Tag Archives: Uberlândia

Uberlândia e Santa Quitéria empatam em jogo de três expulsões

Jogo no Manoel Gustavo Schier foi extremamente extenuante para as duas equipes, que seguem no G8

Quem foi conferir o jogo dos adultos entre Uberlândia e Santa Quitéria não viu gols, mas viu um jogo que começou nervoso e terminou no limite físico dos atletas. A partida de sábado (16), no Manoel Gustavo Schier,  teve três expulsões, muitos atendimentos médicos, duas bolas na trave e dois goleiros na conta dos lances mais belos do jogo. O placar de 0 a 0 serviu para que o Uberlândia e Santa Quitéria estacionassem nas mesmas posições que começaram a rodada: oitavo e sexto, respectivamente.

“Foi um jogo equilibrado. Eles como favoritos. Todos sabem qualidade deles e as nossas. As expulsões prejudicaram as duas equipes e mesmo com um jogador a mais não conseguimos fazer nossa vantagem”, disse o goleiro Giraia do Uberlândia. “Atrapalhou um pouco nossa equipe. Campo pequeno, mas bom de jogar. Fiz duas bolas na trave que o goleiro iria pegar. A primeira expulsão, acho que o árbitro errou, pois foi mão no peito e simulação. A segunda foi uma discussão boba de lance que tinha parado. Neste calor, com um a mais, ficou difícil correr atrás do resultado”, disse o goleiro Jonas do Uberlândia.

Os dois times voltam a campo no próximo sábado (23), com os juvenis em campo às 13h30 e os adultos às 15h30. O Santa Quitéria recebe o Nova Orleans no Maurício Fruet. O Uberlândia viaja até o Francisco Muraro para enfrentar o Trieste.

O jogo

O primeiro susto do jogo foi no primeiro lance. Em jogada de escanteio, o goleiro Giraia, ao sair do gol, acertou o próprio companheiro Dinda, que precisou receber atendimento nas costas. Apesar do susto, o artilheiro do Uberlândia seguiu em campo.

Os primeiros minutos mostraram um Santa Quitéria mais articulado. Curiosamente, as duas equipe usaram bem os goleiros como último jogador de defesa. Jonas e Giraia são os dois goleiros da Suburbana que melhor utilizam o pé para jogar.

Aos 18 minutos, o primeiro lance de polêmica. Em uma disputa no ataque, o atacante Piter do Santa Quitéria acertou a mão no meito de Kaíke do Uberlândia. O árbitro Cristian Eduardo Gorski da Luz deu vermelho direto para o 9 do time visitante. Mesmo com um a menos, o time do Quitéria manteve um jogo fluido, agora baseado na ação de seus pontas. O Uberlândia apostou principalmente nas tramas entre o voluntarioso Kiki e Dinda.

Aos 31 minutos, em falta de média distância, Jonas acertou o travessão pela primeira vez.

Aos 43 minutos, falta distante um passo da área gerou discussão em que Baloy, do Santa Quitéria, e Luan Helias, do Uberlândia, foram expulsos. No lance seguinte, Jonas acertou mais uma vez o travessão.

Com dez contra nove, o jogo ganhou espaço, mas com a temperatura batendo nos 30 graus, no atípico fim de inverno curitibano, a conta foi chegando aos poucos no físico dos jogadores.

Na segunda etapa, num lance de plasticidade, o goleiro Giraia aplicou uma finta quando pressionado por Juliano, levando a torcida local ao delírio. “O lance do drible é que eu fui por muitos anos jogador de linha e uso isso como recurso”, explicou Giraia.

Apesar de ter um jogador a mais, o Uberlândia penou com o aspecto físico, pois tinha apenas seis jogadores no banco e utilizou três. Para quem viu o jogo, isso acabou equilibrando o número de atletas em campo. Kiki foi substituído sentindo a panturrilha. Quando todas as substituições foram feitas, Dinda teve câimbras, e teve de jogar os últimos minutos no sacrifício, com dificuldades de chutar e arrancar. Pelo lado do Quitéria, as principais chances foram com Jacaré, enquanto que Marlon e Nepo foram os que mais se aproximaram de abrir o placar para o time da casa. Todos sem sucesso.

Nos juvenis, melhor para o Uberlândia

Jogadores do Uberlândia comemoram o gol de Igor, o terceiro da equipe

Nos juvenis, o Uberlândia fez valer o fator casa e venceu o Santa Quitéria por 3 a 2 em duelo bastante equilibrado. O resultado colocou o time da casa na vice-liderança, enquanto que o Quitéria é o quarto colocado.

Erick, pegando rebote de cabeça, abriu o placar para o Uberlândia aos 2 minutos de jogo. Vinícius empatou para o Santa Quitéria aos 8 minutos.

O Uberlândia praticamente matou o jogo em dois minutos. Douglas marcou aos 18 e Igor aos 19 do primeiro tempo.

O Santa Quitéria teve um atleta expulso no começo do segundo tempo, mas mesmo assim não abdicou do jogo, chegando ao segundo gol com Pedrinho aos 28 minutos da etapa final.

Ficha Técnica:

Uberlândia 0 x 0 Santa Quitéria

Estádio Manoel Gustavo Schier, Vila Uberlândia, Novo Mundo, Curitiba

Uberlândia: Giraia; Charles (Baiano), Cabeça, Alex Paiva e Jadson; Nepo, Kaíke (Radamés), Juliano e Luan Helias; Kiki (Marlon) e Dinda. Técnico: Joãozinho Ribeiro.

Santa Quitéria: Jonas; Everton, Gustavo, Baloy e Lima (Gean); Russo, Luan (Jacaré), Massai e Juliano (Gustavinho); Djonatan (Edinaldo Pedra) e Piter. Técnico: Roberto Costa.

Arbitragem: Cristian Eduardo Gorski da Luz, Ivan Carlos Bohn e Marco Antonio dos Santos Pepe.

Cartões Amarelos: Cabeça, Juliano (UBE); Lima, Gean (SQT).

Cartões Vermelhos: Piter (SQT, aos 18/1.º, por acertar adversário no peito), Luan Helias (UBE) e Baloy (SQT) (Ambos aos 43’/1.º, em discussão).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Rodada Final – O que cada um precisa

Quando se anunciou que seria um turno único de pontos corridos e só, imaginou-se o risco da Copa de Futebol Amador da Capital ser decidida antes da rodada final. Ledo engano: a última rodada, neste sábado (1.º) às 15h30, chega com quatro jogos com cinco time podendo erguer a taça. Confira o que cada um precisa para chegar ao feito:

1.º Bangu – 19 pts – 6 vitórias – saldo +13 – 24 gols pró

Enfrenta: Nova Orleans no Maurício Fruet

Combinações para o título: O Bangu é o único que depende de si mesmo. Uma vitória simples garante o título. Em caso de empate, terá de torcer para o Uberlândia não vencer o Grêmio Ipiranga (superaria o Uber no número de vitórias no caso de um empate), e também contra vitórias de Palmeirinha e Capão Raso.

2.º Uberlândia – 18 pts – 5 vitórias – saldo +10 – 27 gols pró

Enfrenta: Grêmio Ipiranga no Elba de Pádua Lima

Combinações para o título: Precisa vencer e torcer para o Bangu não vencer o Nova Orleans.

3.º Nova Orleans – 17 pontos – 5 vitórias – saldo +9 – 22 gols pró

Enfrenta: Bangu no Maurício Fruet

Combinações para o título: Precisa vencer o Bangu e torcer contra vitória do Uberlândia. Além disso, terá de torcer por tropeços de Palmeirinha e Capão Raso ou para que eles simplesmente não façam mais saldo ou superem os gols marcados.

4.º Palmeirinha – 17 pontos – 5 vitórias – saldo +8 – 21 gols pró

Enfrenta: Nacional no XV de Agosto

Combinações para o título: Precisa vencer o Nacional, torcer por tropeço do Bangu e do Uberlândia e para que o Capão Raso não o supere em saldo e gols marcados, caso este também vença. Em caso de empate entre Bangu e Nova Orleans, terá de superar o saldo do Bangu. Em caso de vitória do Nova Orleans sobre o Bangu, terá de superar o saldo do Nova Orleans.

5.º Capão Raso – 17 pontos – 5 vitórias – saldo +5 – 17 gols pró

Enfrenta: Imperial no José Carlos de Oliveira Sobrinho

Combinações para o título: Precisa vencer o Imperial, torcer por tropeços de Bangu e Uberlândia e superar o Palmeirinha no saldo, caso este também vença. Em caso de empate entre Bangu e Nova Orleans, terá de superar o saldo do Bangu. Em caso de vitória do Nova Orleans sobre o Bangu, terá de superar o saldo do Nova Orleans.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro, Numeralhas

Paulinho do Uberlândia pede música após tripleta sobre o União Ahu

Paulinho do Uberlândia fez três gols contra o União Ahu na vitória por 7 a 2 no último dia 24 de junho. Sendo assim, ganhou direito de pedir música no Futebol Metrópole, inaugurando o formato vídeo da artilharia musical. O link da canção pedida está no fim do vídeo. Você deve clicar no símbolo na parte superior da tela e depois clicar no nome do vídeo.

 

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro, Metrópole Multimídia

Em tarde de goleadas, Bangu põe mão na taça e Uberlândia vira o principal desafiante

À esquerda, Bangu faz seis no Shabureya; À direita, Uberlândia faz sete no União Ahu

A tarde deste sábado (24) no Manoel Gustavo Schier foi repleta de gols pela Copa de Futebol Amador da Capital. Um total de 15 bolas na rede em duas partidas. O Bangu, novo líder, bateu o Shabureya por 6 a 0 e é o único time que depende apenas de si mesmo para ser campeão na última rodada. Seu principal desafiante é o Uberlândia, novo vice-líder, que goleou o União Ahu por 7 a 2 e agora precisa secar o Rubro-Nego enquanto tem de fazer sua parte na rodada decisiva.

O Bangu tem 19 pontos e precisa de uma vitória simples sobre o Nova Orleans para ser campeão. Caso empate, terá de torcer para que Uberlândia, Palmeirinha e Capão Raso não vençam. A missão do Uberlândia, 18 pontos, é mais difícil, pois precisa vencer o Grêmio Ipiranga e torcer para que o Bangu não vença o Nova Orleans. Um empate não serve para o Uber, pois há o confronto direto entre Bangu e Nova Orleans. O Nova Orleans, 17 pontos, é o terceiro postulante ao título e precisa vencer o Bangu, torcer contra vitória do Nova Orleans e torcer para que Palmeirinha e Capão Raso não o superem no saldo de gols. O Palmeirinha, 17 pontos, precisa vencer o Nacional, torcer contra vitórias do Uberlândia e do Bangu e ainda superar o saldo do Nova Orleans, caso este vença, e não ser alcançado no saldo pelo Capão Raso. O Capão Raso, 17 pontos, precisa vencer o Imperial, torcer contra Uberlândia e Bangu, e superar no saldo o Nova Orleans e o Palmeirinha, além de tentar se livrar no TJD das acusações de uso irregular de atletas. Dos onze times inscritos, cinco deles chegam à última rodada com alguma chance de título.

A próxima rodada, a última, no próximo sábado (1.°/7), pode ter alterações para alinhar os jogos de disputa de título em um mesmo horário. A princípio, Shabureya x União Ahu, que cumprem tabela e podem cancelar duelo, abrem a jornada no Elba de Pádua Lima, às 13h30. No jogo de fundo, o Grêmio Ipiranga recebe o postulante Uberlândia. No XV de Agosto, Nova Orleans e Bangu têm confronto direto inicialmente marcado para às 13h30, com Nacional e o postulante Palmeirinha fechando a jornada às 15h30. O único jogo solteiro da rodada, a princípio, é entre o postulante Capão Raso e o Imperial no José Carlos de Oliveira Sobrinho. A FPF tem a prerrogativa de alterar os locais e horários dos jogos caso julgue pertinente.

Bangu goleia e depende apenas de si

Na preliminar, o Bangu atropelou o lanterna Shabureya por 6 a 0. Com o tropeço do Nova Orleans, passou a ser o único time que depende de si mesmo para ser campeão.

O primeiro gol da partida foi aos 15 minutos de jogo com Zanka conferindo um bom lançamento.  Aos 17 minutos, o meia Betinho do Bangu teve de ser substituído após lesão aparentemente grave. O camisa torceu fortemente o joelho e precisou de remoção especializada para deixar o campo de jogo.

Aos 30 minutos, Valdir arrematou da entrada da área e aumentou o placar para o Rubro-Negro da Zona Oeste. Joãozinho ampliou aos 47 minutos após boa trama de ataque.

Na segunda etapa, Joãozinho, principal vetor criativo do time do Bangu, fez mais um aos 18 minutos. O Bangu teve relativa facilidade de jogar esticando jogo, qualidade bem explorada pelas características de ser um time bastante leve.

Aos 27 minutos, foi a vez de Romarinho aproveitar sua velocidade e fazer o quinto gol da partida. Ainda deu tempo para Saulinho, aproveitando rebote, aos 44 minutos, fechar o marcador em 6 a 0.

“Estamos felizes, conquistamos ótima vitória. Respeitamos a equipe deles, mas fazendo gols. Dependemos só da gente. Vamos se preparar durante a semana para ver se conseguimos este título para o Bangu”, disse Joãozinho após a partida.

“Time dos caras é bom. Nosso time é bom, não sei o que acontece, mas peca muito no começo e toma um gol atrás do outro. É difícil”, lamentou o meia Mateus do Shabureya.

Uberlândia também cumpre sua missão e vira o principal desafiante

O Uberlândia foi outro a fazer a sua parte. Após vencer o União Ahu por 7 a 2, a equipe da Zona Sul precisa vencer o perigoso time do Grêmio Ipiranga e torcer contra o Bangu na rodada final.O destaque foi o atacante Paulinho, autor de três gols. Durante a semana, nós contaremos e mostraremos a música que ele pediu.

O Uberlândia saiu na frente logo aos 3 minutos com Dinda aproveitando cruzamento rasteiro. Denis ampliou aos 16 minutos de cabeça. Na comemoração, homenageou o filho que vai nascer, colocando a bola sob a camisa.

Foi também de cabeça que Dinda fez o terceiro gol da partida, o segundo dele, aos 25 minutos. O goleiro Joe tentou defender a cabeçada feita em direção ao chão e não conseguiu.

Paulinho fez o primeiro dele no jogo, o quarto da partida, aos 45 minutos do primeiro tempo.

Na segunda etapa, o Uberlândia desacelerou um pouco o jogo. Mesmo assim, chegou ao quinto gol com Paulinho aos 12 minutos e ao sexto com uma cabeçada contra de Luciano aos 14 minutos.

Aos 31 minutos, a partida ganhou uma marca inusitada. Baiano marcou um gol contra a favor do União Ahu. Não é todo dia que vemos dois gols contra num mesmo jogo. A bola foi rebatida, bateu no pé do lateral e encobriu Giraia.

Aos 36 minutos, o goleiro Carlão, que havia substituído Giraia, cometeu pênalti. Bigo bateu forte e diminuiu para o União Ahu.

Fechando a partida, aos 42 minutos, Gaúcho, goleiro improvisado na ponta, cruzou e Paulinho concluiu para fazer sua tripleta e o sétimo do Uberlândia, dono do melhor ataque da competição com 27 gols marcados.

“Um jogo corrido. Time do Ahu com proposta de fechar. Fomos felizes nas finalizações e estamos de parabéns”, disse Paulinho após o jogo.

“Na verdade, a gente fez uma partida que primeiro tempo finalizou um monte e eles finalizam faziam e a gente errava. Foram superiores. Agora é trabalhar que a gente tem uma Suburbana pela frente”, analizou o meia Carlinhos do União Ahu.

Ficha Técnica das Partidas:

Rodada dupla no Estádio Manoel Gustavo Schier, Vila Uberlândia, Novo Mundo

Bangu 6 x 0 Shabureya

Bangu: Ricardo; Ronan (Diego), Diogo, Paulo Sérgio e Anderson; Valdir, Betinho (Neguinho), Samuca (Eltinho) e Joãozinho (Saulinho); Juninho (Foca) e Zanka (Romarinho). Técnico: Jefferson.

Shabureya: Renato; China, Fuchs (Marcão), Bueno e Peter; Harison. Murian, Mateus (Clézio) e Gibson; Coxinha e Felipe (Neguinho). Técnico: Tchesco Falvo.

Arbitragem: Danilo Simão Lagroteria Oliveira Faria, Marco Aurélio dos Santos e Zacarias Chumlak.

Gols: Zanka (BAN, aos 15’/1.º), Valdir (BAN, 30’/1.º), Joãozinho (BAN, aos 47’/1.º, aos 18’/2.º), Romarinho (BAN, aos 27’/2.º), Saulinho (BAN, aos 44’/2.º).

Cartões Amarelos: Diogo (BAN); Peter, Fuchs (SHA).

União Ahu 2 x 7 Uberlândia

União Ahu: Joe; Castelli (Neguitinho), Fábio, Thiago e Vivi (Lucas Siqueira); Guilherme Ribeiro, Luciano, Binho (Carlinhos) e Gui (Lucas); Clé (Stanley) e Bigo. Técnico: Marcelo Leôncio.

Uberlândia: Giraia (Carlão); Baiano, Luan Santos, Alex Paiva e Kiki (Gaúcho); Matheus, Denis, Juliano e Mineiro; Pulinho e Dinda (Radamés). Técnico: Joãozinho Ribeiro.

Arbitragem: Cristiano Antônio Teixeira, Marco Aurélio dos Santos e Zacarias Chumlak.

Gols: Dinda (UBE, aos 3’/1.º, aos 25’/1.º), Denis (UBE, aos 16’/1.º), Paulinho (UBE, aos 45/1.º, aos 12/’2º, os 42’/2.º), Luciano (AHU, contra, a favor do UBE, aos 14’/2.º), Baiano (UBE, contra, a favor do AHU, aos 31’/2.º), Bigo (AHU, aos 36/2.º).

Cartões Amarelos: Matheus, Mineiro (UBE).

Confira Imagens das Partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Uberlândia vira sobre Nacional e segue brigando; Imperial para no Trindade, mas rodada ajuda

À esquerda, o Santíssima Trindade mostrou evolução ao bater o Imperial; À direita, o Uberlândia precisou suar muito para virar o jogo sobre o Nacional

Na rodada dupla deste sábado (17) pela Copa de Futebol Amador da Capital no Manoel Gustavo Schier, o Santíssima Trindade mostrou que poderia almejar mais se a reação na competição fosse menos tardia ao bater o então líder por pontos perdidos Imperial por 4 a 2. Como a rodada ajudou, o time do Mossunguê segue na briga, agora com um Uberlândia fortalecido ao vencer de virada e com muito suor o Nacional por 2 a 1.

O Capão Raso, mesmo batido pelo Bangu por 1 a 0, segue líder por pontos ganhos, 17, podendo ter o TJD pela frente por escalação irregular, e jogando apenas uma partida mais podendo alcançar apenas 20. O Nova Orleans, que folgou na rodada, comemorou ao seguir na vice-liderança com 16 pontos, mesmo número do Bangu, que tem saldo de gols menor. O Imperial estacionou nos 15 pontos, caiu para a quarta posição e agora tem a companhia do Uberlândia, que tem uma vitória  a menos. O Palmeirinha é o sexto com 14 pontos e o Grêmio Ipiranga subiu para 13 pontos na tabela. Todos os sete primeiros seguem com chance de título, o que dá a promessa de muita emoção nas duas rodadas que restam. O Santíssima Trindade foi a 12 pontos, mas só alcança 15, pois ainda não folgou. Seguem Nacional com sete pontos, União Ahu com quatro e Shabureya ainda zerado.

Os quatro times que estiveram em campo nos jogos que acompanhamos voltam a campo no próximo sábado (24), todos em jogos de fundo, às 15h30. O Imperial pega o Palmeirinha em duelo direto no Elba de Pádua Lima. Santíssima Trindade e Nacional se enfrentam no Parque Linear, na despedida do Trindade da competição. E o Uberlândia será recebido pelo União Ahu no Ricardo Halick.

Em alta, Santíssima Trindade para Imperial

Já sem chances de título, o Santíssima Trindade confirmou a boa reta final ao bater o Imperial, então líder por pontos perdidos, por 4 a 2, embolando mais ainda a competição. O destaque ficou para o bom aproveitamento na bola parada na etapa final do time do Cajuru.

O Santíssima Trindade começou o jogo sufocando a saída de bola do time do Imperial, afetando a produtividade do meio-campo adversário. Quando a defesa intensa não funcionava, o ataque do Imperial parava na falta de pontaria ou no bom goleiro Paulo.

O Trindade saiu na frente aos 35 minutos da etapa inicial, após boa trama concluída por Raí.

Na segunda etapa, o lateral-esquerdo Adson, do Imperial, foi expulso por segunda advertência, deixando o Santíssima Trindade com mais espaço. Aos 14 minutos, Giovani converteu cobrança de pênalti e aumentou a vantagem.

Aos 34 minutos, o jogo parou ao ficar sem bolas. Todas as quatro disponibilizadas haviam caído fora do estádio, demorando cerca de cinco minutos para que uma retornasse. Foi após a parada, aos 41 minutos, que Matheus finalizou bem do lado esquerdo para diminuir para o Imperial.

No entanto, aos 43, o Santíssima Trindade voltou a ter dois gols de vantagem em cobrança de falta esquinada de Tupã, no lado esquerdo, surpreendendo o goleiro Jardam, que substituiu o lesionado Júlio.

O Santíssima Trindade aumentou aos 45 minutos, com uma pancada de Lelo em cobrança de falta. A bola chegou a tocar a trave antes de entrar na gaveta.

Com a longa paralisação anterior deu tempo de Rodrigo Pelezinho chutar da entrada da área para diminuir para o Imperial. O relógio marcava impressionantes 52 minutos de jogo.

“A gente precisava da vitória e ela não veio. Trabalhar essa semana para nos recuperar e tentar o título”, disse Pelezinho após o jogo.

“Últimos quatro jogos vencemos três, o time vem numa crescente. Professor Oscar dando confiança para quem tá chegando. Conseguimos botar bola no chão. Pena que acordamos tarde na competição, mas tem sido um ótimo pré-treino para a Suburbana que está vindo”, analisou Tupã.

Uberlândia vira sobre Nacional em cima da hora e mantém-se vivo

Pela segunda rodada seguida, o Uberlândia sofreu um gol cedo e teve de correr atrás da reversão. Desta vez, diferentemente da semana passada, a equipe conseguiu seu objetivo e bateu o Nacional por 2 a 1, mantendo-se vivo na briga pelo título.

O Nacional conseguiu marcar em seu primeiro ataque, aos 7 minutos, com Nycollas recebendo lançamento de Fernandinho e deslocando Giraia.

O gol fez o time do Uberlândia partir para cima e esbarrar numa defesa bem montada do Nacional, que defendia em números e levava perigo ao ataque, como no lance em que Giraia fez um grande defesa em outra estocada de Nycollas.

A equipe da casa seguiu martelando até conseguir um pênalti no apagar das luzes do primeiro tempo. Juliano bateu aos 47 minutos e igualou a partida.

Na segunda etapa, o Uberlândia seguiu tentando a virada, enquanto que o Nacional apostava numa defesa bem postada e uma saída rápida para o ataque. Opção bem clara ao colocar o “experiente” Juninho (se considerar que maioria da equipe ronda os 20 anos), que teve boa chance de desempatar e deu algum trabalho à defesa, apesar de claramente ainda não estar na melhor forma após longo tempo convivendo com lesões.

O Uberlândia passou a apostar na presença física do centroavante Dinda, que começou o jogo do banco. E foi num lance que Dinda puxou a marcação que Luan Santos acertou a trave.

As coisas pareciam que iam piorar para o Uberlândia quando Luanzinho tomou o segundo amarelo foi expulso aos 43 minutos. No entanto, logo depois, aos 44, Paulinho recebeu lançamento em diagonal e entrou para bater e virar a partida.

O lance gerou reclamações do time do Nacional, que pediu impedimento. Do ângulo da reportagem, um pouco melhor que o banco do Nacional e ligeiramente pior que o do assistente Euclides Lucas José Garcia, Paulinho saiu em diagonal em posição legal. Barney acabou levando cartão vermelho por reclamação após o lance.

“Jogo favorável para gente. Segundo tempo deu impedimento que não acontecendo e deu não deu impedimento que teve e eles fizeram o gol e não tivemos como reverter”, reclamou Nycollas do Nacional.

“Partida pegada. Rapaziada do Nacional de parabéns, time novo com muito futuro pela frente. Fui feliz com uma bola que sobrou e fazer o gol da vitória”, disse Paulinho do Uberlândia.

Warfare?

Após ter sido multado por não tocar Hino Nacional (!?) e por presença de imprensa (!?), o Uberlândia foi novamente autuado por não executar o Hino Nacional antes de sua partida. A questão que fica é: nenhuma outra equipe foi denunciada pelo mesmo e tal execução raramente ocorre em jogos no Amador (exceções são finais e um jogo de abertura específico). Ou a FPF passa a cobrar todos ou não cobra mais ninguém. No primeiro caso, poderia até produzir um manual dando padrões para as equipe e sugerindo recursos para que possam fazer o cerimonial, lembrando que fatalmente os jogos atrasariam, pois nem sempre há muito tempo entre as preliminares e os jogos de fundo.

Ficha Técnica das partidas:

Rodada dupla no Estádio Manoel Gustavo Schier, Vila Uberlândia, Novo Mundo, Curitiba

Imperial 2 x 4 Santíssima Trindade

Imperial: Jardam; Matheus, Leonardo, Edson e Adson; Zeti, Japa (Dennis), Giovani (Galo) e Arroz (Caíque); Douglas (Murilo) e Fernandinho (Rodrigo Pelezinho). Técnico: Pastor Serafim.

Santíssima Trindade: Paulo; Bahia, Anderson, Marlon e Folha; Marcão, Jé (Edu), Tupã e Raí (Nícolas); Giovani e Luan (Lelo). Técnico: Oscar Kirsten.

Arbitragem: Régis Eduardo da Silveira, Euclides Lucas José Garcia e Danilo Padilha Porse

Gols: Raí (STR, aos 35’/1.º), Giovani (STR, aos 14’/2.º), Matheus (IMP, aos 41’/2.º), Tupã (STR, aos 43’/2.º), Lelo (STR, aos 45’/2.º), Rodrigo Pelezinho (IMP, aos 52’/2.º)

Cartões Amarelos: Jardam, Matheus, Leonardo, Adson, Giovani, Dennis (IMP); Paulo, Folha, Jé, Raí, Lelo (STR).

Cartão Vermelho: Adson (IMP, aos 13/2.º, dupla advertência).

Uberlândia 2 x 1 Nacional

Uberlândia: Giraia; Luizinho (Baiano), Luan Santos, Alex Paiva e Allan; Nepo, Radamés (Mateus), Mineiro (Paulinho) e Luanzinho; Kiki (Dinda) e Juliano. Técnico: Joãozinho Ribeiro.

Nacional: Ricardo; Cris, Fontelli, Evandro e Gustavo; Barney, Jefferson (Guilherme Santini), Douglas (Vitor) e Fernandinho; Luquinhas (Lucas Menor) e Nycollas (Juninho). Técnico: Alemão.

Arbitragem: Lucas Kirchner Bello, Euclides Lucas José Garcia e Danilo Padilha Porse

Gols: Nycollas (NAC, aos 7’/1.º), Juliano (UBE, aos 47’/1.º), Paulinho (UBE, aos 45’/2.º)

Cartões Amarelos: Allan, Radamés, Luanzinho, Paulinho (UBE); Cris, Gustavo, Barney, Jefferson (NAC).

Cartões Vermelhos: Luanzinho (UBE, aos 43’/2.º, dupla advertência), Barney (NAC, aos 45’/2.º, reclamação).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Bangu tira invencibilidade do Uberlândia e entra na briga; Nova Orleans bate União Ahu e segue sonhando

À esquerda, Joãozinho comemora o terceiro gol do Bangu, que cresceu na tabela na reta final; À direita, o Nova Orleans teve muito trabalho diante de um União Ahu bastante brioso

A rodada Copa de Futebol Amador da Capital neste sábado (10) no José Drulla Sobrinho teve a quebra de invencibilidade do Uberlândia diante de um Bangu comandado pelo meia Joãozinho, autor de dois gols num 3 a 0 em que o adversário perdeu muitos gols, e uma vitória duríssima do Nova Orleans sobre o União Ahu por 2 a 1 em que o adversário, com oito desfalques, improvisou goleiros na linha na etapa final mas mesmo assim vendeu bem caro o resultado.

Das quatro equipes que estiveram em campo, apenas o União Ahu não tem chances matemáticas de título, estando na vice-lanterna com apenas 4 pontos. O Nova Orleans é o vice-líder com 16 pontos, um a menos que o líder Capão Raso, este podendo perder pontos por escalação irregular. Os dois ponteiros são os únicos dos times na briga que ainda não folgaram na competição, isto é, jogarão apenas mais duas vezes. O Bangu assumiu a quarta colocação com 13 pontos e o Uberlândia está logo atrás com 12 pontos. Os sete primeiros seguem com chances matemáticas de título.

O Nova Orleans folga na próxima rodada. Os demais times envolvidos na jornada que cobrimos voltam a jogar no próximo sábado (17) às 15h30. O Uberlândia recebe o Nacional no Manoel Gustavo Schier, o União Ahu recebe o Palmeirinha no Ricardo Halick, e o Bangu faz duelo praticamente direto contra o Capão Raso no José Carlos de Oliveira Sobrinho.

Joãozinho comanda Bangu em arrancada

O Uberlândia entrou em campo no José Drulla Sobrinho como o último dos invictos na Copinha. No entanto, no primeiro minuto de jogo começou seu calvário. Joãozinho bateu escanteio na esquerda e a bola entrou direto superando o goleiro Gaúcho. Gol olímpico.

O gol fez o Bangu começar em alta rotação. Com o tempo passando, o Uberlândia primeiro equilibrou as ações e depois passou a comandar o jogo.

Assim seguiu no começo do segundo tempo. No entanto, Ricardo estava na meta rubro-negra, barrando várias tentativas do Uber.

Em processo de renovação, o Bangu lançou no time adulto o atacante Neguinho, aquele que foi vice-artilheiro da última Série B da Suburbana Juvenil encerrada há quase 6 meses e que foi conquistada pelo Bangu. Apesar de jovem, 18 anos, o camisa 15 acabou cumprindo um velho ditado do futebol: “quem não faz toma”. Aos 31 minutos, ele arrancou pela esquerda, livrou-se da marcação e bateu cruzado para fazer o seu primeiro gol na categoria adulta e dar mais tranquilidade ao Bangu.

O gol deixou as ações do jogo equilibradas. Mais eficiente, o time do Bangu chegou ao terceiro gol. Joãozinho encerrou o jogo em seu último lance, aos 50 minutos, fazendo o que fez no primeiro minuto: gol. Desta vez recebendo lançamento e finalizando com qualidade. Placar final de 3 a 0.

“Nossa partida. Acabamos tomando gol cedo, tendo de ir para cima com tudo. Temos de continuar jogando. Poderíamos ter ganhado uns pontinhos, mas faz parte”, disse após o jogo o lateral Luan Santos do Uberlândia.

“Tive uma tarde feliz. Escanteio que bati eu queria cruzar, mas peguei de três dedos. Os meninos se dedicaram. O Uberlândia é uma grande equipe e agora vamos ver o que conseguimos pela frente”, disse Joãozinho, autor de dois gols do Bangu.

União Ahu vende caro a derrota frente ao Nova Orleans

No jogo de fundo, o Nova Orleans veio praticamente completo, pois o julgamento que poderia suspender o meia Leomar e o atacante Ederson foi adiado pela ausência do árbitro da partida no TJD nesta semana. Do outro lado, o União Ahu contou com seis desfalques por lesão e dois por suspensão, contando com algumas estreias e com apenas quatro jogadores no banco, sendo três goleiros de origem, dois deles improvisados como jogadores de linha.

Mesmo assim, o time visitante não se intimidou e deu algum trabalho ao goleiro Yuri. Do outro lado, o goleiro Lucas teve bastante trabalho, assim como muitas chances do Orleans foram desperdiçadas. Na primeira etapa, o União Ahu teve um pênalti não marcado em um empurrão na área.

Aos 32 minutos da etapa inicial, o árbitro Diego Bonfim marcou pênalti de Guilherme Ribeiro. Ederson acabou chutando por cima do gol.

Com o gol não saindo, o time do Nova Orleans começou a demonstrar nervosismo para finalizar, o que se estendeu por boa parte da segunda etapa. O União Ahu seguia se defendendo bem e tentando levar vantagem em suas estocadas.

O zero do placar acabou saindo em um lance chorado. A bola foi cruzada baixa na área aos 24 minutos e Igor completou para o alívio do time da casa.

O segundo gol do Nova Orleans saiu em trama pela direita. Leonardo acionou Fininho na passagem. O meia cruzou e Jorge empurrou para as redes dividindo com a zaga.

O que parecia virar tranquilidade para o time da casa, virou suspense nos minutos finais. Mesmo improvisando os goleiros Maba, como lateral, e Joe, como atacante, depois de tomar o segundo gol, o Tricolor do Parque São Lourenço teve seu esforço recompensado diminuindo o placar. Em cobrança de pênalti aos 42 minutos, Gui, que estava sendo chamado de Guilherme até a rodada passada, mas agora tem homônimos na equipe, bateu com força no meio do gol, sacramentando o placar em 2 a 1.

“Graças a Deus pudemos sair com vitória e avançar com três pontos. Jogo foi um tanto duro e tivemos a felicidade de conseguir furar a defesa deles”, disse Igor do Nova Orleans.

“Agradecer pela oportunidade de estar reestreando. A gente lutou, não deu, mas fizemos uma grande partida. Equipe toda de parabéns, não faltou garra e nem determinação e vamos trabalhar forte no próximo jogo”, analisou Guilherme Ribeiro do União Ahu após o jogo.

Bangu fica sem seu artilheiro

O Bangu não conta mais com o atacante Luizinho, artilheiro da equipe na última temporada. O atacante jogará a Série A da Suburbana pelo Operário Pilarzinho e já começou a sua preparação com a nova equipe.

Ficha Técnica das Partidas:

Rodada dupla no Estádio José Drulla Sobrinho, Orleans, Curitiba

Bangu 3 x 0 Uberlândia

Bangu: Ricardo; Ronan, Bruno, Paulo Sérgio e Diogo; Samuca, Diego, Betinho (Thiago), Joãozinho; Gilson Fumaça (Delson) e Juninho (Neguinho). Técnico: Jefferson.

Uberlândia: Gaúcho; Luan Santos, Dênis, Alex Paiva e Allan; Nepo (Luizinho), Mineiro, Juliano (Baiano) e Luanzinho; Kiki (Paulinho) e Dinda. Técnico: Joãozinho Ribeiro.

Arbitragem: Gustavo Nogas, Deniel Carvalho, Reube Dobrychlop dos Reis.

Gols: Joãozinho (BAN, aos 1’/1.º, aos 50’/2.º), Neguinho (BAN, aos 31’/2.º).

Cartões Amarelos: Allan (UBE); Diogo, Diego, Neguinho (BAN)

Nova Orleans 2 x 1 União Ahu

Nova Orleans: Yuri; Leonardo, Nathan, Du e Dega (Fininho); Erick, Molão, Leomar (Peteca) e Victor Tilly; Ederson (Jorge) e Igor (Ricardinho). Técnico: Alexandre Oliveira.

União Ahu: Lucas; Castelli (Maba), Thiago, Fábio e Vivi; Guilherme Ribeiro, Lucas Siqueira (Joe), Luciano e Gui; Stanley e Binho (Carlos). Técnico: Marcelo Leôncio.

Arbitragem: Diego Bonfim, Deniel Carvalho, Reube Dobrychlop dos Reis.

Gols: Igor (UNO, aos 24’/2.º), Jorge (UNO, aos 33’/2.º), Gui (AHU, aos 42’/2.º).

Cartões Amarelos: Nathan, Erick, Victor Tilly, Ederson (UNO). Guilherme Ribeiro (AHU).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Uberlândia vence Imperial e põe fogo na Copinha; Nova Orleans goleia Nacional e encosta

À esquerda, o Nova Orleans chegou aos 10 pontos e ainda sonha com título; À direita, o Uberlândia tirou a invencibilidade do Imperial e disse “temos um campeonato”

A rodada deste sábado (27) da Copa de Futebol Amador da Capital serviu para botar fogo na competição. Abrindo a segunda metade da corrida pela taça, a vantagem que o Imperial tinha como líder foi quase toda embora e vários times chegaram para a disputa. Nos jogos acompanhados pela reportagem do Futebol Metrópole, no Manoel Gustavo Schier, o Nova Orleans se reabilitou e goleou de virada o Nacional por 4 a 1, mantendo ainda o sonho do título, torcendo por tropeços dos demais. Já no jogo de fundo, o duelo mais esperado da rodada teve um desfecho emocionante com o Uberlândia tirando a invencibilidade do Imperial ao vencer por 3 a 2 com gol da vitória marcado aos 48 minutos após ceder empate aos 40.

Quem assumiu a liderança foi o Capão Raso, que chegou a 14 pontos e tem um jogo a mais que três de seus principais concorrentes. Além disso, o Tricolor de Aço deverá ter problemas com o TJD-PR devido à escalação de jogadores sob identidade falsa. O Imperial vem logo atrás com 12 pontos e tem agora o Uberlândia no cangote com 11. O Palmeirinha, vindo pelas beiradas, chegou aos 10 pontos, mesmo número de pontos do Nova Orleans, que vem logo atrás, mas ainda não folgou na tabela. O Nacional, que atuou em jogos que acompanhamos nesta jornada é o oitavo colocado com quatro pontos.

O Nacional fará um jogo atrasado nesta quarta-feira (31), contra o lanterna Shabureya no Elba de Pádua Lima, às 19h30, jornada que terá o clássico Palmeirinha x Grêmio Ipiranga como partida de fundo às 21h30. No próximo sábado (3), o Nacional folgará na rodada. Os demais times jogarão em lugares distintos às 15h30. O Uberlândia encara um confronto direto contra o Palmeirinha no Elba de Pádua Lima, o Nova Orleans recebe o Shabureya no José Drulla Sobrinho, e o Imperial faz um clássico de bairro contra o Bangu.

Virada em jogo de desfalcados

Na preliminar, tanto Nacional quanto Nova Orleans vieram bem desfalcados. Os dois times vieram de jornadas em que tiveram muitos jogadores expulsos, obrigando os treinadores a mexer radicalmente na estrutura das equipes. Melhor para o Nova Orleans, que venceu por 4 a 1.

Quem começou melhor foi o Nacional, que abriu o placar logo aos 2 minutos com Fernandinho concluindo de cabeça jogada de lado de campo de Nycollas.

A resposta do Nova Orleans, mais experiente, foi rápida com o lateral-direito Leonardo, uma das novidades da equipe, costurando pela direita e batendo cruzado aos 5 minutos.

A virada do Verdão da Zona Oeste veio aos 31 minutos em cobrança de pênalti de Erick defendida por Ricardo, mas convertida por ele mesmo no rebote.

Na segunda etapa, o Nova Orleans aumentou em mais uma arrancada que o lateral Leonardo fez pelo flanco, costurando e batendo cruzado. O relógio marcava 15 minutos. A contenda foi encerrada com uma bela cobrança de falta de Fininho aos 41 minutos.

“A gente começou bem o jogo e entramos bem, saímos ganhando, mas o que aconteceu nos últimos jogos: perdemos a intensidade. É o que falta para o time, manter a intensidade o jogo inteiro”, disse Fernandinho do Nacional. “Muito feliz, porque jogamos bem, pela vitória, pelos dois gols e espero ajudar mais para conquistar mais vitórias”, afirmou Leonardo do Nova Orleans.

Jogo de fundo teve clima de final

O duelo entre Uberlândia e Imperial foi encarado praticamente como uma decisão. Uma vitória do Imperial faria o Trem Bala Tricolor colocar uma mão na taça, abrindo vantagem confortável para seus adversários. Por outro lado, um triunfo do Uberlândia deixaria tudo em aberto. Foi o que aconteceu com a vitória Uber por 3 a 2.

O Imperial apostou no bom trabalho dos meias, enquanto que o Uberlândia teve como principal atração as escapadas dos ponteiros e as tentativas na direção do centroavante Dinda.

E foi o camisa 9 que abriu o marcador. Após cobrança de escanteio aos 16 minutos, o zagueiro Alex Paiva viu a cabeçada ser defendida por Júlio, mas o rebote de Dinda ir para as redes.

A primeira etapa seguiu com o Imperial perdendo muitas chances e o Uberlândia levando perigo em um jogo aberto.

Na segunda etapa, o Imperial chegou ao empate em uma de suas jogadas fortes. Aos 6 minutos, Adson subiu pela ala esquerda e colocou na cabeça de Caíque.

As coisas pareciam que iam tomar os rumos na direção do Imperial. Aos 10 minutos, Luanzinho perdeu o controle e acertou uma cabeçada em Caíque, levando cartão vermelho e deixando o Uberlândia com um a menos em campo. No entanto, a superioridade numérica foi efêmera, pois aos 18, Caíque, que tinha levado amarelo pela provocação no lance anterior, levou o segundo amarelo após entrada mais forte, deixando o duelo com dez para cada lado.

A sorte virou rápido, pois Edson marcou gol contra aos 21 minutos do segundo tempo, deixando o Uberlândia novamente em vantagem.

Os dois times seguiram atrás de mais gols. Aos 40 minutos, o Imperial conseguiu pênalti após mais uma entrada na área. Arroz bateu com segurança e reempatou a peleja, que poderia ser definida se Japa não tivesse parado em Giraia aos 43 minutos.

Quem não faz toma e o Imperial acabou tomando um castigo nos acréscimos ao cometer um pênalti em uma jogada em que deixou a zaga mano a mano com o ataque do time da casa. Juliano converteu o pênalti aos 48 minutos e deu a vitória ao Uberlândia.

“Nossa equipe acho que não jogou. Tentamos fazer no segundo tempo o que costumamos: girar a bola e chegarmos ao empate. Mas cometemos um pênalti infantil. Foi nossa primeira derrota, mas estamos na ponta, pois parece que o Capão Raso teve jogador irregular. E vamos seguir trabalhando, pois só depende da gente e semana que vem tem mais”, disse Arroz do Imperial após a partida.

“Fizemos um bom jogo, conseguimos sair com vitória e encostar no Imperial, e no Capão. Temos que pensar na gente. Saímos na frente e tomamos empate. Tivemos expulsão e destaco que o árbitro foi muito bem, expulsou quando tinha que expulsar, foi perfeito. E eu aqui dou carrinho, não é minha característica, mas tudo para ajudar o Uberlândia e essa camisa que me ajuda”, analisou Juliano do Uberlândia.

Nota triste

Pela segunda vez no ano, o Uberlândia teve sua sede invadida e teve roubados seus cabos de energia que permitiriam o uso da iluminação do Estádio Manoel Gustavo Schier, algo que faz diferença nesta época de ano, em que as partidas fatalmente terminam ao anoitecer. Pelo método utilizado, que não vamos explicar aqui, pois facilitaria roubos de mesmo tipo, os ladrões possuem algum conhecimento de instalações elétricas, por saber exatamente onde extrair o cobre, material valorizado no mercado de reciclagem.

Ficha Técnica das Partidas:

Rodada dupla no Manoel Gustavo Schier, Vila Uberlândia, Novo Mundo, Curitiba

Nacional 1 x 4 Nova Orleans

Nacional: Ricardo; Bruninho, Guilherme Fontelli, Patrick (Barney, depois Victor) e Evandro; Jeferson (Cristian), Douglas e Fernandinho (Guilherme Santini); Luis Matheus, Nycollas e Luquinhas (Lucas). Técnico: Alemão.

Nova Orleans: Mateus (Thiago); Leonardo, Nathan (João), Márcio e Dega (Diego); Erick, Moisés (Fininho), Fábio e Victor Tilly; Igor e Ricardinho (Jorge). Técnico: Márcio Ponce (interino, substituiu o suspenso Alexandre Oliveira)

Arbitragem: Rafael Vinícius Moura de Oliveira, Fernando César Tobias e André Assunção Estevan.

Gols: Fernandinho (NAC, aos 2’/1.º), Leonardo (UNO, aos 5’/1.º, aos 15’/2.º), Erick (UNO, os 31’/2), Fininho (UNO, aos 41’/2.º).

Cartões Amarelos: Guilherme Pontelli, Nycollas, Victor (NAC).

Uberlândia 3 x 2 Imperial

Uberlândia: Giraia; Luan Santos (Luizinho), Dênis (Thiagão), Alex Paiva e Allan; Nepo (Radamés), Mineiro (Iza), Juliano e Luanzinho; Kiki e Dinda (Paulinho). Técnico: Joãozinho Ribeiro.

Imperial: Júlio; Galo (Arroz), Leonardo, Edson e Adson; Zeti (Juliano), Lelê (Johnny), Giovani e Douglas (Dennis); Caíque e Fernandinho (Japa). Técnico: Pastor Serafim.

Arbitragem: Robson Toloczko Coutinho, Fernando César Tobias, André Assunção Estevan.

Gols: Dinda (UBE, aos 16’/1.º), Caíque (IMP, aos 6’/2º), Edson (contra, a favor do UBE, aos 21’/2º), Arroz (IMP, aos 40’/2.º), Juliano (UBE, aos 48’/2º).

Cartões Amarelos: Dênis, Nepo (UBE), Adson, Giovani, Caíque (IMP).

Cartões Vermelhos: Luanzinho (UBE, aos 10’/2.°, por cabeçada em adversário); Caíque (IMP, aos 18’/2.º, dupla advertência).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Capão Raso vence Shabureya; Uberlândia e Nova Orleans ficam no empate

Na esquerda, Bruninho comemora o segundo gol na vitória do Capão Raso sobre o Shabureya; Na direita, disputa de bola em ótimo jogo entre Uberlândia e Nova Orleans

Na rodada dupla da Copa de Futebol Amador da Capital, neste sábado (29), no Manoel Gustavo Schier, o Capão Raso levou a melhor ao vencer o Shabureya na partida de abertura por 3 a 1, enquanto que no esperado duelo de favoritos entre Uberlândia e Nova Orleans o placar terminou empatado em 1 a 1.

Os resultados tiraram o Nova Orleans da liderança, agora é o segundo com quatro pontos e três gols de saldo, atrás do arquirrival Imperial, este com 100% de aproveitamento e seis pontos. O Capão Raso é o terceiro, também com quatro pontos mas saldo +2. O Uberlândia agora é o oitavo com dois pontos. O Shabureya, com a derrota, despencou para a lanterna, com nenhum ponto e -3 gols de saldo.

Capão Raso e Nova Orleans se enfrentam na próxima rodada, próximo sábado (6), em “jogo solteiro” no José Carlos de Oliveira Sobrinho. No mesmo dia, às 13h30, o Shabureya visita o Palmeirinha, quarto colocado, no Elba de Pádua Lima. No mesmo horário, no Ricardo Halick, o Uberlândia enfrenta o Santíssima Trindade, sétimo colocado.

Gol cedo e adversário nervoso ajudam o Capão Raso

Antes mesmo que nossa equipe chegasse ao local do jogo (ossos do ofício), o Capão Raso abriu o placar. Aos 16 minutos, China errou uma inversão de bola e ela parou no peito de Lipe, que tirou um zagueiro da jogada e bateu na saída de Homero.

O time do Capão Raso teve chances de aumentar aproveitando erros de passe do Shabureya, que por sua vez tinha alguns momentos de lucidez no ataque. Pouco experiente em partidas federadas, disputou apenas a Série B da Suburbana do ano passado, o time citroalvinegro acabou abusando de reclamações e assim ficou carregado de cartões amarelos.

O Shabureya ficou com um homem a menos após pênalti cometido por Bueno, aos 14 minutos da etapa final. A arbitragem alegou reclamação acintosa para a expulsão direta. Aos 16 minutos, Bruninho cobrou e aumentou o marcador.

Mesmo com um a menos, o Shabureya não se intimidou e seguiu jogando como se tivesse 11, apesar do espaço maior para o time do Capão Raso. O gol de honra veio em um lance inusitado. Após reclamações, o árbitro Luciano de Pinho Tavares Filho consultou os dois auxiliares. Tom Gomes Rocha relatou que o goleiro Gênesis empurrou o atacante Júnior, que tinha acabado de entrar, e este revidou o empurrão. Logo, foi marcado pênalti e os dois atletas advertidos. Aos 22 minutos, Tchesco cobrou com força e diminuiu para o Shabu.

O gol animou o Shabureya, mas a equipe acabou tendo mais um jogador expulso: Neguinho, aos 24 minutos, também por reclamação. Mesmo com nove contra onze, a equipe seguiu dando algum trabalho ao Tricolor de Aço. Porém, a maior experiência e categoria pesou a favor do Capão Raso, que fechou o placar aos 38 minutos em uma excelente finalização de Jackson.

“Depois do empate com o Uberlândia, hoje fomos muito bem e graças a Deus saímos com a vitória”, disse o atacante Jackson, do Capão Raso, após o jogo.

“Nosso time foi bem, tivemos jogadores expulsos. Méritos para o Capão Raso, time que toca muito bem a bola, mas nosso time ainda irá incomodar muito neste ano”, disse Tchesco, zagueiro e volante do Shabureya, que fez seu primeiro gol em competições federadas.

Repercussão da semana

Após toda a confusão da semana passada, o delegado Francis Bacon colocou na súmula do Clássico UberRaso que não teria havido qualquer irregularidade na escalação do Capão Raso, diferentemente do que levou a crer suas suspeitas durante o duelo. Relembre como foi a partida.

Empate em alto nível

Se o resultado não foi bom para as duas equipes, deixando o Nova Orleans fora da liderança e o Uberlândia na parte inferior da tabela, o mesmo não se pode dizer da partida, um jogo em alto nível e cheio de chances para as duas equipes.

O Nova Orleans avançou bastante, especialmente pelo seu lado direito e perdeu várias chances, principalmente devido a uma atuação bastante consistente do goleiro Jiraya, do Uberlândia. Do outro lado, o Uberlândia explorou ambos os lados e também parou em boa atuação do goleiro Hiury.

Quem acabou saindo na frente foi o Nova Orleans, aos 26 minutos da etapa inicial, em trama encerrada com a finalização de Leomar.

No segundo tempo, o Nova Orleans aproveitou mais ainda seu lado direito do ataque e, após chances perdidas por Luanzinho e Kiki, foi a vez de Kiki cruzar e Luanzinho escorar de cabeça para igualar ao marcados aos 14 minutos.

A partir daí, a tática do Uber foi colocar para estrear o experiente centroavante Dinda e apostar principalmente na qualidade do centroavante como pivô. No entanto, aos 25 minutos, o volante Nepo recebeu o segundo amarelo, indo mais cedo para o chuveiro.

Quem esperava que o bom time do Nova Orleans fosse se aproveitar da superioridade numérica se enganou. O Uberlândia esteve mais próximo da virada nos minutos finais que o Nova Orleans de garantir a vitória. Ambos times tiveram chances de garantir os três pontos, numa partida franca, mas o placar terminou no 1 a 1 num espetáculo agradável para quem se dividiu entre o vento frio e o sol quente da primeira massa de ar polar do ano em Curitiba.

“Jogo bem disputado. Jogo aqui bem truncado. Tivemos chance de sair com a vitória, mas perdemos a chance, mas o empate acabou sendo bom pelo gol que consegui fazer e não ter saído com a derrota”, afirmou Leomar após o jogo.

“Jogo hoje muito forte. A gente soube se defender. Foi um jogo bom de muita intensidade. A gente se soltou depois da expulsão. Atacamos bastante e conseguimos segurar. Agradecer a todos do time pela força e pela vontade e que um ponto é melhor do que nada”, Disse Luanzinho.

Ficha Técnica:

Rodada dupla no Estádio Manoel Gustavo Schier, Vila Uberlândia, Novo Mundo, Curitiba

Shabureya 1 x 3 Capão Raso

Shabureya: Homero; Vermelho, Gabba, Bueno e China; Tchesco (Cléber), Murian (Clésio), Matheus (Guto) e Gibson; Wesley (Júnior) e Felipe (Neguinho). Técnico: Pepe.

Capão Raso: Gênesis; Polaco, Diego Couto, Gustavo e Cléverson; Cairo, Thiaguinho, Bruninho e Lipe; Jackson e Élder (Luan). Técnico: Júnior Saurim.

Arbitragem: Luciano de Pinho Tavares Filho, Tom Gomes Rocha, Andrey Valenga Guimarães.

Gols: Lipe (CRA, aos 16’/1.º), Bruninho (CRA, aos 9’/2.º), Tchesco (SHA, aos 22’/2.º), Jackson (CRA, aos 38’/2.º)

Cartões Amarelos: Romero, Gabba, China, Wesley, Júnior (SHA); Gênesis, Diego Couto, Bruninho (CRA).

Cartões Vermelhos: Bueno (SHA, aos 14’/2.º, reclamação), Neguinho (SHA, aos 24’/2.º, reclamação)

Uberlândia 1 x 1 Nova Orleans

Uberlândia: Jiraya; Luizinho (Juliano), Luan, Alex Paiva e Alan (Marlon); Nepo, Caíque (Dênis), Mineiro e Luanzinho; Paulinho (Dinda) e Kiki. Técnico: Joãozinho Ribeiro.

Nova Orleans: Hiury; Márcio (João), Nathan, Du e Victor Tilly; Erick (Everton), Molão, Thiago Oliveira e Leomar (Moisés); Ricardinho e Igor. Técnico: Bruno Garcia (interino, pois Alexandre Oliveira não pôde comparecer devido a compromissos particulares)

Arbitragem: Cristiano Antônio Teixeira, Tom Gomes Rocha, Andrey Valenga Guimarães.

Gols: Leomar (UNO, aos 26’/2.º), Luanzinho (UBE, aos 14’/2.º)

Cartões Amarelos: Luizinho, Alex Paiva, Nepo (UBE); Du, Nathan, Molão, Thiago Oliveira, Leomar Ricardinho, Jorge (UNO).

Cartão Vermelho: Nepo (UBE, aos 25’/2.º, dupla advertência)

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Em tarde tumultuada, Trindade vence e clássico termina empatado sob suspeita de fraude

À esquerda, o delegado Francis Bacon comunica ao árbitro Maykon Brito de Freitas a possibilidade de fraude na escalação do Capão Raso. À direita, Santíssima Trindade e Shabureya fizeram um jogo com muitas reclamações da arbitragem

A rodada inaugural da Copa de Futebol Amador da Capital no Parque Linear, sábado (21) à tarde, ainda dará muito o que falar. Na preliminar, o clássico entre Uberlândia e Capão Raso terminou empatado em 3 a 3 num duelo com duas viradas de placar, mas deverá ter desdobramentos no tapetão, pois o Capão Raso terá quase certamente de enfrentar a acusação de ter escalado dois jogadores irregulares usando os documentos de outros, arriscando a perder pontos na competição já na largada. No jogo de fundo, o Santíssima Trindade, dono da casa, venceu o caçula ninja Shabureya de virada por 2 a 1, num duelo nervoso com três expulsões e reclamações em lances de impedimento e nos pênaltis marcados e não marcados.

A rodada terminou com o Santíssima Trindade na terceira posição com três pontos, Capão Raso e Uberlândia dividindo a quinta colocação com um ponto e o Shabureya no oitavo posto sem nenhum. Na próxima rodada, sábado, dia 29, Shabureya e Capão Raso se encontram no Manoel Gustavo Schier às 13h30, mesmo local que o Uberlândia volta a campo, às 15h30, contra o líder Nova Orleans. O Santíssima Trindade vai até o Elba de Pádua Lima, às 15h30, e encara o lanterna Palmeirinha.

Difícil de sair

A preliminar entre Uberlândia e Capão Raso apresentou um Uber começando com goleiro improvisado no meio e um Capão Raso sem reservas. O Tricolor de Aço, nos primeiros minutos, mostrou extrema dificuldade em sair jogando da defesa, com muitos passes errados provocados pela marcação com pressão do Uberlândia na saída de bola. Foi assim que, aos 17 minutos, o Uberlândia conseguiu uma falta frontal e Luanzinho bateu com precisão para abrir o placar para o time do papagaio.

A primeira virada

O gol fez o Capão Raso ir para a frente. Aos 26 minutos, o Tricolor de Aço arranjou uma falta na direita. Wagner teve sagacidade suficiente para bater direto e surpreender o goleiro Gaúcho, empatando o jogo.

A virada do Capão veio logo aos 31 minutos com uma bola cruzada na área que resultou na infelicidade do zagueiro Alex Paiva, que mandou contra as próprias redes.

A segunda virada

Para o segundo tempo, o Uberlândia voltou com o lateral-esquerdo Alan, que havia chego mais tarde, no lugar do goleiro improvisado de volante Jiraya. Alan entrou voando e fez o Uber crescer no jogo. A nova virada virou questão de tempo e foi relâmpago com duas bolas sobrando no meio da área. A primeira, aos 12 minutos, foi para Kiki. A segunda, aos 14 minutos, encontrou o pé de Boca. No entanto, os atacantes da equipe desperdiçaram pelo menos três chances claras de definir a partida.

O tumulto e a suspeita de fraude

Enquanto isso, o delegado da partida, Francis Bacon, notou uma possível fraude na escalação do Capão Raso quando à identidade dos meias Carlos Eduardo e Igor Sales. Ao pedir novamente os cartões à comissão técnica e à diretoria do Tricolor de Aço, recebeu uma negativa. Assim, pediu a paralisação da partida aos 18 minutos da etapa final e entrou em contato com o suporte jurídico da Federação Paranaense de Futebol (FPF) enquanto que o árbitro Maykon Brito de Freitas contatou o presidente da comissão de arbitragem, Afonso Vítor de Oliveira, para saber quais as medidas cabíveis e evitar futuros problemas para eles no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD).

Neste meio tempo, o delegado fotografou os jogadores cuja identidade está sob suspeita. A informação deverá constar na súmula da partida e deverá levar o Capão Raso a julgamento caso a promotoria do TJD confirme a fraude cruzando a imagem dos atletas com as informações que constam no BID e no cartão de identificação da entidade. Caso seja punido, o Capão Raso deve perder quatro pontos, fora possíveis multas e outros desdobramentos, pois a acusação neste caso cai no crime de falsidade ideológica.

Após dez minutos, a arbitragem recebeu o aval e o jogo pôde continuar, com o tempo corrido somado aos acréscimos.

Quem não faz…

O desperdício de chances do Uberlândia custou caro. Com o jogo indo até os 59 minutos do segundo tempo, dez de paralisação mais quatro de acréscimos, deu tempo para o empate do Capão Raso. Wagner cobrou pênalti aos 51 minutos para alcançar o placar de 3 a 3. Ainda deu tempo de uma expulsão, a do lateral-direito Alex, do Capão Raso, aos 56 minutos, após segunda falta para amarelo.

O resultado gerou satisfação por parte dos dois treinadores. “Viemos com a base apenas do ano passado sem os reforços. Foi uma estreia razoável. Capão Raso fez as oportunidade que teve, e nós perdemos muitas e acho que o resultado foi justo pelo que apresentaram”, afirmou o técnico do Uberlândia, Joãozinho Ribeiro. “Fizemos baita jogo. Independente de erro de arbitragem, se o gol deles estava impedido ou não, mas o resultado foi justo pelas duas equipes que lutaram”, completou o técnico do Capão Raso, Júnior Saurim.

Ninjas à toda

No jogo de fundo entre Santíssima Trindade e Shabureya, o time visitante começou à toda. Usando bem os lados do campo, o time citroalvinegro conseguiu chegar à abertura do placar logo aos 13 minutos de jogo. O lateral-direito Bolinha arrancou pelo flanco e bateu cruzado, surpreendendo o goleiro Jeci.

O Trindade tinha dificuldade de chegar e viu as coisas se complicarem com a expulsão de Lelo aos 41 minutos após segundo cartão amarelo.

Falha nossa

Confiamos demais na tecnologia e ela nos deixou na mão. No fim do primeiro tempo do jogo de fundo, nossa bateria de celular morreu. Pior: o carregador reserva também acabou, em mais uma comprovação empírica da Lei de Murphy. Sendo assim, ficamos devendo imagens do segundo tempo da partida.

Visitante de quatro patas

E justamente no segundo tempo da partida, um visitante rondou o campo. Mesmo sob esforço da arbitragem, o cão não deixou o gramado. Sorte do espetáculo que ele ficou restrito maior parte do tempo à linha de lado. Em certo momento, até deu uma saída, mas voltou para conferir o espetáculo como se fora ponta-direita do time local.

Para ver como foi real, o cão esteve boa parte da segunda etapa na linha de lado (Foto: Bueno Jonas). Deixamos aqui o nosso sincero agradecimento pela imagem

Virada e polêmica

Durante a partida, os dois times se irritaram bastante com a marcação de diversos impedimentos. Aos 14 minutos, o árbitro Jhonathan Fossa da Cruz marcou pênalti em toque de mão de Bolinha. O autor do gol do Shabureya já tinha amarelo e acabou sendo expulso, deixando dez homens para cada lado. Aos 15 minutos, Rodolfo bateu com categoria e empatou a partida deslocando o goleiro Homero.

O Shabu passou a apostar nas subidas do bom volante/lateral Vermelho, enquanto que as respostas do Santíssima Trindade se concentravam no incisivo lateral Baiano. Logo após o gol de empate, houve um lance de pênalti a favor do Santíssima Trindade não marcado, considerado mais acintoso pelo próprio banco do Shabureya que o pênalti marcado.

A polêmica maior veio aos 29 minutos com o pênalti marcado em toque atribuído a Tchesco. O zagueiro do Shabureya mostrou em vão a marca de bolada na barriga ao árbitro, que manteve a decisão. Rodolfo repetiu a cobrança rigorosamente igual à primeira e colocou o Trindade em vantagem no placar.

No final da partida, aos 45 minutos, Felipe do Santíssima Trindade foi expulso direto por entrada por trás, deixando o time da casa com nove atletas durante o período de acréscimos.

“Fizemos bom jogo diante do Shabureya e conseguimos sair com virada com dois gols no segundo tempo”, analisou o técnico estreante do Santíssima Trindade, Oscar Kirsten, que substitui Jean Pierre, que se tornou vice-presidente do clube. “O time começou bem. Caímos na pressão dos caras. É difícil jogar aqui. A gente se perdeu. Não podemos falar de arbitragem, mas prejudicou. Muitos atletas jovens sentiram, mas é um grupo que vai crescer muito e foi bem hoje”, afirmou Pepe, técnico do Shabureya.

Arco-íris

Uma chuva fraca caiu nos minutos finais da partida e exatamente ao apito final, um frondoso arco-íris apareceu no Parque Linear. Infelizmente não temos a imagem do fenômeno, que acompanhou o pôr do sol no sentido contrário.

Ficha técnica das partidas:

Rodada dupla no Parque Linear, Cajuru, Curitiba

Uberlândia 3 x 3 Capão Raso

Uberlândia: Gaúcho; Luan, Thiagão, Alex Paiva e Luizinho; Nepo, Jiraiya (Alan), Juliano (Marlon) e Luanzinho; Boca e Kiki. Técnico: Joãozinho Ribeiro.

Capão Raso: Gênesis; Alex, Diego Couto, Jean e Bruninho; Carlos Eduardo*, Igor Sales*, Lipe e Wagner; Luan e Jackson. Técnico: Júnior Saurim.

* Jogadores com identidade sob suspeita

Arbitragem: Maykon Brito de Freitas, Reube Dorychlop dos Reis, Simone Nascimento.

Gols: Luanzinho (UBE, 17’/1.º), Wagner (CRA, aos 26’/1.º, aos 51’/2.°), Alex Paiva (contra, a favor do CRA, aos 31’/1.º), Kiki (UBE, aos 12’/2.º), Boca (UBE, aos 14’/2.º)

Cartões Amarelos: Nepo, Kiki, Alan (UBE); Alex, Jean, Carlos Eduardo, Igor Sales, Jackson (CRA).

Cartão Vermelho: Alex (CRA, aos 56’/2.º, dupla advertência)

Santíssima Trindade 2 x 1 Shabureya

Santíssima Trindade: Jeci; Baiano, Folha, Juliano e Lelo; Marcão, Lelê, Henrique (Du Love) e Rodolfo; Wesley (Júnior) e Tom (Felipe). Técnico: Oscar Kirsten.

Shabureya: Homero; Bolinha, Cleber, Tchesco e China; Vermelho, Murian (Herisson), Gibson e Matheus (David); Wesclei (Guto) e Felipe (Neguinho). Técnico: Pepe.

Arbitragem: Jhonathan Fossa da Cruz, Simone Nascimento e Reube Dobrychlop dos Reis.

Gols: Bolinha (SHA, aos 13’/1.º), Rodolfo (STR, aos 15’/2.º, aos 29’/2.º).

Cartões Amarelos: Lelo, Du Love (STR); Bolinha, Tchesco, China, Vermelho (SHA).

Cartões Vermelhos: Lelo (STR, aos 41’/1.º, dupla advertência), Bolinha (SHA, 14’/2.º, dupla advertência), Felipe (STR, aos 45’/2.º, vermelho direto por entrada por trás).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

2 Comments

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Iguaçu elimina Uberlândia e avança às semifinais da Suburbana

Jogadores do Iguaçu comemoram o segundo gol da partida, marcado por Marcelo Tamandaré: Alvinegro da Colônia encara Nova Orleans nas semifinais

Jogadores do Iguaçu comemoram o segundo gol da partida, marcado por Marcelo Tamandaré: Alvinegro da Colônia encara Nova Orleans nas semifinais

Após empate no jogo de ida, o Iguaçu fez valer o mando de campo e venceu o Uberlândia, na tarde de sábado (22), no Egydio Ricardo Pietrobelli, carimbando a vaga para as semifinais da Suburbana. O placar de 4 a 1 fez com que o Alvinegro da Colônia chegasse aos 4 pontos contra 1 do adversário no mata-mata sem saldo de gols das quartas de final.

Marcelo Tamandaré marcou duas vezes, enquanto que Hideo e Romário fizeram os outros gols do Iguaçu. Radamés fez o gol de honra do Uberlândia. O Iguaçu encara agora o Nova Orleans, que contra a maioria dos prognósticos eliminou o Novo Mundo na decisão por pênaltis após bater o adversário em seus próprios domínios. A ida será no José Drulla Sobrinho e a volta no Egydio Ricardo Pietrobelli, pois o Iguaçu tem a melhor campanha entre os dois.

“Um gol na conta, mas um monte perdido. Eu preciso melhorar muito ainda, mas sobre o jogo, o time fez uma partida segura e suportou bem em campo”, afirmou o experiente meia-atacante Hideo, autor de um gol na partida, e que está apenas na terceira partida pelo Iguaçu na temporada. “Na verdade, conheço este grupo, já estou enturmado, então [estrear com a competição em andamento] não tem muita diferença”, explicou.

 

“Achei que no primeiro tempo o time começou a perder a cabeça na marcação, não fechando os espaços. Entrei tentando fazer o meu melhor, mas a equipe se desesperou, infelizmente. Fica para o no que vem e boa sorte para o Iguaçu agora na sequência”, disse o meia Radamés, que saiu do banco para marcar o gol do Uberlândia. “A gente neste ano chegou na final da Copinha contra um time muito forte do Novo Mundo, sendo que era apenas para montar o time, mas chegamos. Na Suburbana, fizemos bela campanha, chegamos a nos perder um pouco no meio, mas nos recuperamos e nos classificamos em sexto, mas no futebol se perde ou ganha”, concluiu ao analisar a temporada do Uberlândia, que vinha do vice-campeonato da Série B na temporada passada.

Os jogos das semifinais devem começar no próximo sábado (29), com a rodada dos juvenis às 14h30 e os adultos às 16h30.

O jogo

O empate na ida por 1 a 1 deixava o duelo completamente em aberto. O Uberlândia não se intimidou diante do campo adversário e chegou a ficar perto do gol em lance que Quintino concluiu e o experiente Luisinho Netto salvou quase em cima da linha.

Essa experiência toda no fim das contas favoreceu o time do Iguaçu, que teve paciência para encontrar as falhas do Uberlândia e frieza suficiente para decidir a partida e o confronto.

O também experiente Marcelo Tamandaré precisou de apenas dois lances nos 45 minutos iniciais que atuou para colocar o Alvinegro da Colônia em vantagem. Aos 30 minutos, marcou o gol de abertura e aos 42 minutos repetiu a dose, usando de oportunismo e velocidade em um lance de contra-ataque.

No segundo tempo, precisando do resultado, o Uberlândia mudou taticamente soltando mais os jogadores agudos. Porém, sobrou espaço para o contra-ataque. Foi assim, num contra-ataque, que Hideo, mais um da turma daqueles com mais de 35 anos, aproveitou na base da velocidade para fazer 3 a 0.

O técnico Joãozinho Ribeiro lançou aos 30 minutos o meia Radamés, tentando uma reação. Inicialmente, a mexida deu certo. Logo os 32 minutos, o camisa 15 diminuiu o marcador ao chutar de perto da meia lua. Porém, no minuto seguinte, em uma jogada de contra-ataque, Pablo arrancou pela direita e deixou Romário pronto para fazer o quarto do Iguaçu. No lance, o time do Uberlândia reclamou que o assistente Weber Felipe Silva havia sinalizado uma falta da defesa e que isso teria feito a zaga parar. O árbitro Thiago mendes Moreira deu vantagem e a jogada prosseguiu até o gol.

Nos juvenis, Renovicente passa após a trave balançar dos dois lados

Na preliminar de juvenis, o Renovicente avançou para as semifinais após empatar sem gols com o Iguaçu. O jogo de ida teve vitória do Tricolor do Santa Cândida por 2 a 0 o que dá um agregado de 4 pontos a 1 para o Renô.

Num jogo cheio de chances para as duas equipes e com uma expulsão de cada lado, o placar esteve perto de ser movimentado. Cada time acertou a trave do adversário por uma vez e o duelo terminou com o Iguaçu buscando desesperadamente o gol que levaria o confronto para os pênaltis colocando o seu goleiro para atacar na área adversária.

Caso a FPF não altere a tabela para adequar os deslocamentos, o Renovicente pegará o Novo Mundo com a ida no José Drulla Sobrinho e a volta no Egydio Ricardo Pietrobelli, casa do Iguaçu.

Ficha Técnica:

Iguaçu 4 x 1 Uberlândia

Estádio Egydio Ricardo Pietrobelli, Santa Felicidade, Curitiba

Iguaçu: Rodrigo; Luisinho Netto, Douglas, Emerson e Juninho  (Tomate); Adam (Aderaldo), Léo Gago (Zé Nunes) e Pablo (Pequi, depois Caio); Marcelo Tamandaré (Romário), Marcelo Moscatelli e Hideo. Técnico: Juninho.

Uberlândia: Jiraya; Luan Santos (Walysson), Tiagão e Alex Paiva; Juliano, Henrique (Radamés), Rafinha, Paulinjo (Fumaça) e Alan; Quintino e Diego Sena. Técnico: Joãozinho Ribeiro.

Arbitragem: Thiago Mendes Moreira, Weber Felipe Silva e Euclides Lucas José Garcia.

Gols: Marcelo Tamandaré (IGU, aos 30/1.º, aos 42/1.º), Hideo (IGU, 24/2.º), Radamés (UBE, aos 32/2.º), Romário (IGU, aos 33/2.º).

Cartões Amarelos: Douglas, Adam (IGU), Luan Santos, Henrique, Diego Sena (UBE).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro