a ida por 2 a 0 na semana anterior no Parque Linear, o Tricolor do Cajuru administrou a vantagem no confronto agregado e pôde comemorar após o apito final. Wuallysson fez o único gol da partida.

O título veio em campanha que o Trindade cresceu na reta final após passar por uma grande perda. Em agosto, quando a primeira fase chegava próximo à metade, o meia Rodolfo, de 28 anos, então camisa 10 da equipe, morreu em um acidente de trabalho. A equipe precisou se reorganizar dentro de campo sem seu principal meia de chegada. Fora de campo, o técnico Oscar Kirsten, que começou o trabalho na temporada, acabou recebendo uma promoção em seu serviço em uma montadora de automóveis e acabou transferido para São Carlos, interior de São Paulo. Quem passou a comandar a equipe foi o então auxiliar Dinei. Kirsten, por motivos de feriado, pôde comparecer na primeira partida da decisão, ficando como auxiliar, mas ficou torcendo de longe na grande decisão. O time da Zona Leste conseguiu segurar as turbulências e, após se classificar em terceiro no Grupo B, despachou no mata-mata o Vila Hauer e o grande favorito Bangu, este em uma grande decisão por pênaltis, antes de chegar à decisão.

O título garantiu vaga ao Santíssima Trindade na Taça Paraná de 2018. “Tenho de falar que os méritos aqui são da diretoria, do Oscar, que montou o time, dos jogadores, tudo. Tem de dizer que este título é para a comunidade, para o Rodolfo, para os jogadores que estão de parabéns”, disse o técnico Dinei.

Vice-campeão depois de liderar o campeonato inteiro, terminando com a melhor campanha global, o Fortaleza tem como alento o acesso e a grande festa que sua torcida fez ao lotar o barranco do Antonio Monteiro Sobrinho, numa festa única que deve se repetir na Série A de 2018. “A gente tinha confiança e ainda tem confiança do grupo. Eles mereciam, pois acharam a proposta de jogo lá e outra aqui e foram felizes. Mas saímos de cabeça erguida. Agradecemos esta comunidade que nos abraçou pela festa linda, gente que acordou mais cedo para fazer tudo e estar aqui. O título está em boas mãos e ano que vem tem mais Fortaleza”, analisou o técnico do Fortaleza, Vilmar Assunção.

O jogo

Precisando fazer dois gols para levar para os pênaltis, o Fortaleza usou de uma equipe mais leve e ofensiva para tentar furar o bloqueio do Santíssima Trindade, a quem cabia administrar a vantagem. O primeiro lance do jogo, uma saída em velocidade da equipe visitante com Giovani chutando por cima, mostrou que a tarefa seria dura, pois a equipe do Cajuru veio disposta a encaixar o contra-ataque e a não só se defender, usando uma formação parecida com o jogo de ida.

Os primeiros minutos seriam fundamentais para definir os rumos da partida. E o Fortaleza começou conseguindo o que pretendia: um gol cedo. Aos 12 minutos, Wuallysson, justamente uma das novidades escaladas para dar mais velocidade ao ataque, recebeu pela esquerda e bateu para vencer Paulo Sérgio.

Com o gol, a pressão do Fortaleza aumentou. Surpreendentemente, foi uma partida leal, com apenas dois cartões amarelos, um deles apenas por jogada mais forte.

Na segunda etapa, o Fortaleza tentou empurrar mais ainda o Trindade para seu campo de defesa, enquanto que o visitante apostou na velocidade de Luiz Fernando combinada com a lucidez de Giovani para puxar contra-ataques e adiantar a marcação. Com isso a armação do Fortaleza ficou mais exposta a erros de saída de bola e com isso o goleiro Valderson precisou trabalhar, assim como Paulo Ricardo trabalhou bem em bolas de Cafu, Roberto e Geovani.

Com o tempo passando, a ansiedade do time do Gabineto aumentou e, sem conseguir armar, devido à marcação alta, o título se aproximou do Cajuru.

Pôster

Quarta-feira tem pôster do Santíssima Trindade no Futebol Metrópole. Não perca.

Ficha Técnica:

Fortaleza 1 x 0 Santíssima Trindade (agg 1-2)

Estádio Antônio Monteiro Sobrinho, Jardim Gabineto, Cidade Industrial, Curitiba

Fortaleza: Valderson; Piwi, Marcão, Neguinho e Tiago; Xiru, Willian Manfron (Michael), Roberto (Pedro) e Geovani; Cafu e Wuallysson. Técnico: Vilmar Assunção.

Santíssima Trindade: Paulo Ricardo; Baiano, Anderson (Folha), Queen e Juliano; Marcão, Marlon, Tom e Tupã (Lelo); Giovani e Batoré (Luiz Fernando). Técnico: Dinei.

Arbitragem: Robson Toloczko Coutinho, Eduardo Luis Teixeira Furiatti, Ryan Chubter Ribeiro.

Gol: Wuallysson (FOR, aos 12’/1.º)

Cartões Amarelos: Piwi (FOR); Paulo Sérgio (STR).

Confira imagens da partida:

Este slideshow necessita de JavaScript.

2 Comments

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Santíssima Trindade vence Fortaleza e dá passo importante pelo título da Série B

Batoré recebe o afago dos companheiros após marcar o segundo gol do Santíssima Trindade num Parque Linear com gramado bastante pesado

Em um Parque Linear com o gramado bastante pesado, na tarde deste sábado (4), o Santíssima Trindade venceu o Fortaleza por 2 a 0 e saiu com vantagem na decisão da Série B da Suburbana. Luiz Fernando e Batoré marcaram os gols do time da casa, que jogou com um a mais desde a expulsão de Kairo aos 27 minutos do primeiro tempo.

As duas equipes, que estarão na Série A da próxima temporada, voltam a se enfrentar no Antonio Monteiro Sobrinho, próximo sábado (11), às 16h30. O Trindade pode perder por um gol de diferença. Vitória do Fortaleza por dois gols de vantagem leva para os pênaltis. Vitória do Fortaleza por três ou mais de vantagem dá o título ao time do Gabineto. O campeão, além da taça, garante uma vaga na Taça Paraná da próxima temporada.

“Fizemos o que precisávamos: vencer, não importando o placar, para ter alguma tranquilidade lá, pois não será fácil, como aqui não foi. É isso: pegada, pois lá será um jogo difícil”, disse Luiz Fernando do Santíssima Trindade. “É complicado, desde o primeiro tempo com um a menos, com o campo pesado. Nosso time tem toque de bola e o campo prejudicou os dois, mas o que pesou foi a expulsão. Agora precisamos jogar no nosso campo, onde não perdemos de ninguém e lutar para reverter o resultado”, analisou Willian Manfron do Fortaleza.

O jogo

Um temporal caiu pouco mais de hora e meia antes do jogo. Com isso, o gramado do Parque Linear ficou bastante encharcado. Com a bola rolando, um jogo de bastante choque e nem tantas chances até que Kairo, que tinha amarelo por reclamação, perdeu a bola no campo de ataque e tentou recuperar a posse com um desastroso carrinho por trás. Expulsão, deixando o Fortaleza com um a menos desde os 27 minutos da etapa inicial.

No entanto, o jogo seguiu equilibrado, com o meio-campo visitante compensando a falta de um jogador na base da correria.

Porém, no segundo tempo, a conta do esforço acabou vindo e aí começou a brilhar o goleiro Valderson, que pegou uma bola longa de Marcão e uma cabeçada a queima-roupa de Giovani. Do outro lado, Roberto poderia ter aberto o placar com uma boa subida pela esquerda e uma batida na saída de Paulo Sérgio não tão forte, permitindo a recuperação da zaga.

O gol de abertura saiu aos 28 minutos. Luiz Fernando ajeitou para o pé esquerdo e bateu no canto.

A ampliação veio com Batoré, aos 34 minutos, desviando bola na pequena área e indo para o abraço.

Registro triste

Meia hora após o jogo, uma confusão. O técnico do Fortaleza, Vilmar Assunção, acusou uma torcedora do time do Santíssima Trindade de ofensas racistas e acabou recebendo um tapa na cara. Os dois foram contidos. Nas redes sociais, o técnico lamentou o ocorrido e afirmou cogitar aposentadoria dos gramados da Suburbana. A torcedora acusada da ofensa, por sua parte, negou ter usado de ofensas racistas contra o treinador, dizendo ter família afrodescendente, e que se sente ameaçada ao ponto de anunciar que não irá ao jogo decisivo. Por sua vez, o treinador negou ter feito ameaças. As informações são do site Do Rico Ao Pobre.

Ficha Técnica:

Santíssima Trindade 2 x 0 Fortaleza

Estádio Parque Linear, Vila Autódromo, Cajuru, Curitiba

Santíssima Trindade: Paulo Sérgio; Baiano, Queen, Juliano e Marlon; Marcão, Jé, Lelo e Tom (Luiz Fernando); Giovani e Batoré (Wesley). Técnico: Dinei.

Fortaleza: Valderson; Piwi, Marcão, Neguinho e Dudu; Xiru, Kairo, Roberto e Willian Manfron; Cafu e Michael (Wuallysson). Técnico: Vilmar Assunção.

Arbitragem: Thiago Coltre Nogueira, Diogo Morais e Tom Gomes Rocha.

Gols: Luiz Fernando (STR, aos 28’/2.º), Batoré (STR, aos 34’/2.º).

Cartões Amarelos: Queen, Jé, Tom (STR); Marcão, Neguinho, Dudu, Kairo, Willian Manfron e Michael (FOR).

Cartão Vermelho: Kairo (FOR, aos 27’/1.º, dupla advertência).

Confira imagens da partida:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Vasco bate Trindade e entra de vez na briga por vaga

Jogadores do Vasco da Gama comemoram o gol do Tob, abrindo a vitória sobre o Santíssima Trindade

Em jogo isolado pela terceira rodada do Grupo B da Série B da Suburbana, na tarde de quinta-feira (7), no Pedro de Almeida, o Vasco da Gama superou o Santíssima Trindade por 2 a 1 e entrou de vez na briga por uma vaga no mata-mata da competição. Tob e Rafa fizeram os gols do Cruzmaltino do Pilarzinho, enquanto que Marcão fez o gol do time do Cajuru.

O resultado coloca o Vasco na quinta colocação, fora da zona de classificação, mas com os mesmos cinco pontos do Santíssima Trindade, quarto colocado e último que se classificaria. O que diferencia as equipes na tabela é o saldo de gols, com 4 para o Trindade e 0 para o Vasco. O líder é o Grêmio Ipiranga com nove pontos.

“Foi bom jogo, não conseguimos resultado que queríamos. Passamos por um momento difícil, mas somos um grupo unido, praticamente uma família, e daremos a volta por cima”, disse o lateral Folha após a segunda derrota seguida do Trindade. “Hoje era jogo importante, pois senão ficaria difícil. Time deles qualificado e fui feliz de sair do banco e fazer gol e assistência. Agora vamos para cima do Tanguá, outro time forte, e vamos em busca da classificação”, disse o meia Tob do Vasco.

Os dois times voltam a campo no próximo dia 16, um sábado, data que a Suburbana tem sua próxima rodada completa. O Vasco recebe o Tanguá no Erondi Silvério. O Santíssima Trindade encara o Nacional no XV de Agosto. Juvenis entram em campo às 13h30 e os adultos às 15h30.

O jogo

O duelo, que havia sido adiado pela morte do meia Rodolfo, do Santíssima Trindade, foi a única da tarde de feriado. Sob forte calor e muita poeira no gramado, o jogo começou quente e com muito choques. Em um deles, o meia Jé do Santíssima Trindade sofreu um corte atrás da orelha esquerda e passou o restante do jogo usando um curativo na cabeça.

As duas equipes pouco finalizaram na etapa inicial. No caso do Trindade, um problema que se mostrou crônico durante a partida.

Com receio de uma expulsão, o técnico Jurandir Senna sacou o lateral Pixola aos 35 minutos do primeiro tempo e colocou inicialmente o atacante Rafa no meio-campo, descolando o meia Joãozinho para a lateral-direita. No intervalo, o treinador corrigiu o posicionamento de Rafa colocando o meia Tob no lugar de Meira. Foi a chave do jogo, pois, com mais força física em um campo pequeno e seco, o Cruzmaltino passou a chegar com mais facilidade ao ataque.

O primeiro gol da partida saiu aos 11 minutos. Tob bateu falta do lado esquerdo à meia altura no canto direito de Marlon.

O segundo gol saiu aos 16 minutos, com Tob encontrando Rafa e o atacante batendo com força no canto esquerdo. Marlon chegou a tocar na bola antes dela entrar.

A resposta do Santíssima Trindade foi imediata. Aos 17 minutos, Lelo bateu torto de meia distância, mas Nando evitou a saída e cruzou da direita, Tupã escorou no segundo pau e Márcio bateu com força no canto alto de Ade.

Com o jogo aberto, os dois times passaram a se lançar ao ataque. O Vasco levando perigo nos contra-ataques e o Trindade tentando tomar a iniciativa do jogo, mas sem conseguir chutar. No lance mais polêmico do jogo, numa devolução de fair play, o goleiro Ade segurou recuo com a mão. Falta e muita reclamação, com o técnico Jurandir Senna chegando a adentrar o gramado.

Sem a 10

Em homenagem a Rodolfo, o Santíssima Trindade não está usando a camisa 10 em seus jogos da categoria adulta.

Nos juvenis, uma bola bastou para o Vasco

O gol de Nicolas, para o Vasco, decidiu a partida preliminar

Na preliminar, um gol foi o suficiente para dar a vitória ao Vasco sobre o Santíssima Trindade. Nicolas, aos 26 minutos da etapa final, aproveitando erro de saída do time do Trindade, foi o autor do tento em meio a um jogo disputado, mas limpo, sem cartão amarelo algum.

Outros aspectos que chamaram a atenção no jogo foram o calor, com direito a pausa de reidratação nos dois tempos, e os gols perdidos para os dois lados.

O resultado mantém o Santíssima Trindade na vice-liderança com nove pontos e saldo +7. O Vasco da Gama é agora o terceiro com os mesmos nove pontos, mas saldo de +2.

Ficha Técnica

Santíssima Trindade 1 x 2 Vasco da Gama

Estádio Pedro de Almeida, Bairro Alto, Curitiba

Santíssima Trindade: Marlon; Baiano, Anderson, Queen e Folha; Márcio (Wescley), Jé, Nando e Tupã; Giovani (Lelo) e Leandro. Técnico: Oscar Kirsten.

Vasco da Gama: Ade; Pixola (Rafa), Carlinhos, Luizinho e Pará; Marcelinho (Ale), Asiático, Júlio e Joãozinho; Gaúcho (Sabino) e Meira (Tob). Técnico: Jurandir Senna.

Arbitragem: José Ricardo de Souza Costa, Reube Dobrychlop dos Reis e Daniel Olívio Tschöke.

Gols: Tob (VAS, aos 11’/2.º), Rafa (VAS, aos 16’/2.º) e Márcio (STR, aos 17’/2.º).

Cartões Amarelos: Jé, Tupã (STR); Pixola, Júlio, Tob (STR).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Acidente de trabalho mata meia do Santíssima Trindade

Fora do futebol, Rodolfo, 28 anos, trabalhava com manutenção de elevadores

A Suburbana perdeu um de seus bons jogadores. Rodolfo Leon Régis Romeu Duarte, ou simplesmente Rodolfo, ou Raí, camisa 10 do Santíssima Trindade, morreu na manhã desta sexta-feira (25) aos 28 anos de idade. O jogador de futebol amador trabalhava com manutenção de elevadores e foi vítima de um acidente de trabalho em uma obra no bairro da Água Verde, em Curitiba.

Segundo informações dos portais RIC, Banda B e Rolando a bola, o operário trabalhava no fosso de uma obra comercial quando o elevador cedeu, esmagando-o sem chances de fuga. O jogador deixou esposa grávida e uma filha.

“Muito obrigado. Você foi 10 em tudo. Descanse em Paz. Que Deus conforte o coração da família e amigos. E os proteja. É muito triste sua partida pela forma que aconteceu. Não me conformo”, publicou em seu perfil no Facebook o técnico Oscar Kirsten, do Santíssima Trindade.

A Federação Paranaense de Futebol declarou luto oficial de três dias e um minuto de silêncio será observado em todas as partidas das Séries A e B da Suburbana. A entidade também adiou a partida que seria realizada neste sábado (26) entre o Santíssima Trindade e o Vasco da Gama, no Parque Linear, tanto no juvenil quanto no adulto. Uma nova data será anunciada.

1 Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Uberlândia vira sobre Nacional e segue brigando; Imperial para no Trindade, mas rodada ajuda

À esquerda, o Santíssima Trindade mostrou evolução ao bater o Imperial; À direita, o Uberlândia precisou suar muito para virar o jogo sobre o Nacional

Na rodada dupla deste sábado (17) pela Copa de Futebol Amador da Capital no Manoel Gustavo Schier, o Santíssima Trindade mostrou que poderia almejar mais se a reação na competição fosse menos tardia ao bater o então líder por pontos perdidos Imperial por 4 a 2. Como a rodada ajudou, o time do Mossunguê segue na briga, agora com um Uberlândia fortalecido ao vencer de virada e com muito suor o Nacional por 2 a 1.

O Capão Raso, mesmo batido pelo Bangu por 1 a 0, segue líder por pontos ganhos, 17, podendo ter o TJD pela frente por escalação irregular, e jogando apenas uma partida mais podendo alcançar apenas 20. O Nova Orleans, que folgou na rodada, comemorou ao seguir na vice-liderança com 16 pontos, mesmo número do Bangu, que tem saldo de gols menor. O Imperial estacionou nos 15 pontos, caiu para a quarta posição e agora tem a companhia do Uberlândia, que tem uma vitória  a menos. O Palmeirinha é o sexto com 14 pontos e o Grêmio Ipiranga subiu para 13 pontos na tabela. Todos os sete primeiros seguem com chance de título, o que dá a promessa de muita emoção nas duas rodadas que restam. O Santíssima Trindade foi a 12 pontos, mas só alcança 15, pois ainda não folgou. Seguem Nacional com sete pontos, União Ahu com quatro e Shabureya ainda zerado.

Os quatro times que estiveram em campo nos jogos que acompanhamos voltam a campo no próximo sábado (24), todos em jogos de fundo, às 15h30. O Imperial pega o Palmeirinha em duelo direto no Elba de Pádua Lima. Santíssima Trindade e Nacional se enfrentam no Parque Linear, na despedida do Trindade da competição. E o Uberlândia será recebido pelo União Ahu no Ricardo Halick.

Em alta, Santíssima Trindade para Imperial

Já sem chances de título, o Santíssima Trindade confirmou a boa reta final ao bater o Imperial, então líder por pontos perdidos, por 4 a 2, embolando mais ainda a competição. O destaque ficou para o bom aproveitamento na bola parada na etapa final do time do Cajuru.

O Santíssima Trindade começou o jogo sufocando a saída de bola do time do Imperial, afetando a produtividade do meio-campo adversário. Quando a defesa intensa não funcionava, o ataque do Imperial parava na falta de pontaria ou no bom goleiro Paulo.

O Trindade saiu na frente aos 35 minutos da etapa inicial, após boa trama concluída por Raí.

Na segunda etapa, o lateral-esquerdo Adson, do Imperial, foi expulso por segunda advertência, deixando o Santíssima Trindade com mais espaço. Aos 14 minutos, Giovani converteu cobrança de pênalti e aumentou a vantagem.

Aos 34 minutos, o jogo parou ao ficar sem bolas. Todas as quatro disponibilizadas haviam caído fora do estádio, demorando cerca de cinco minutos para que uma retornasse. Foi após a parada, aos 41 minutos, que Matheus finalizou bem do lado esquerdo para diminuir para o Imperial.

No entanto, aos 43, o Santíssima Trindade voltou a ter dois gols de vantagem em cobrança de falta esquinada de Tupã, no lado esquerdo, surpreendendo o goleiro Jardam, que substituiu o lesionado Júlio.

O Santíssima Trindade aumentou aos 45 minutos, com uma pancada de Lelo em cobrança de falta. A bola chegou a tocar a trave antes de entrar na gaveta.

Com a longa paralisação anterior deu tempo de Rodrigo Pelezinho chutar da entrada da área para diminuir para o Imperial. O relógio marcava impressionantes 52 minutos de jogo.

“A gente precisava da vitória e ela não veio. Trabalhar essa semana para nos recuperar e tentar o título”, disse Pelezinho após o jogo.

“Últimos quatro jogos vencemos três, o time vem numa crescente. Professor Oscar dando confiança para quem tá chegando. Conseguimos botar bola no chão. Pena que acordamos tarde na competição, mas tem sido um ótimo pré-treino para a Suburbana que está vindo”, analisou Tupã.

Uberlândia vira sobre Nacional em cima da hora e mantém-se vivo

Pela segunda rodada seguida, o Uberlândia sofreu um gol cedo e teve de correr atrás da reversão. Desta vez, diferentemente da semana passada, a equipe conseguiu seu objetivo e bateu o Nacional por 2 a 1, mantendo-se vivo na briga pelo título.

O Nacional conseguiu marcar em seu primeiro ataque, aos 7 minutos, com Nycollas recebendo lançamento de Fernandinho e deslocando Giraia.

O gol fez o time do Uberlândia partir para cima e esbarrar numa defesa bem montada do Nacional, que defendia em números e levava perigo ao ataque, como no lance em que Giraia fez um grande defesa em outra estocada de Nycollas.

A equipe da casa seguiu martelando até conseguir um pênalti no apagar das luzes do primeiro tempo. Juliano bateu aos 47 minutos e igualou a partida.

Na segunda etapa, o Uberlândia seguiu tentando a virada, enquanto que o Nacional apostava numa defesa bem postada e uma saída rápida para o ataque. Opção bem clara ao colocar o “experiente” Juninho (se considerar que maioria da equipe ronda os 20 anos), que teve boa chance de desempatar e deu algum trabalho à defesa, apesar de claramente ainda não estar na melhor forma após longo tempo convivendo com lesões.

O Uberlândia passou a apostar na presença física do centroavante Dinda, que começou o jogo do banco. E foi num lance que Dinda puxou a marcação que Luan Santos acertou a trave.

As coisas pareciam que iam piorar para o Uberlândia quando Luanzinho tomou o segundo amarelo foi expulso aos 43 minutos. No entanto, logo depois, aos 44, Paulinho recebeu lançamento em diagonal e entrou para bater e virar a partida.

O lance gerou reclamações do time do Nacional, que pediu impedimento. Do ângulo da reportagem, um pouco melhor que o banco do Nacional e ligeiramente pior que o do assistente Euclides Lucas José Garcia, Paulinho saiu em diagonal em posição legal. Barney acabou levando cartão vermelho por reclamação após o lance.

“Jogo favorável para gente. Segundo tempo deu impedimento que não acontecendo e deu não deu impedimento que teve e eles fizeram o gol e não tivemos como reverter”, reclamou Nycollas do Nacional.

“Partida pegada. Rapaziada do Nacional de parabéns, time novo com muito futuro pela frente. Fui feliz com uma bola que sobrou e fazer o gol da vitória”, disse Paulinho do Uberlândia.

Warfare?

Após ter sido multado por não tocar Hino Nacional (!?) e por presença de imprensa (!?), o Uberlândia foi novamente autuado por não executar o Hino Nacional antes de sua partida. A questão que fica é: nenhuma outra equipe foi denunciada pelo mesmo e tal execução raramente ocorre em jogos no Amador (exceções são finais e um jogo de abertura específico). Ou a FPF passa a cobrar todos ou não cobra mais ninguém. No primeiro caso, poderia até produzir um manual dando padrões para as equipe e sugerindo recursos para que possam fazer o cerimonial, lembrando que fatalmente os jogos atrasariam, pois nem sempre há muito tempo entre as preliminares e os jogos de fundo.

Ficha Técnica das partidas:

Rodada dupla no Estádio Manoel Gustavo Schier, Vila Uberlândia, Novo Mundo, Curitiba

Imperial 2 x 4 Santíssima Trindade

Imperial: Jardam; Matheus, Leonardo, Edson e Adson; Zeti, Japa (Dennis), Giovani (Galo) e Arroz (Caíque); Douglas (Murilo) e Fernandinho (Rodrigo Pelezinho). Técnico: Pastor Serafim.

Santíssima Trindade: Paulo; Bahia, Anderson, Marlon e Folha; Marcão, Jé (Edu), Tupã e Raí (Nícolas); Giovani e Luan (Lelo). Técnico: Oscar Kirsten.

Arbitragem: Régis Eduardo da Silveira, Euclides Lucas José Garcia e Danilo Padilha Porse

Gols: Raí (STR, aos 35’/1.º), Giovani (STR, aos 14’/2.º), Matheus (IMP, aos 41’/2.º), Tupã (STR, aos 43’/2.º), Lelo (STR, aos 45’/2.º), Rodrigo Pelezinho (IMP, aos 52’/2.º)

Cartões Amarelos: Jardam, Matheus, Leonardo, Adson, Giovani, Dennis (IMP); Paulo, Folha, Jé, Raí, Lelo (STR).

Cartão Vermelho: Adson (IMP, aos 13/2.º, dupla advertência).

Uberlândia 2 x 1 Nacional

Uberlândia: Giraia; Luizinho (Baiano), Luan Santos, Alex Paiva e Allan; Nepo, Radamés (Mateus), Mineiro (Paulinho) e Luanzinho; Kiki (Dinda) e Juliano. Técnico: Joãozinho Ribeiro.

Nacional: Ricardo; Cris, Fontelli, Evandro e Gustavo; Barney, Jefferson (Guilherme Santini), Douglas (Vitor) e Fernandinho; Luquinhas (Lucas Menor) e Nycollas (Juninho). Técnico: Alemão.

Arbitragem: Lucas Kirchner Bello, Euclides Lucas José Garcia e Danilo Padilha Porse

Gols: Nycollas (NAC, aos 7’/1.º), Juliano (UBE, aos 47’/1.º), Paulinho (UBE, aos 45’/2.º)

Cartões Amarelos: Allan, Radamés, Luanzinho, Paulinho (UBE); Cris, Gustavo, Barney, Jefferson (NAC).

Cartões Vermelhos: Luanzinho (UBE, aos 43’/2.º, dupla advertência), Barney (NAC, aos 45’/2.º, reclamação).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Em tarde tumultuada, Trindade vence e clássico termina empatado sob suspeita de fraude

À esquerda, o delegado Francis Bacon comunica ao árbitro Maykon Brito de Freitas a possibilidade de fraude na escalação do Capão Raso. À direita, Santíssima Trindade e Shabureya fizeram um jogo com muitas reclamações da arbitragem

A rodada inaugural da Copa de Futebol Amador da Capital no Parque Linear, sábado (21) à tarde, ainda dará muito o que falar. Na preliminar, o clássico entre Uberlândia e Capão Raso terminou empatado em 3 a 3 num duelo com duas viradas de placar, mas deverá ter desdobramentos no tapetão, pois o Capão Raso terá quase certamente de enfrentar a acusação de ter escalado dois jogadores irregulares usando os documentos de outros, arriscando a perder pontos na competição já na largada. No jogo de fundo, o Santíssima Trindade, dono da casa, venceu o caçula ninja Shabureya de virada por 2 a 1, num duelo nervoso com três expulsões e reclamações em lances de impedimento e nos pênaltis marcados e não marcados.

A rodada terminou com o Santíssima Trindade na terceira posição com três pontos, Capão Raso e Uberlândia dividindo a quinta colocação com um ponto e o Shabureya no oitavo posto sem nenhum. Na próxima rodada, sábado, dia 29, Shabureya e Capão Raso se encontram no Manoel Gustavo Schier às 13h30, mesmo local que o Uberlândia volta a campo, às 15h30, contra o líder Nova Orleans. O Santíssima Trindade vai até o Elba de Pádua Lima, às 15h30, e encara o lanterna Palmeirinha.

Difícil de sair

A preliminar entre Uberlândia e Capão Raso apresentou um Uber começando com goleiro improvisado no meio e um Capão Raso sem reservas. O Tricolor de Aço, nos primeiros minutos, mostrou extrema dificuldade em sair jogando da defesa, com muitos passes errados provocados pela marcação com pressão do Uberlândia na saída de bola. Foi assim que, aos 17 minutos, o Uberlândia conseguiu uma falta frontal e Luanzinho bateu com precisão para abrir o placar para o time do papagaio.

A primeira virada

O gol fez o Capão Raso ir para a frente. Aos 26 minutos, o Tricolor de Aço arranjou uma falta na direita. Wagner teve sagacidade suficiente para bater direto e surpreender o goleiro Gaúcho, empatando o jogo.

A virada do Capão veio logo aos 31 minutos com uma bola cruzada na área que resultou na infelicidade do zagueiro Alex Paiva, que mandou contra as próprias redes.

A segunda virada

Para o segundo tempo, o Uberlândia voltou com o lateral-esquerdo Alan, que havia chego mais tarde, no lugar do goleiro improvisado de volante Jiraya. Alan entrou voando e fez o Uber crescer no jogo. A nova virada virou questão de tempo e foi relâmpago com duas bolas sobrando no meio da área. A primeira, aos 12 minutos, foi para Kiki. A segunda, aos 14 minutos, encontrou o pé de Boca. No entanto, os atacantes da equipe desperdiçaram pelo menos três chances claras de definir a partida.

O tumulto e a suspeita de fraude

Enquanto isso, o delegado da partida, Francis Bacon, notou uma possível fraude na escalação do Capão Raso quando à identidade dos meias Carlos Eduardo e Igor Sales. Ao pedir novamente os cartões à comissão técnica e à diretoria do Tricolor de Aço, recebeu uma negativa. Assim, pediu a paralisação da partida aos 18 minutos da etapa final e entrou em contato com o suporte jurídico da Federação Paranaense de Futebol (FPF) enquanto que o árbitro Maykon Brito de Freitas contatou o presidente da comissão de arbitragem, Afonso Vítor de Oliveira, para saber quais as medidas cabíveis e evitar futuros problemas para eles no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD).

Neste meio tempo, o delegado fotografou os jogadores cuja identidade está sob suspeita. A informação deverá constar na súmula da partida e deverá levar o Capão Raso a julgamento caso a promotoria do TJD confirme a fraude cruzando a imagem dos atletas com as informações que constam no BID e no cartão de identificação da entidade. Caso seja punido, o Capão Raso deve perder quatro pontos, fora possíveis multas e outros desdobramentos, pois a acusação neste caso cai no crime de falsidade ideológica.

Após dez minutos, a arbitragem recebeu o aval e o jogo pôde continuar, com o tempo corrido somado aos acréscimos.

Quem não faz…

O desperdício de chances do Uberlândia custou caro. Com o jogo indo até os 59 minutos do segundo tempo, dez de paralisação mais quatro de acréscimos, deu tempo para o empate do Capão Raso. Wagner cobrou pênalti aos 51 minutos para alcançar o placar de 3 a 3. Ainda deu tempo de uma expulsão, a do lateral-direito Alex, do Capão Raso, aos 56 minutos, após segunda falta para amarelo.

O resultado gerou satisfação por parte dos dois treinadores. “Viemos com a base apenas do ano passado sem os reforços. Foi uma estreia razoável. Capão Raso fez as oportunidade que teve, e nós perdemos muitas e acho que o resultado foi justo pelo que apresentaram”, afirmou o técnico do Uberlândia, Joãozinho Ribeiro. “Fizemos baita jogo. Independente de erro de arbitragem, se o gol deles estava impedido ou não, mas o resultado foi justo pelas duas equipes que lutaram”, completou o técnico do Capão Raso, Júnior Saurim.

Ninjas à toda

No jogo de fundo entre Santíssima Trindade e Shabureya, o time visitante começou à toda. Usando bem os lados do campo, o time citroalvinegro conseguiu chegar à abertura do placar logo aos 13 minutos de jogo. O lateral-direito Bolinha arrancou pelo flanco e bateu cruzado, surpreendendo o goleiro Jeci.

O Trindade tinha dificuldade de chegar e viu as coisas se complicarem com a expulsão de Lelo aos 41 minutos após segundo cartão amarelo.

Falha nossa

Confiamos demais na tecnologia e ela nos deixou na mão. No fim do primeiro tempo do jogo de fundo, nossa bateria de celular morreu. Pior: o carregador reserva também acabou, em mais uma comprovação empírica da Lei de Murphy. Sendo assim, ficamos devendo imagens do segundo tempo da partida.

Visitante de quatro patas

E justamente no segundo tempo da partida, um visitante rondou o campo. Mesmo sob esforço da arbitragem, o cão não deixou o gramado. Sorte do espetáculo que ele ficou restrito maior parte do tempo à linha de lado. Em certo momento, até deu uma saída, mas voltou para conferir o espetáculo como se fora ponta-direita do time local.

Para ver como foi real, o cão esteve boa parte da segunda etapa na linha de lado (Foto: Bueno Jonas). Deixamos aqui o nosso sincero agradecimento pela imagem

Virada e polêmica

Durante a partida, os dois times se irritaram bastante com a marcação de diversos impedimentos. Aos 14 minutos, o árbitro Jhonathan Fossa da Cruz marcou pênalti em toque de mão de Bolinha. O autor do gol do Shabureya já tinha amarelo e acabou sendo expulso, deixando dez homens para cada lado. Aos 15 minutos, Rodolfo bateu com categoria e empatou a partida deslocando o goleiro Homero.

O Shabu passou a apostar nas subidas do bom volante/lateral Vermelho, enquanto que as respostas do Santíssima Trindade se concentravam no incisivo lateral Baiano. Logo após o gol de empate, houve um lance de pênalti a favor do Santíssima Trindade não marcado, considerado mais acintoso pelo próprio banco do Shabureya que o pênalti marcado.

A polêmica maior veio aos 29 minutos com o pênalti marcado em toque atribuído a Tchesco. O zagueiro do Shabureya mostrou em vão a marca de bolada na barriga ao árbitro, que manteve a decisão. Rodolfo repetiu a cobrança rigorosamente igual à primeira e colocou o Trindade em vantagem no placar.

No final da partida, aos 45 minutos, Felipe do Santíssima Trindade foi expulso direto por entrada por trás, deixando o time da casa com nove atletas durante o período de acréscimos.

“Fizemos bom jogo diante do Shabureya e conseguimos sair com virada com dois gols no segundo tempo”, analisou o técnico estreante do Santíssima Trindade, Oscar Kirsten, que substitui Jean Pierre, que se tornou vice-presidente do clube. “O time começou bem. Caímos na pressão dos caras. É difícil jogar aqui. A gente se perdeu. Não podemos falar de arbitragem, mas prejudicou. Muitos atletas jovens sentiram, mas é um grupo que vai crescer muito e foi bem hoje”, afirmou Pepe, técnico do Shabureya.

Arco-íris

Uma chuva fraca caiu nos minutos finais da partida e exatamente ao apito final, um frondoso arco-íris apareceu no Parque Linear. Infelizmente não temos a imagem do fenômeno, que acompanhou o pôr do sol no sentido contrário.

Ficha técnica das partidas:

Rodada dupla no Parque Linear, Cajuru, Curitiba

Uberlândia 3 x 3 Capão Raso

Uberlândia: Gaúcho; Luan, Thiagão, Alex Paiva e Luizinho; Nepo, Jiraiya (Alan), Juliano (Marlon) e Luanzinho; Boca e Kiki. Técnico: Joãozinho Ribeiro.

Capão Raso: Gênesis; Alex, Diego Couto, Jean e Bruninho; Carlos Eduardo*, Igor Sales*, Lipe e Wagner; Luan e Jackson. Técnico: Júnior Saurim.

* Jogadores com identidade sob suspeita

Arbitragem: Maykon Brito de Freitas, Reube Dorychlop dos Reis, Simone Nascimento.

Gols: Luanzinho (UBE, 17’/1.º), Wagner (CRA, aos 26’/1.º, aos 51’/2.°), Alex Paiva (contra, a favor do CRA, aos 31’/1.º), Kiki (UBE, aos 12’/2.º), Boca (UBE, aos 14’/2.º)

Cartões Amarelos: Nepo, Kiki, Alan (UBE); Alex, Jean, Carlos Eduardo, Igor Sales, Jackson (CRA).

Cartão Vermelho: Alex (CRA, aos 56’/2.º, dupla advertência)

Santíssima Trindade 2 x 1 Shabureya

Santíssima Trindade: Jeci; Baiano, Folha, Juliano e Lelo; Marcão, Lelê, Henrique (Du Love) e Rodolfo; Wesley (Júnior) e Tom (Felipe). Técnico: Oscar Kirsten.

Shabureya: Homero; Bolinha, Cleber, Tchesco e China; Vermelho, Murian (Herisson), Gibson e Matheus (David); Wesclei (Guto) e Felipe (Neguinho). Técnico: Pepe.

Arbitragem: Jhonathan Fossa da Cruz, Simone Nascimento e Reube Dobrychlop dos Reis.

Gols: Bolinha (SHA, aos 13’/1.º), Rodolfo (STR, aos 15’/2.º, aos 29’/2.º).

Cartões Amarelos: Lelo, Du Love (STR); Bolinha, Tchesco, China, Vermelho (SHA).

Cartões Vermelhos: Lelo (STR, aos 41’/1.º, dupla advertência), Bolinha (SHA, 14’/2.º, dupla advertência), Felipe (STR, aos 45’/2.º, vermelho direto por entrada por trás).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

2 Comments

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Santíssima Trindade e Fortaleza empatam em duelo emocionante

Empate entre Santíssima Trindade e Fortaleza foi um bom jogo para ser assistido, mas resultado tirou mandantes da liderança e afastou visitantes do G8

Empate entre Santíssima Trindade e Fortaleza foi um bom jogo para ser assistido, mas resultado tirou mandantes da liderança e afastou visitantes do G8

Num jogo em que os dois times buscaram o gol na maior parte do tempo, na tarde deste sábado (17), no Parque Linear, Santíssima Trindade e Fortaleza empataram por 2 a 2. Os gols do Santíssima Trindade foram marcados por Robson e Hassan, enquanto Piuí e Michel marcaram para o Fortaleza.

Se o jogo pode ser elogiado por quem assistiu, os efeitos do resultados não foram dos melhores para as equipes. O empate fez o Santíssima Trindade se manter como o único invicto da Série B da Suburbana, graças a um gol aos 41 minutos do segundo tempo, chegando aos 21 pontos, mas o retirou da liderança, sendo ultrapassado pelo Vila Sandra, que tem 22 e estando atrás do Palmeirinha no número de vitórias. O Fortaleza, que entrou na rodada distante apenas dois pontos do G8, viu a diferença aumentar para quatro pontos. O time do Jardim Gabineto tem agora sete pontos e é o 11.º na tábua de classificação.

Autor do gol decisivo da partida, Hassan, que é uma espécie de 12.º jogador do técnico Jean Pierre, ressaltou a força do adversário. “Foi um jogo difícil e sabíamos da dificuldade da partida. Time deles vem de maus resultados, mas é uma equipe muito forte. Joguei com alguns deles. Felizmente tive a oportunidade de fazer um gol e manter a equipe invicta. A gente está aqui para ajudar o grupo no que precisar aqui. Não foi uma bela partida nossa, mas o que importou foi a raça”, analisou o camisa 13, que na temporada atuou até de goleiro quando foi necessário.

“Na verdade, estamos numa fase muito difícil em que as coisas não vem dando muito certo. Os caras chegam e nos matam. Fui abençoado com um gol e precisamos trabalhar para as coisas boas poderem acontecer. Está faltando um pouco de sorte, o time tem tido raça, mas a pressão da torcida e dentro do campo vem atrapalhando um pouquinho na  hora da conclusão. Tivemos chances de matar o jogo e não concluímos, aí tomamos o empate”, disse Michel, autor do segundo gol do Fortaleza.

A próxima rodada é no próximo sábado, dia 24. Os juvenis entram em campo às 13h30 e os adultos às 15h30. O Santíssima Trindade enfrenta o sétimo colocado, Grêmio Ipiranga, no Elba de Pádua Lima. O Fortaleza recebe o lanterna Diamante no Antonio Monteiro Sobrinho.

O jogo

A partida começou com o Santíssima Trindade tentando impor seu jogo de toque de bola e o Fortaleza pecando na armação pelo meio, mas levando muito perigo nas estocadas do veloz lateral-direito Piuí (que boa parte da partida foi um atacante). Apenas 20 minutos bastaram para o técnico Gilmar Assunção, irritado, sacasse o camisa 10 Roberto e colocasse Michel.

Com 21 minutos, o Santíssima Trindade saiu na frente em jogada de bola parada que gerou um bate e rebate e a conclusão de Robson.

A resposta do Fortaleza não demorou. Piuí apareceu como elemento surpresa na área aos 27 minutos, girou e bateu como um centroavante. O goleiro Hyuri chegou a tocar na bola, mas não conseguiu evitar o gol.

O jogo então tornou-se disputado no meio com Baiano e Leandro sendo as principais válvulas do Trindade e Piuí e Fernandão aparecendo mais pelo time do Fortal.

Para o segundo tempo, o técnico Jean Pierre perdeu Fumaça lesionado e botou mais força física no ataque com Fernando. O jogo manteve-se equilibrado.

Aos 18 minutos, no entanto, veio a virada do Fortaleza, com Michel aproveitando cruzamento de peixinho. O gol foi bastante comemorado pelo banco do time do Gabineto, ainda mais que havia a reclamação expressa do técnico pelo fato da equipe não ter marcado um gol de cabeça sequer na competição e ele finalmente veio.

Aos 19 minutos, entrou em campo Hassan, desta vez revezando com Luciano, que entrou ao mesmo tempo, entre a lateral-esquerda e a quarta zaga.

O jogo poderia ter sido decidido por Piuí aos 30 minutos, quando o ala atravessou parte do campo fazendo fila, cortou para dentro e chutou. A zaga desviou e evitou o terceiro gol do Fortaleza.

Então, o Santíssima Trindade partiu para a blitz, pressionando o Fortaleza, que passou a ter dificuldades de sair de seu campo defensivo. O empate salvador saiu aos 41 minutos, em falta cobrada da direita que encontrou Hassan livre para cabecear e ir para a comemoração.

Nos juvenis, Trindade vence por 2 a 1

Na preliminar de juvenis, o Santíssima Trindade bateu o Fortaleza por 2 a 1 e chegou aos 19 pontos, o que corresponde à terceira posição. O Fortaleza parou nos sete pontos e é o 11.º.

Nicolas foi o nome do jogo. O centroavante do Trindade marcou aos 6 minutos do primeiro tempo e depois no primeiro minuto da etapa final. Thiaguinho descontou para o Fortaleza aos 31 minutos da etapa final.

Ficha Técnica:

Santíssima Trindade 2 x 2 Fortaleza

Santíssima Trindade: Hyuri; Baiano, Dio, Kuim e Robson (Luciano); Marcão, Du (Hassan), Fumaça (Camilo) e Rodolfo; Tom (Fernando) e Leandro (Wesley), Técnico: Jean Pierre.

Fortaleza: Paulo; Piuí, Testa, Gustavo e Douglas; Neguinho, Cairo (Greg), William Manfron e Roberto (Michel); Fernandão e Hítalo. Técnico: Gilmar Assunção.

Arbitragem: Thiago Coltre Nogueira. Alexandro Euzébio da Silva e Daniel Olívio Tschöke.

Gols: Robson (STR, aos 21’/1.º), Piuí (FOR, aos 27’/1.º), Michel (FOR, aos 19’/2.º), Hassan (STR, 41’/2.º).

Cartões Amarelos: Dio, Kuim, Camilo (STR); Testa, Cairo, William Manfron, Fernandão, Michel (FOR).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Jogo entre Santíssima Trindade e Capão Raso é cancelado

SantXCraso

Sem chances de classificação, equipes cancelaram duelo em comum acordo

Já sem chances de classificação e em um jogo que não influenciaria em nada a tabela futura, Santíssima Trindade e Capão Raso decidiram cancelar o duelo que ocorreria sábado (7), às 14 horas, no Octávio Silvio Nicco, no Mossunguê, Pela Copa de Futebol Amador da Capital. O cancelamento em comum acordo de jogos que não tenham mais serventia para classificação e definição de pontuação de fases futuras é previsto em regulamento e pode ser feito em comum acordo entre as equipes.

Com isso, a rodada terá apenas cinco jogos, sendo os três originalmente programados para o Grupo B, incluindo o jogo de fundo entre Uberlândia e Imperial no mesmo estádio, e os dois jogos remanescentes do Grupo A, que termina com Capão Raso em quinto e o Santíssima Trindade em sexto. Eis a tabela original (ainda com o jogo cancelado). Isto é o que cada time precisa, ainda constando o duelo cancelado.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Vila Fanny e Grêmio Ipiranga vencem em tarde de 14 gols no Parque Linear

Vitórias sobre Palmeirinha e Santíssima Trindade, respectivamente, deixam Vila Fanny e Grêmio Ipiranga dentro da luta por uma vaga nas semifinais

Vitórias sobre Palmeirinha e Santíssima Trindade, respectivamente, deixam Vila Fanny e Grêmio Ipiranga dentro da luta por uma vaga nas semifinais. dos times que jogaram no Parque Linear, Palmeirinha também segue na briga

Em uma tarde de sábado (23) cheia de gols no Estádio Parque Linear, Vila Fanny e Grêmio Ipiranga se saíram melhor que Palmeirinha e Santíssima Trindade, respectivamente, conquistando importantes vitórias no Grupo A da Copa de Futebol Amador da Capital.

As coincidências na rodada dupla de 14 gols foram os placares de 5 a 2, mas terminam aí em partidas com histórias distintas. Com nove pontos, o Vila Fanny depende apenas dele para se classificar. Com seis pontos, Grêmio Ipiranga e Palmeirinha têm confronto direto e precisam torcer contra o Fanny na última rodada. Zerado em número de pontos, o Santíssima Trindade apenas cumpre tabela.

A Copa de Futebol Amador pula uma semana e os times voltam a campo no dia 7 de maio. Às 14 horas, no Octávio Sílvio Nicco, o Santíssima Trindade cumpre tabela contra o Capão Raso. É o mesmo horário do duelo entre Grêmio Ipiranga e Palmeirinha na Arena Vermelha. Às 16 horas, no mesmo estádio, o Vila Fanny joga por um empate para se classificar diante do Novo Mundo.

Virada à moda Fanny

Em quatro jogos, o Vila Fanny saiu atrás em três deles. E agora conquistou sua segunda vitória de virada. Desta vez, o alvirrubro tomou dois gols e conseguiu uma recuperação em um expressivo 5 a 2. Curiosamente, ninguém fez mais que um gol na partida.

Na primeira meia  hora, o Palmeirinha, que tem praticamente a mesma base desde 2000 (isso mesmo, você não está lendo errado), dominou. Aos 19 minutos, Nícolas acertou um belo chute na gaveta de Flávio. A equipe do Tatuquara aumentou aos 25 minutos com Dolinha completando jogada à meia altura. Parecia que o Palmeirinha iria fazer uma goleada, mostrando-se perigoso em lances de ataque.

Porém, o vento começou a virar aos 31 minutos, quando Guelo aproveitou cruzamento e diminuiu para o Vila Fanny. O empate veio logo depois aos 33 minutos, com o zagueiro-artilheiro Lela, aproveitando jogada de cabeça.

O segundo tempo começou com o vento realmente a favor do Vila Fanny, que começou a usar isso a favor em cobranças de escanteio que deram trabalho ao goleiro Anderson. A virada, no entanto, veio por meio de outro zagueiro, Elísio, aos 16 minutos. Anderson ampliou aos 40 e Coutinho, de pênalti, fechou o placar em 5 a 2.

“Foi uma vitória importante. Nós só buscávamos os três pontos para ficar mais tranquilo. Conseguimos dar volta ao jogo. A equipe teve tranquilidade e conseguiu dar volta no placar”, disse Guelo do Vila Fanny.

“Nosso time cansou, só tínhamos cinco titulares, sem pessoal mais experiente. Só tínhamos um reserva e o pessoal mais jovem não sabe dosar o jogo. Agora é levantar a cabeça e tentar buscar algo no último jogo. Ainda temos esperança. Depende de nós ganharmos e o Novo Mundo ganhar. Só depende de nós e vamos lutar até o fim”, declarou Dolinha do Palmeirinha.

A sina continua

Um time que marca dez gols em quatro jogos tem uma boa marca, porém tudo se perde quando ele toma 17 gols nestes mesmos duelos. Aí está o drama do Santíssima Trindade, que tem uma rodada e depois uma intertemporada para tentar equilibrar seu time para a disputada Segundona da Suburbana. O Grêmio Ipiranga, que nada ou pouco tem a ver com isso, aproveitou e venceu bem por 5 a 2, mantendo suas chances de classificação.

O jogo começou com muitos erros de passe e finalização. O Santíssima Trindade mostrava dificuldades na saída de bola e o Grêmio Ipiranga esteve bastante ansioso até conseguir marcar. O gol inaugural foi de Cafu, aos 43 minutos da etapa inicial.

No segundo tempo, foi a vez do atacante Sena, do Grêmio Ipiranga brilhar. Ele aumentou o placar com dois gols, aos 10 e aos 23 minutos. O Trindade respondeu aos 30 minutos com Leandro, de pênalti, e com Queen aos 40 minutos, encostando no placar. Mas o time local tomou alguns baldes de água fria perto do fim, quando pressionava, com gols de Geovane, aos 42, e de Leandro, o do Grêmio Ipiranga, aos 47, finalizando o marcador.

“A gente sabia que tinha chance e veio determinado buscar a vitória. Qualquer um porcento, a gente briga. Não estamos na competição à toa. Viemos de dois resultados negativos e viemos aqui para entrar na briga”, afirmou Sena, autor de dois gols para o time do Grêmio Ipiranga.

“A gente desde o primeiro jogo o ataque bem, mas a defesa ainda está sem entrosamento. Vamos tentar acertar a defesa do time. Vamos arrumar e preparar para a Suburbana”, concluiu Leandro do Santíssima Trindade.

Bolada intermunicipal

Localizado muito próximo à divisa com Pinhais, o Estádio Parque Linear, casa do Santíssima Trindade, permite algo anetódico: que a bola possa ser chutada de Curitiba, cruzar o Rio Atuba e cair em outro município.

Fim de semana no parque

Como o nome sugere, o estádio fica anexo a um parque construído para preservar a mata ciliar do Atuba e, mais abaixo, o Iguaçu, que nasce das águas do próprio Atuba e do Iraí. Como todo bom fim de semana ensolarado, havia perto do campo gente empinando pipa, crianças pulando em uma cama elástica e até um palco montado ali perto.

Ficha Técnica das partidas:

Rodada dupla no Estádio Parque Linear, Cajuru, Curitiba

Vila Fanny 5 x 2 Palmeirinha

Vila Fanny: Flávio; Lela, Elísio, Anderson; Buiú (Walisson), Anderson (Marquinhos), Cicinho (Alex), Guelo e Bruninho; Leco (Géder) e Coutinho. Técnico: Nego.

Palmeirinha: Anderson; Thiago, Valdecir e Polaco; Jô (Guilherme), Celo, Romarinho e Nicolas; Dolinha, Marquinhos e Nicolas. Técnico: Daniel Jorge.

Arbitragem: Marcos William C. Cabreira, Alessandro Antonio Gonçalves e Alexsandro Euzebio da Silva.

Gols: Nicolas (PGG, aos 19’/1.º), Dolinha (PGG, aos 25’/1.º), Guelo (VFA, aos 31’/1.º), Lela (VFA, aos 33’/1.º), Elísio (VFA, aos 16’/2.º), Anderson (VFA, aos 40’/2.º), Coutinho (VFA, aos 45’/2.º).

Cartões Amarelos: Anderson (VFA); Jô, Carlão, Dolinha, Nícolas (PGG)

Santíssima Trindade 2 x 5 Grêmio Ipiranga

Santíssima Trindade: Eliseu (Juliano); Bahia, Dill, Queen e Robson; Tom (Alessandro), Marcão (Marcos), Chicletinho (Guilherme) e Erick; Leandro e Euller (Waltinho, depois Wesley). Técnico: Jean Pierre.

Grêmio Ipiranga: Thiago; Moura, Daniclei, Anderson e Flavinho; Clé (Jonathan), Laguna (Leandro), Gustavo e Fabinho (Geovane); Sena e Cafu (William). Técnico: Gian Balaban.

Arbitragem: Adelmo Ferreira dos Santos, Alessandro Antonio Gonçalves e Alexsandro Euzebio da Silva.

Gols: Cafu (GRI, aos 43’/1.º), Sena (GRI, aos 10’/2.º, aos 23’/2.º), Leandro (STR, aos 30’/2.º), Queen (STR, aos 40’/2.º), Geovane (GRI, aos 42’/2.º), Leandro (GRI, aos 47’/2.º).

Cartões Amarelos: Robson, Dill, Marcão (STR); Gustavo (GRI).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

1 Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro