Tag Archives: Urano

Fortaleza garante primeiro lugar na chave ao vencer e eliminar Urano

Jogadores do Fortaleza comemoram o gol de Michael, o terceiro na vitória sobre o Urano

Em um jogo de tensão e muitas alternativas, o Fortaleza foi mais eficiente e garantiu o primeiro lugar do Grupo A da Série B da Suburbana ao bater o Urano por 3 a 2 em jogo realizado neste sábado (30) no Antonio Monteiro Sobrinho. O time do Gabineto terá pela frente no mata-mata o bom time do Grêmio Ipiranga, quarto colocado do Grupo B, decidindo em casa. A ida será dia 7 às 15h30 no Elba de Pádua Lima. Com a derrota, o Urano, pela primeira vez em sua história, está fora da fase decisiva da Série B, que havia disputado uma única vez e subido, pois ficou em quinto lugar na chave.

Roberto, Giovane e Michael marcaram para o Forta. Flavinho e Marlon fizeram os gols do Azulão. A próxima fase deverá começar no próximo fim de semana.

“Complicado. Time foi aguerrido e lutou até o final. Tivemos de improvisar algumas peças pela expulsão do nosso querido amigo Elízio. Futebol é isso. Agora temos de trabalhar para ano que vem formarmos um time mais forte e ajudar o Urano”, disse Marlon do Urano. “Hoje foi bem o que a gente esperava. Não demos muitas chances para eles, falhamos em alguns deles. Agora não podemos errar, pois a próxima fase é outra e não vale nada o primeiro lugar. Agora queremos passar o mata-mata e subir o Fortaleza que é o mais importante”, disse Michael do Fortaleza.

O jogo

Precisando vencer para não depender de outros resultados (que inclusive não ajudaram, tendo em vista que o Caxias fez 3 a 0 no Bangu), o técnico Serginho Jordão escalou o Urano pensando no campo estreito e na necessidade de vitória com três zagueiros e a dupla do lado esquerdo, Flavinho e Pedrinho explorando as frequentes subidas do lateral Piwi do Fortaleza.

No entanto, o Fortaleza marcou na primeira chance que teve. Aos 14 minutos, após bate e rebate entre as intermediárias, Roberto dominou, driblou pela esquerda e bateu forte de fora da área para abrir o placar. Na comemoração, mostrou a camisa com a foto de um integrante da torcida do Fortaleza morto em um acidente de trânsito na última semana. A equipe da casa usou faixa de luto no uniforme devido ao acontecido.

O gol deu mais tranquilidade ao Fortaleza, que já estava classificado e buscava apenas ratificar a liderança. Fora de campo, as notícias dos resultados da rodada juntavam mais nervosismo ao time do Urano, que tentou diversas vezes especialmente pelo lado esquerdo do campo. Em uma delas, o goleiro Varde fez duas grandes defesas. Na primeira, teve reflexo para defender mesmo após o desvio de cabeça de Lucas. Na segunda, cresceu para cima de Marlon no rebote.

Eis que, após minutos de pressão, o Urano acabou sendo vítima do mais cruel dos clichês do futebol: quem não faz toma. Giovane, aos 45 minutos da etapa inicial concluiu e ampliou para o Fortaleza.

Precisando da virada, o técnico do Urano tratou de sacar um zagueiro e botar o time para a frente, além de buscar mais fluidez no ataque com o veloz Paulinho, ex-Uberlândia (o último jogador a pedir música em nosso site).

O time da Vila São Pedro conseguiu diminuir em um pênalti bastante discutido se foi dentro ou fora da área, pois a linha não estava muito clara. Flavinho bateu bem e colocou fogo no jogo. O Urano passou  ter mais ímpeto. Massa chegou a colocar bola na trave.

Mas o ímpeto todo esfriou aos 24 minutos da etapa final, quando Elízio, que tinha amarelo, acertou um carrinho na intermediária. Segundo amarelo e Urano com dez em campo. O efeito imediato foi Flavinho indo para a zaga e o time, pela primeira vez, perdendo o domínio da faixa esquerda.

Foi por ali que Michael, jogo aos 27 minutos, apareceu e bateu. A bola caprichosamente bateu na trave, na cabeça do goleiro Ricardo e entrou. Terceiro gol do Fortaleza, que garantiu mais tranquilidade à partida.

Nos minutos que restaram, viu-se um Urano partindo com desespero para o ataque tentando diminuir para depois buscar o único resultado que interessava: a vitória. A carga foi suficiente apenas para Marlon, aos 45 minutos, aproveitar chute cruzado pela esquerda após corta-luz de Paulinho, diminuindo o marcador.

Nos juvenis, Urano passeia e é o primeiro do grupo

Na preliminar, inicialmente, um acontecimento um tanto chato. Chegamos ao estádio com o jogo nos primeiros minutos (Gracias, URBS!). Pela primeira vez na competição, a mesma regra do profissional para acesso ao campo foi adotada, deixando-nos fora do campo no primeiro tempo de partida. Nos demais jogos, era comum credenciados acessarem o campo com o jogo em andamento, sem maiores constrangimentos ou impedimentos. Estar 30 minutos antes no campo, motivo alegado pelo representante, pode até estar em regulamentos da entidade, mas não estava listado, inclusive, nas orientações úteis deixadas no site da Federação Paranaense de Futebol, na página de credenciamento.

Sete vezes Urano na preliminar de juvenis

Com a bola rolando, o Urano, já classificado e brigando gol a gol pelo primeiro lugar na chave, conseguiu o que queria: a vitória por 7 a 0 sobre o Fortaleza, já eliminado, garantindo um polpudo saldo de 21 gols a favor.

O bom zagueiro PH abriu o placar aos 4 minutos. Logo depois, o Fortaleza equilibrou a partida, mas perdeu chances de empatar, ao mesmo tempo que o Urano perdeu um chance incrível do outro lado. Com o tempo passando, o time visitante mostrou mais concentração e impôs seu jogo ao ampliar com Natan aos 29 minutos, Matheus Lara aos 30 e André aos 32, numa avalanche de gols.

Na segunda etapa, a chuva apertou, mas o Urano não relaxou tanto, ampliando com Matheus Lara aos 3 minutos, Natan aos 22 e André aos 33, fechando o placar. O Fortaleza teve uma expulsão na etapa final.

Durante a semana a FPF irá anunciar a tabela dos juvenis. o Urano, pelo regulamento deste ano, pega o Santíssima Trindade, quarto da outra chave. Resta saber se as partidas serão isoladas ou se na preliminar de outros jogos da B. A ida será sábado dia 7 às 13h30, na preliminar do jogo adulto entre Santíssima Trindade x Vila Hauer.

Ficha Técnica

Fortaleza 3 x 2 Urano

Estádio Antonio Monteiro Sobrinho, Jardim Gabineto, CIC, Curitiba

Fortaleza: Varde; Piwi, Marcão, William Neguinho e Dudu (Nikimba); Thiago, Michael, Roberto e Giovane; Alisson (Pedro) e Cafu (Andrei). Técnico: Vilmar Assunção.

Urano: Ricardo; Batata, Elízio e Thiago Maciel (Massa); Marlon, Maikon (Jhonathan), Gleisson e Flavinho; Giovani; Lucas (Paulinho) e Pedrinho (Carlinhos). Técnico: Serginho Jordão.

Arbitragem: Thiago Coltre Nogueira, Alex Sandro Euzébio da Silva, Daniel Dantas Canário de Melo.

Gols: Roberto (FOR, aos 14’/1.º), Giovane (FOR, aos 45’/1.º), Flavinho (URA, aos 5’/2.º), Michael (FOR, aos 27/2.º), Marlon (URA, aos 45/2.º).

Cartões Amarelos: Thiago, Cafu (FOR); Batata, Elízio, Flavinho (URA).

Cartão Vermelho: Elízio (URA, aos 24’/2.º, dupla advertência).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Urano e Vila Hauer empatam em jogo de muito contato pela Série B

Partida na Vila São Pedro foi de muita disputa e contato físico

A partida foi pela abertura do Grupo A da Série B da Suburbana na tarde deste sábado (12) no Manoel Garcia de Andrade, mas Urano e Vila Hauer fizeram um duelo de muita história, total de cinco títulos da Série A em campo (1995 e 1999 do Vila Hauer, e 2001, 2008 e 2009 do Urano). E o jogo foi bastante pegado, com muito contato corporal e placar final de 1 a 1. Giovani marcou para o Urano e Teixeira para o Vila Hauer.

“Foi partida dura, sempre complicado aqui. Primeiro jogo fomos bem, Urano é um time para brigar pelas cabeças, até poderíamos ter ganho, tivemos mais chances que eles, mas valeu o resultado”, disse Teixeira do Vila Hauer. “Vila Hauer é tradicional como o Urano. Foi nossa estreia depois de um ano sabático do Urano. Enfrentamos um time que vinha jogando junto há um tempo. A gente bater de igual para igual com eles é motivo de orgulho e vocês podem esperar muito do Urano”, analisou Giovani do Urano.

Na próxima rodada, o Urano vai até o Octávio Silvio Nicco e encara mais um favorito, o Bangu. Já o Vila Hauer recebe o Olímpico no Donato Gulin. Os juvenis entram em campo às 13h30 e os adultos às 15h30.

O jogo

Com o gramado sofrendo efeitos da falta de chuva em Curitiba e o piso bastante irregular, a arma das duas equipes foi jogar por cima. As dimensões reduzidas do campo do Manecão, colaboraram também para uma maior intensidade de jogo e para um maior choque entre os atletas. Não se finalizou tanto na primeira etapa, mas o Urano foi superior nela.

O gol do Azulão saiu logo aos 12 minutos da etapa inicial. Giovani cobrou falta da direita e a bola foi direto no gol de Diego, para alegria da maioria de um bom público no estádio.

Entre encontrões e tentativas de ir à área, o Vila Hauer conseguiu o empate após desvio de Teixeira aos 40 minutos.

Apesar de truncado e de bastante choque físico, o jogo pôde ser considerado leal. No entanto, quem levou a pior foi o volante do Vila Hauer, Márcio Campina, que ralou a testa em uma disputa no começo do jogo e depois ficou com o nariz sangrando após outro choque. O camisa 5 teve de sair no intervalo sem conseguir estancar o sangue do nariz. “Acontece”, disse ele ao sair.

Na segunda etapa, o jogo continuou em alta rotação, com uma bola na trave para cada lado e muita poeira subindo nas jogadas mais fortes. Mas o placar manteve-se em 1 a 1.

Igualdade também nos juvenis

Nos juvenis, Urano e Vila Hauer não saíram do zero

Na preliminar de juvenis, nada de gols. O 0 a 0 persistiu do início ao fim em um jogo em que o Urano foi superior na maior parte do jogo, mas não conseguiu valer o domínio. A equipe da casa conseguiu botar a bola mais no chão e finalizar mais, enquanto que o Vila Hauer demorou para entrar em sintonia com a partida, entendendo que não dava para ficar rifando a bola frente a uma defesa de alta alta estatura e com boa saída de bola.

Para quem não assistiu à segunda parte de nosso guia ou para quem não recorda, as duas equipes foram apontadas como dois dos trabalhos juvenis da Série B que merecem atenção de quem for ao estádio.

Ficha Técnica:

Urano 1 x 1 Vila Hauer

Estádio Manoel Garcia de Andrade (Manecão), Vila São Pedro, Xaxim, Curitiba

Urano: Ricardo; Nivaldo, Elízio, Thiago Maciel e Flavinho; Maikon, Carlinhos (Lucas), Jhonathan (Tito) e Giovani; Marlon e Dioglê (Pedrinho). Técnico: Serginho Jordão.

Vila Hauer: Diego; Glauco, Italiano, Camilo e Vagner (Júnior); Márcio Campina (Guilherme), Xuxa (Rafael), DVD (Anderson) e Teixeira; Márcio e William (Matheus). Técnico: João Paulo Kochan.

Arbitragem: Cristiano Antônio Teixeira, Alexsandro Eusébio da Silva, Marco Aurélio dos Santos.

Gols: Giovani (URA, aos 12’/1.º), Teixeira (VHA, aos 40’/1.º).

Cartões Amarelos: Flavinho, Dioglê (URA); Glauco, Márcio Campina, Xuxa (VHA).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Urano é mais uma ausência confirmada na Suburbana 2016

O Urano teve sua inscrição negada pela Federação Paranaense de Futebol, que alega atraso em alvará: clube nega irregularidade, mas anunciou que não tentará participar da competição deste ano

O Urano teve sua inscrição negada pela Federação Paranaense de Futebol, que alega atraso em alvará: clube nega irregularidade, mas anunciou que não tentará participar da competição deste ano via tapetão

A Suburbana de 2016 tem mais uma baixa importante. O Urano, três vezes campeão da Série A e uma da Série B, e que chegou a ter uma hegemonia no final da década passada, teve a inscrição negada pela Federação Paranaense de Futebol (FPF) no dia do arbitral, realizado nesta quarta-feira (1.º). A entidade alegou que o Azulão da Vila São Pedro teria atrasado o pagamento do alvará anual, o que é negado pela diretoria, que afirmou estar em dia com todas as obrigações com a FPF e o Tribunal de Justiça Desportiva (TJD).

No entanto, o clube decidiu não recorrer aos tribunais e anunciou em seu perfil oficial que não disputará a competição nesta temporada o que significa que não recorrerá ao TJD. “Hoje, 02 de Junho de 2016, com profunda tristeza, comunicamos que essa historia terá uma pequena pausa, comunicamos que a Associação Clube Esportivo Urano não participará do campeonato amador no ano de 2016. Por um erro administrativo (não nosso) e aviso tardio, nos foi tirado o direito de participar do campeonato. Estaremos no nosso estádio, esclarecendo qualquer duvida, nos procure a quem interessar”, afirmou o clube em nota, em que agradece o apoio de sua comunidade, torcedores, sócios e patrocinadores nos 22 anos ininterruptos em que participou dos campeonatos federados. Em seu retorno, o Urano terá de começar novamente da Série B.

Esta foi a segunda baixa da Série A da Suburbana nesta temporada. A primeira foi o campeão da Série B, Combate Barreirinha, também tradicional, que alegou inviabilidade financeira e pediu licença das competições por um ano.

Arbitral define nova fórmula de disputa

Santa Quitéria defenderá o título de 2015

Santa Quitéria defenderá o título de 2015

Com a ausência do Urano, o Capão Raso, quarto colocado da última Série B foi promovido à elite, somando doze times: Santa Quitéria, Iguaçu, Trieste, Vila Fanny, Renovicente, Operário Pilarzinho, Nova Orleans, Novo Mundo, Nacional e os promovidos Uberlândia, Imperial e Capão Raso.

A essência do regulamento foi alterada. Se ano passado todos enfrentavam todos em turno único e havia uma divisão em grupos para classificação e uma chave geral para o rebaixamento, a coisa neste estágio foi simplificada, com uma classificação só, classificando os oito primeiros e rebaixando os dois últimos. Nos anos anteriores, havia dois grupos com quatro na segunda fase com turno e returno. Agora, teremos mata-mata até a decisão. A competição encolheu em número de datas: de 19 ou 20 (se houvesse necessidade de terceiro jogo na final) para 17.

Os juvenis, que fazem as preliminares seguem acompanhando os adultos quando possível no chaveamento. A rodada inicial está marcada para o dia 16 de julho.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Lenda do CM 01/02 defende o Urano na Suburbana

John, ao centro, pelo Urano: atacante foi um dos atletas promissores brasileiros em algumas atualizações do Championship Manager 01/02

John, ao centro, pelo Urano: atacante foi um dos atletas promissores brasileiros em algumas atualizações do Championship Manager 01/02

De vários anos para cá, os jogos eletrônicos de futebol passaram a ter nomes reais de atletas e com a franquia Championship Manager/Football Manager não foi diferente. A sequência de jogos de manager, em que o jogador faz a função de técnico/manager da sua equipe, alcançou tanta notoriedade e tem a base de dados tão completa que há clubes no mundo que o utilizam para prospectar atletas promissores. Alguns deles acabam se desenvolvendo e virando jogadores de ponta no futebol mundial, como o colombiano Fredy Guarín, atualmente na Inter de Milão. Outros viram lendas do jogo por se desenvolverem nele, mas não chegarem a ser estrelas, como o bielorrusso Maxim Tsigalko, que parou de jogar aos 26 anos devido a sucessivas lesões, tendo jogado no máximo no Dinamo Minsk e defendido sua seleção por duas vezes, fazendo um gol. E um caso mais próximo do segundo que encontramos na Suburbana: John, atacante de 32 anos do Urano, que ficou famoso em algumas atualizações do Championship Manager 01/02, o CM, como atacante do Figueirense que evolui e chega, em alguns casos, até à seleção brasileira.

John correndo para comemorar o gol sobre o Vila Hauer na última rodada da 1.ª Fase

John correndo para comemorar o gol sobre o Vila Hauer na última rodada da 1.ª Fase

John, que no jogo aparece como John Daniel (o nome completo dele é John Daniel Zellner), aparece na database original do jogo, mas é em uma atualização muito popular no Brasil por volta de 2003 que se destacou mais. A atualização é a ProUpdate 03/04 v. 2.0, então disponível em websites brasileiros do assunto (lembrando que o jogo não era vendido no país na época). John Daniel, assim como o da vida real, atua como atacante pelo meio sendo referência ou vindo de trás, inclusive como enganche, ou ainda pela direita. O John virtual inclusive é temperamental, como o próprio jogador admitiu ser.

John jogou os 90 minutos contra o Novo Mundo, na estreia na 2.ª Fase da Suburbana na semana passada

John jogou os 90 minutos contra o Novo Mundo, na estreia na 2.ª Fase da Suburbana na semana passada

Mas que rumo tomou John desde quando estava no Figueirense e foi apontado como promissor, rendendo a versão virtual famosa? O catarinense de Papanduva, cidade distante 315 km de Florianópolis e apenas 188 km de Curitiba, disputou três Copas São Paulo pelo Figueira, sendo um dos destaques da equipe que revelou também, como jogador mais famoso, Filipe Luís, atleta de seleção brasileira principal. Em 2006, saiu do Figueirense para jogar a Suburbana pelo Urano, sendo autor do título da competição em 2009. Entre idas e vindas, defendeu Rio Branco de Paranaguá, Londrina e o Atlético Nacional de Medellín, uma das grandes equipes do continente, em que foi colega do lendário Victor Hugo Aristzábal (este atuou pouco, devido às lesões que o atormentaram próximo do fim da carreira). Em 2012, largou o profissionalismo e retornou ao Urano, mas acabou voltando a morar em Santa Catarina em 2013. Agora, pega a estrada para treinar e jogar pelo Urano.

John tenta evitar a saída da bola pela linha lateral

John tenta evitar a saída da bola pela linha lateral

E como o próprio John lida com esta relativa notoriedade nos gramados virtuais? “Na verdade, ouvi comentários sobre este jogo e nunca tive o prazer de jogar. Uma vez ou outra, amigo meu comentava e até saiu em revista do Figueirense. Quero realmente ver como é que é, se sou mesmo brigão como sou no campo”, comentou após o jogo contra o Novo Mundo.

Os jogos na Suburbana são muitas vezes ríspidos. Neste caso, sobrou para John, que sofreu uma falta e terminou a jogada sentado no chão

Os jogos na Suburbana são muitas vezes ríspidos. Neste caso, sobrou para John, que sofreu uma falta e terminou a jogada sentado no chão

A história do CM/FM

A série Championship Manager surgiu em 1992 com seu primeiro título, Championship Manager, pela então Intelek, hoje Sports Interactive, subsidiária da Sega, e distribuída pela Domark, que depois veio a ser adquirida pela Eidos, ainda rodando sob a plataforma DOS. A terceira geração do jogo, o CM 3, começou com a versão 99/00, passou pela 00/01 e chegou à 01/02, a mais famosa. Com a difusão da internet, o CM pôde finalmente superar concorrentes, como o português Elifoot, em popularidade.

A geração seguinte, a do CM 4, teve novidades como a apresentação dos lances em uma animação 2D. Após o CM 03/04 a Sports Interactive, que programava, e a Eidos, que distribuía, romperam a parceria e a marca Championship Manager acabou ficando a distribuidora. A Sports Interactive, então, lançou o Football Manager, que em suas versões anuais acabou por superar a antiga franquia. O FM atual possui animações 3D e cada vez mais reproduz aspectos do mundo real do futebol como a presença de empresários, fatiamento de atletas, entrevistas coletivas e a mais recente, para a versão 2016, é a existência de rivalidades dinâmicas entre clubes e personalização da aparência do treinador na beira do campo.

Porém, o CM 01/02, que é bastante leve e simples, sem precisar de grandes recursos de computador para rodar, continua popular. Desde 2008, passou a ser disponibilizado gratuitamente pela própria Eidos no website da companhia. Existe um grupo brasileiro no Facebook  que inclusive tem atualizações e patches da versão, permitindo jogar campeonatos atuais com jogadores e clubes atuais.

Na rodada

Não foi uma boa rodada para John e o Urano. A equipe da Vila São Pedro jogou fora de casa neste sábado (10) e perdeu para o Nacional por 1 a 0. Com o resultado e com a vitória do Novo Mundo sobre o Iguaçu por 3 a 2, o Urano é o lanterna da chave, com 1 ponto, com Nacional chegando a 3, Iguaçu e Novo Mundo com 4.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Com um a menos, Novo Mundo arranca empate do Urano no Manecão

Urano e Novo Mundo fizeram um jogo disputado no Manecão que acabou em mais um empate por 1 a 1

Urano e Novo Mundo fizeram um jogo disputado no Manecão que acabou em mais um empate por 1 a 1, repetindo o placar da 1.ª Fase

Num jogo bastante disputado, tendência do campeonato que se afunila, Urano e Novo Mundo ficaram no 1 a 1. O jogo deste sábado (3) no Manecão valeu pela abertura da 2.ª Fase da Suburbana. Richard marcou para o Urano e Marquinhos fez o gol do Novo Mundo, que jogou desde os 44 minutos do 1.º tempo com um jogador a menos após a expulsão de Geraldo.

“Queríamos a vitória, mas jogamos resto do primeiro e o segundo tempo com um a menos em um campo pequeno. O time foi valente e não foi o pior dos resultados. Agora é jogar em casa e buscar vitórias”, afirmou Marquinhos, autor do gol do Novo Mundo. “Infelizmente não conseguimos trabalhar a bola com um a mais e tomamos o gol no contra-ataque. Agora é trabalhar para jogar contra o Nacional e buscar a vitória. Futebol é assim: a bola pune e quem não faz leva”, afirmou Richard, autor do gol do Urano.

Com o resultado, Urano e Novo Mundo dividem a vice-liderança do Grupo C com um ponto, três a menos que o líder Iguaçu, que, além do ponto extra, venceu o Nacional por 1 a 0. Na próxima rodada, dia 10 de outubro, o Novo Mundo recebe o Iguaçu e o Urano visita o Nacional, com Nacional e Operário Pilarzinho, neste caso, fazendo a preliminar de juvenis. Juvenis entram em campo às 13h30 e adultos às 15h30.

O jogo

A primeira etapa começou com jogadas fortes e com o Urano assumindo as rédeas do jogo ao longo do tempo e as chances foram aparecendo. Aos 34 minutos, Richard aproveitou e abriu o marcador para a alegria da torcida da casa.

Aos 44 minutos, Geraldo, que tinha amarelo, levou o segundo, o que significou o cartão vermelho e a expulsão. Com isso, o Novo Mundo ficou com um a menos e parecia que não seria páreo para um Urano que mostrava confiança.

Porém, na segunda etapa, a coisa mudou de figura. O Urano passou a apostar muito em bolas esticadas e a defesa do Novo Mundo começou a se destacar e o time visitante a criar chances, mesmo com um jogador a menos. O gol saiu aos 26 minutos num lance bastante reclamado pelos jogadores do Urano, que viram impedimento de Marquinhos no lançamento em que recebeu e bateu para vencer Aracaju.

Nos juvenis, placar fechado entre Operário Pilarzinho e Novo Mundo

Na preliminar de juvenis, o Operário Pilarzinho (que acompanha o Urano na tabela da 2.ª Fase) e o Novo Mundo ficaram no 0 a 0. Foi um jogo bastante disputado entre duas das melhores equipes da 1.ª Fase (o Novo Mundo inclusive começou a fase com um ponto extra por ter sido o campeão de seu grupo).

O resultado pareceu melhor assimilado pelo Operário Pilarzinho que, mesmo tendo um jogador expulso no início do 2.º tempo, criou muitas das melhores chances de sair com a vitória.

Haja gente para embalar

Alguns nomes são moda em algumas épocas. Daqui a alguns anos nos juvenis da Suburbana, teremos vários Lorenzo, Enzo, Enrico, Antônio e Joaquim. Assim como já tivemos uma estação com muitos Rafael e outros nomes mais populares entre os pais. A categoria juvenil da Suburbana é atualmente para jogadores nascidos em 1998, 1999 e 2000. No time do Novo Mundo, surgiu uma interessante constatação a respeito da composição da equipe: cinco jogadores chamados Mateus ou Matheus entre os 18 relacionados. Provavelmente efeito Bebeto neles.

Quase que foi…

Quem for conferir nosso slideshow com mais de cem imagens das partidas ali no fim do post irá dar falta de algumas fotos que normalmente estão lá: os times e a arbitragem posados. O motivo é que nosso equipamento teve uma senhora falha crítica no entrejogos, mas foi reanimado após alguns minutos, a despeito de um grande temor de que iria para o céu dos equipamentos eletrônicos, e seguiu com a bola rolando.

Ficha Técnica:

Urano 1 x 1 Novo Mundo

Estádio Manoel Garcia de Andrade (Manecão), Vila São Pedro, Xaxim, Curitiba

Urano: Aracaju; Gleisson (Dionathan), Nathan, Wissan e Flavinho; Neguinho, Massai e Mikael (Pulga); John; Adriano Marmita (Diego) e Richard. Técnico: Serginho Jordão.

Novo Mundo: Jansen; Gean (Marquinhos), Paulo Sérgio e Muriel; Bruninho, Matheus, Geraldo, Hideo e Anderson; Gelson e Lucas Batatinha (Dione). Técnico: Ivo Petry.

Arbitragem: Cristian Eduardo Gorski da Luz, Deniel Carvalho e Giovani M. de O. Massoquetto.

Gols: Richard (URA), aos 34’/1.º; Marquinhos (NMU), aos 26’/2.º.

Cartões Amarelos: Neguinho, Adriano Marmita, Richard (URA); Paulo Sérgio, Muriel, Matheus, Geraldo (NMU).

Cartão Vermelho: Geraldo (NMU), aos 44’/1.º (dupla advertência).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

2 Comments

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Urano reencontra vitória e rebaixa Vila Hauer

Reestreando no Manecão, Jhon comemora o terceiro gol do Urano sobre o Vila Hauer. Após seca de quatro jogos, Azulão fecha fase em segundo do grupo e pega Grupo C

Reestreando no Manecão, Jhon comemora o terceiro gol do Urano sobre o Vila Hauer. Após seca de quatro jogos, Azulão fecha fase em segundo do grupo e pega Grupo C

Após quatro jogos sem saber o que é uma vitória, o Urano reencontrou a sensação de sair de campo com três pontos na tarde deste sábado (19), no Manecão, ao fazer 4 a 2 no Vila Hauer. O resultado rebaixou a equipe Tricolor, lanterna geral com cinco pontos, e deixou o Azulão com o segundo lugar do Grupo B com 17 pontos, dois a menos que o Renovicente. Eduardo Felipe, Adriano Marmita, Jhon e Richard fizeram os gols do Urano, enquanto que Rogério e Márcio Mexerica anotaram para o Vila Hauer, que agora só volta a campo em 2016 com a missão de retornar à elite.

 

No Urano, o pensamento já está na Segunda Fase. “Na próxima fase, com time entrado e bem, esperamos fazer bons jogos”, afirmou Eduardo Felipe, que atuou nesta partida como zagueiro do Urano. “Agora o foco muda, com objetivo alcançado de classificar. Temos dois dias na semana para treinar [nota para o leitor não acostumado: os times amadores costumam treinar uma ou duas vezes na semana] e manter o foco. Superamos o problema dos últimos jogos de fazer gols, se perder e perder pontos no fim. Agora é nos acertarmos para a próxima fase”, completou Jhon, autor do terceiro gol do Azulão.

No Vila Hauer, a ordem é arrumar a casa e tentar o retorno à elite na próxima Série B. “Começou a dar errado em algumas coisas, algumas contratações. A gente contratou um pacote de jogadores que acabou complicando e dividindo o grupo. Tinha gente querendo dar rasteira e derrubar técnico. Quando a gente tomou medidas, já era tarde. Agora é estruturar, pegar ano que vem ‘um polaco de cada colônia’ [gíria paranaense para buscar uma pessoa de cada lugar] e evitar formar panelinhas. Estamos aprendendo com os erros deste ano uma lição”, explicou o auxiliar técnico Edmílson Luxemburgo, um dos responsáveis por orientar o time na beira do campo devido à suspensão do técnico Marinho Lima.

 

A Federação irá divulgar esta semana a tabela da próxima fase. O Urano ficou no Grupo C, com Iguaçu (dono de um ponto extra), Novo Mundo e Nacional. A outra chave, a D, é formada por Renovicente (dono de ponto extra), Trieste, Santa Quitéria e Vila Fanny.

O jogo

 

Com o Vila Hauer precisando vencer para pensar em se salvar do rebaixamento para depois ver os outros resultados, o jogo começou a caráter para o Urano. A equipe da Vila São Pedro explorou a velocidade de seus atacantes forçando a zaga do Vila Hauer, que se mostrou lenta, a se abrir. O gol saiu em jogada de bola parada pela esquerda em que o jovem Eduardo Felipe, 19 anos e que atuou de zagueiro após ter sido visto de meia-ofensivo e volante pela reportagem nesta temporada, desviou de cabeça aos 9 minutos. “Eu jogo de lateral-direito, volante e zagueiro. Joguei também de meia ofensivo. Sou o mais novo do elenco, faço 20 anos em outubro. O pessoal sempre passa confiança antes de entrar em campo e orienta. Pressão não há nenhuma e isso sempre ajuda em campo”, revelou o camisa 4.

Com o Vila Hauer tentando sair mais ainda, o Urano sentiu-se mais à vontade ainda em seus domínios e ampliou aos 35 minutos com Adriano Marmita desviando jogada de escanteio. Na primeira etapa, o Urano perdeu por lesão um de seus estreantes, o volante Neguinho, que machucou o ombro após choque com o zagueiro Alex na intermediária.

Na segunda etapa, foi a vez de um estreante, na verdade re-estreante, comemorar. Aos 14 minutos, Jhon, que voltara após dois anos e que está na história como autor do título de 2009, recebeu bola no campo de ataque e escolheu o canto para vencer o goleiro Diogo. Na comemoração do primeiro gol em seu retorno ao Azulão, o meia-atacante fez sinal de “sai nhaca” e beijou o escudo. “Tenho carinho grande pelo torcedor. Estava desde 2007 aqui, mas saí para jogar em Santa Catarina. Dois anos que eu não jogava aqui. Fiquei 60 dias com lesão no joelho. Os meninos deram confiança e eu conhecia o grupo. Feliz que jogamos bem e o gol saiu. Fico agradecido pelo apoio que o Urano me deu, o Mancha, fisioterapeuta, ajudou bastante na recuperação”, afirmou Jhon. Outro re-estreante foi o goleiro Paulo Henrique, que não defendia o clube há dez anos.

Com uma vantagem aparentemente confortável, o Urano baixou as rotações e deu espaço ao Vila Hauer. Rogério diminuiu aos 25 minutos. Aos 40 minutos, Baiano, que havia acabado de entrar, fez pênalti, que foi convertido por Márcio Mexerica, num chute forte no meio do gol. Com os resultados dos demais jogos colaborando, a virada salvaria o Vila Hauer do rebaixamento, algo que parecia improvável há duas rodadas e que reacendia o fantasma dos minutos finais do Urano, time que deixou de somar alguns pontos por gols sofridos no fim.

Porém, no último lance do jogo, aos 45 minutos do segundo tempo, o atacante Richard recebeu na frente e definiu o placar, garantindo o segundo lugar do grupo ao Urano e rebaixando o Vila Hauer.

Despedida de inverno

A rodada deste fim de semana foi a última do inverno, estação que neste ano teve pouco frio para os padrões curitibanos. O calor maltratou os jogadores em campo, chegando aos 31 graus durante o jogo de fundo e obrigando, ao menos na primeira etapa, a decretação de parada técnica para reidratação.

Sócio-torcedor

O Urano aproveitou a última partida da 1.ª Fase para lançar seu novo site e seu programa de sócio-torcedor. A partir da segunda fase, os jogos terão cobrança de entrada, mas o sócio-torcedor, que pagará uma mensalidade de 10 reais na Categoria Bronze, 15 reais na Categoria Prata e 20 reais na Categoria Bronze, não pagará nos jogos como mandante e, dependendo da categoria, terá outros benefícios como participação de sorteio de camisas, eventos oficiais do clube e descontos no uso das instalações do clube para eventos. Mais informações em www.clubeurano.com.br.

Gols, golaço e dois cartões fumegantes

Na preliminar de juvenis, sem chances de classificação para a próxima fase, Urano e Vila Hauer fizeram um jogo bastante nervoso com muitos gols, um gol antológico e dezenas de cartões. O Urano venceu por 4 a 2 e nos cartões vermelhos foram quatro para o Vila Hauer, que ficou a uma expulsão de ficar sem jogadores suficientes, e dois para o Urano. Isso sem contar os amarelos, que subiram em grande profusão a cada falta mais exacerbada ou a cada bate-boca ou reclamação. O árbitro da preliminar, Maykon Brito de Freitas, teve bastante trabalho.

O placar foi aberto aos sete minutos de jogo por Jean, para o Urano. Igor aumentou para os donos da casa aos 33 minutos. Brisolla deu esperança ao Vila Hauer ao diminuir o marcador aos 14 minutos do segundo tempo. Igor fez seu segundo gol na partida aos 22 minutos. Então, na saída de bola, aconteceu o golaço. Gabriel, camisa 5 do Vila Hauer, chutou do meio de campo e quando o goleiro do Urano tentou fazer a defesa era tarde. Um tiro de 47,5 metros de distância (o campo do Manecão tem 95 metros de comprimento) no alto do gol. “Estava 3 a 1 para eles e aí falei ‘vou chutar’. Meu pai não vai nem acreditar no gol que fiz”, disse Gabriel após a partida.

Apesar da beleza e do inusitado, o belo gol de Gabriel foi insuficiente para levar o Vila Hauer a um resultado melhor, até porque tinha mais um garoto brilhando, no caso Igor do Urano, que fez o seu terceiro gol na partida aos 35 minutos e fechou o marcador em 4 a 2.

O Vila Hauer perdeu a partida, mas Gabriel fez aquele gol que só Pelé não fez lá do meio de campo

O Vila Hauer perdeu a partida, mas Gabriel fez aquele gol que só Pelé não fez lá do meio de campo

Ficha Técnica:

Urano 4 x 2 Vila Hauer

Estádio Manoel Garcia de Andrade (Manecão), Vila São Pedro, Xaxim, Curitiba

Urano: Paulo Henrique; Diego (Baiano), Nathan, Eduardo Felipe e Flavinho; Neguinho (Michael), Massai e Mikael (Felipe); Jhon (Jonathan); Adriano Marmita (Pulga) e Richard. Técnico: Serginho Jordão.

Vila Hauer: Diogo; Fabrício, Italiano, Alex e Glauco (Valdik); Luis, William, Márcio Campina (Lincon) e Marcelo Maia; Rogério e Márcio Mexerica. Técnico: Marinho Lima (suspenso, não treinou a equipe do gramado)

Arbitragem: Cristiano Antônio Teixeira, Luciano Roggenbaum e Eduardo Luiz Teixeira Furiati.

Gols: Eduardo Felipe (URA), aos 9’/1.º; Adriano Marmita (URA), aos 35’/1.º; Jhon (URA), aos 14’/2.º; Rogério (VHA), aos 25’/2.º; Márcio Mexerica (VHA), aos 40’/2.º; Richard (URA), aos 45’/2.º.

Cartões amarelos: Fabrício, Luís, Márcio Campina (VHA)

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Empate agridoce mantém invencibilidades de Novo Mundo e Urano

Empate por 1 a 1 na Arena Vermelha manteve Urano na liderança de sua chave e fez com que Novo Mundo chegasse a impressionantes quatro empates em quatro jogos.

Empate por 1 a 1 na Arena Vermelha manteve Urano na liderança de sua chave e fez com que Novo Mundo chegasse a impressionantes quatro empates em quatro jogos

Se tivesse um sabor para definir o empate entre Novo Mundo e Urano por 1 a 1, sábado (25), na Arena Vermelha, seria o agridoce. Para o time da casa, a doçura esteve no gol em cima da hora, 45 minutos do segundo tempo, marcado por Lucas Batatinha, o amargor esteve nos pontos perdidos em casa e na vitória que não veio após quatro rodadas. Para o Urano, a doçura esteve no resultado fora de casa e na manutenção da liderança da chave mesmo após um jogo duro em gramado pesado no meio da semana. O amargor esteve nas circunstâncias de ficar 86 minutos da frente desde o gol de Richard aos 4 minutos. Doce para ambos foi a invencibilidade mantida e um bom espetáculo para os torcedores que foram ao estádio.

“Esse empate foi muito ruim para a gente. Queríamos ganhar em casa, mas tomamos um gol logo no começo. E só deu a gente no jogo. Eles tiveram chances no contra-ataque só”, afirmou Lucas Batatinha, autor do gol do Novo Mundo e que havia jogado o último Campeonato Cearense pelo Icasa. “Infelizmente tomamos gol de empate no final, mas está de bom tamanho, pois temos agora dois jogos em casa. A gente está pensando mesmo como time pequeno, trabalhando e o que vier é lucro”, completou Richard, autor do gol do Urano.

As duas equipes voltam a campo no próximo sábado (1.º de agosto), com juvenis às 13h30 e adultos às 15h30. O Urano recebe o Vila Fanny no Manecão, enquanto que o Novo Mundo vai ao Santa Cândida, na Zona Norte, enfrentar o Renovicente.

O jogo

O Urano começou com mais ímpeto e conseguiu abrir o placar logo aos 4 minutos de jogo com boa finalização de Richard após jogada de Massai pela direita. A equipe do técnico Serginho Jordão fez uma blitz nos primeiros minutos de partida e poderia ter ampliado. Porém, perdeu seu lateral-direito Diego, aos 26 minutos, por lesão, tendo de improvisar o meio-campista Gleisson na função. Com isso, o ímpeto foi esfriando e o Novo Mundo, ainda que com dificuldades de ultrapassar a defesa azul, adonou-se do jogo.

O técnico Ivo Petry, insatisfeito com o desempenho no primeiro tempo, mexeu duas vezes no intervalo, colocando Danilo e Bruninho. Isso aliado ao desgaste do Urano colocou o Novo Mundo ainda mais na pressão. Com isso, o goleiro Yuri passou a se destacar na partida com importantes defesas. Do outro lado, Richard teve a chance de matar a partida aos 26 minutos, ao sair no mano a mano com o zagueiro e chutar da entrada da área sobre o gol defendido por Péricles.

Quando a partida parecia se encaminhar para para a terceira vitória do Urano, segunda fora de casa, em quatro partidas, uma rebatida mal feita próxima da área virou chance de cruzamento rasteiro da direita que encontrou Lucas Batatinha no lado esquerdo da área, empatando aos 45 minutos do segundo tempo.

Sem a camisa 11

O Urano entrou sem nenhum jogador com a camisa 11. Foi uma homenagem ao atacante Willian, que está fora da Suburbana devido a uma grave fratura dupla na perna. Com isso, o substituto dele, Adriano Marmita, usou a 19. Novamente os jogadores do Azulão posaram com uma faixa em apoio ao atacante lesionado.

Tem que ver isso aí

O Novo Mundo utilizou um belo uniforme com um vermelho bem vivo com algo difícil de ver até em clubes profissionais do Brasil: número da frente da camisa. O design, inclusive, lembra o do segundo uniforme da seleção dos Emirados Árabes de uns anos atrás. Porém, com o passar do jogo notou-se um curioso erro em duas das camisas. A camisa que levava o número 4 às costas estava com o número 2 à frente e a que levava o número 2 às costas estava com o número 4 à frente.

Novo Mundo goleia nos juvenis

Na preliminar da categoria juvenil, o Novo Mundo goleou o Urano por 4 a 1. Logo aos 4 minutos, Mateus Batista abriu o placar para o time da casa. Felipe Maldini ampliou aos 26 minutos. No segundo tempo, o time alvirrubro marcou o terceiro aos 12 minuto com Leonardo. Logo depois, aos 15 minutos, Pedro descontou para o Azulão. Porém, aos 24 minutos, Mateus Batista deu números finais ao duelo.

Ficha Técnica:

Novo Mundo 1 x 1 Urano

Estádio Orlando Rinaldin (Arena Vermelha), Novo Mundo, Curitiba

Novo Mundo: Péricles; Paulo Sérgio, Otávio e Samuca; Dione (Bruninho), Geraldinho, Hélton (Danilo), Matheus (Evandro) e Anderson; Vaguinho (Marcelo) e Lucas Batatinha. Técnico: Ivo Petry.

Urano: Yuri; Diego (Eduardo Felipe), Wissan, Nathan e Flavinho; Robinho, Gleisson (Dionathan), Massai e Maicon; Richard e Adriano Marmita (Pulga). Técnico: Serginho Jordão.

Arbitragem: Leandro Barros Nunes, Rafael Dias de Melo e Marco Aurélio dos Santos.

Gols: Richard (URA), aos 4’/1.º; Lucas Batatinha (NMU), aos 45’/2.º.

Cartões amarelos: Danilo (NMU). Maicon (URA).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

2 Comments

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Com ídolo do lado de fora, Urano vence Iguaçu e segue invicto

Laurinho, o auxiliar técnico, o mais alto, ao lado de Serginho Jordão, o treinador: sob comando da dupla, Urano segue invicto na Suburbana

Laurinho, o auxiliar técnico, o mais alto, ao lado de Serginho Jordão, o treinador, ambos ao fundo: sob comando da dupla, Urano segue invicto na Suburbana

O Urano bateu o Iguaçu por 1 a 0 na noite de quarta-feira (22), em jogo adiado da 3.ª Rodada da Suburbana, no Manecão. O gol do Azulão da Vila São Pedro foi marcado por Flavinho, aos 18 minutos do segundo tempo, mas o lado de fora das quatro linhas tinha alguém que brilhou no passado no mesmo clube e que agora, como auxiliar técnico, aumentou a invencibilidade do agora líder geral para três jogos: Laurinho.

O ex-camisa 9 revelou que a ansiedade antes do jogo só mudou de lugar. “Antes, era de entrar e ajudar a equipe. Agora, como auxiliar técnico é a de começar a partida e tudo acontecer da melhor maneira”, disse Laurinho.

Aos 40 anos, o auxiliar do técnico Serginho Jordão, também estreante na função dentro da Suburbana, usa parte da experiência de ex-atleta. “A gente tem o conhecimento de coisas que acontecem dentro e fora de campo para não cometer erros. A experiência propicia uma visão do jogo a´te melhor de quando jogávamos. Está dando resultado e está sendo um prazer trabalhar com eles para ter sucesso à frente. Nossa equipe foi reformulado e tem jogadores de qualidade. Vai dar muito o que falar”, afirmou.

O ex-atacante ainda recebe propostas para despendurar as chuteiras, porém, são todas negadas. “Estou afastado há quatro anos e coloquei na cabeça desde então que não daria mais para voltar, pois fisicamente tenho problema no joelho. Graças a Deus, tive esta consciência e agora partimos para outra”, explicou.

As duas equipes voltam a campo no sábado, com os juvenis jogando às 13h30 e os adultos às 15h30. O Urano vai à Arena Vermelha enfrentar o Novo Mundo, em um duelo da Zona Sul. O Iguaçu busca a reabilitação em casa, no Egydio Pietrobelli, contra o Renovicente.

O jogo

A partida foi bastante disputada com o Iguaçu ligeiramente mais incisivo no primeiro tempo e obrigando o goleiro Yuri a trabalhar em algumas jogadas e parando também em boa atuação da zaga do time da casa.

Em reformulação forçada, pois o atacante Willian está fora do restante da Suburbana por uma fratura dupla na perna esquerda sofrida no jogo contra o Trieste, o Urano demorou a se encontrar, mas isto aconteceu especialmente na segunda etapa, principalmente em jogadas de contra-ataque puxadas por Adriano Marmita, o substituto de Willian.

O gol saiu em um lance curioso. O zagueiro Douglas do Iguaçu recuava após uma tentativa de bote e a bola acabou sendo desviada pelo braço dele. Pênalti. Cobrado por Flavinho aos 18 minutos, deslocando o goleiro Rodrigo na cobrança.

Atrás no marcador, o Iguaçu partiu para o abafa e deixou o contra-ataque para o Urano. Porém, com uma defesa sólida, marca da equipe nas primeiras rodadas, o Azulão resistiu e chegou à segunda vitória em três jogos.

Antes tarde…

O atacante Marcelo Tamandaré do Iguaçu chegou ao Manecão perto do intervalo. Aqueceu e entrou aos nove do segundo tempo. Teve algumas chances de marcar, mas parou na boa zaga e no goleiro Yuri.

Nos juvenis deu Iguaçu após primeiro tempo truncado

Na preliminar, o Iguaçu levou a melhor sobre o Urano por 3 a 0. Após um primeiro tempo truncado com apenas uma chance de gol para cada lado, o time visitante levou a melhor e construiu vantagem elástica na segunda metade da partida. Juan abriu o placar aos 16 minutos, Leonardo ampliou aos 33 e Nícolas fechou o marcador aos 35.

Ficha Técnica:

Urano 1 x 0 Iguaçu

Estádio Manoel Garcia de Andrade (Manecão), Vila São Pedro, Xaxim, Curitiba

Urano: Yuri; Diego, Nathan, Wissan e Flavinho; Robinho, Michael, Massai (Eduardo Felipe) e Maicon; Adriano Marmita e Richard (Gleisson). Técnico: Serginho Jordão.

Iguaçu: Rodrigo; Caio (Roberto), Douglas, Emerson e Marabá; Zé Nunes, Juninho, Altair e Nilvano; Djonathan e Bruninho (Marcelo Tamandaré). Técnico: Alei Júnior.

Arbitragem: Lucas Paulo Torezin, Fabrício da Silva Martins e Luciano Roggenbaum.

Gol: Flavinho (URA), aos 18’/2.º.

Cartões amarelos: Diego, Michael (URA); Douglas, Zé Nunes, Altair (IGU).

Confira as imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Tropeço marca começo de defesa de título do Nova Orleans

Jogadores do Urano comemoram o segundo gol de Willian, na vitória de 3 a 0 sobre o atual campeão Nova Orleans: faixa carimbada na estreia

Jogadores do Urano comemoram o segundo gol de Willian, na vitória de 3 a 0 sobre o atual campeão Nova Orleans: faixa carimbada na estreia

O atual campeão da Suburbana, Nova Orleans, teve uma estreia para esquecer na nova temporada que começou neste sábado (27). O time da Zona Oeste foi batido em pleno José Drulla Sobrinho pelo Urano, clube que acompanhamos parte da preparação, pelo placar de 3 a 0. Willian foi o nome do jogo pelo time do Azulão da Vila São Pedro com dois gols e a assistência para o terceiro gol, marcado por Adriano Marmita.

Os dois times voltam a campo no próximo sábado (4), às 15h30, com o Urano jogando fora de casa contra o Trieste, no Francisco Muraro, e o Nova Orleans indo até o Solar do Bosque enfrentar o Renovicente.

Transição complicada para o UNO

Após o título da Suburbana do ano passado, muito coisa mudou no Nova Orleans. Alguns jogadores de destaque, como o meia Juliano, fundamental na conquista, deixaram o time. A campanha decepcionante da Taça Paraná provocou mudanças em toda a comissão técnica da equipe. Oliveira, o técnico campeão, deu lugar ao jovem Marquinhos Pateta, de 42 anos.

“Ficamos na primeira fase com um sentimento de derrota, sendo que poderíamos ter feito mais e ter ido mais longe. Mas nem sempre as coisas são da maneira que a gente quer. Tentamos corrigir os erros e esperamos ter acerto nos itens que elencamos como errados até este momento”, afirmou o diretor de futebol do Nova Orleans, Maicon Patrick, pouco antes da partida.

Com a estrela na camisa e a taça na sede, o Nova Orleans passou a ser olhado de maneira diferente, mas favoritismo parece passar longe do clube. “A gente vem com responsabilidade um pouco maior, mas existem equipes bem mais favoritas. Estamos longe de sermos um destes. Temos apenas 15 jogadores relacionados, mas temos elenco com 22 e alguns jogadores em teste, que podem entrar de acordo com a sequência do campeonato. Queremos fazer um elenco bem competitivo e que honre as cores do Orleans”, completou Patrick. Pela estreia, terá muito trabalho.

O jogo

 

Com dificuldades especialmente na conclusão de jogadas, o Nova Orleans viu um Urano bem na marcação e mais incisivo nos contra-ataques construir um placar elástico. Foi logo aos 19 minutos do primeiro tempo que Willian recebeu na área e tentou um voleio que saiu marcado, tocou nas duas traves e entrou mansamente no gol de Rogério, um dos remanescentes do título do ano passado. Foi a chave para que o Urano, que veio a campo com uma equipe experiente, jogasse ainda mais com tranquilidade , esperando mais erros do time da casa.

Na segunda etapa, após um bom começo em que levou perigo ao gol defendido por Yuri, o Nova Orleans começou a demonstrar ansiedade em buscar o empate. A ansiedade virou um passe errado no campo de defesa, aos 20 minutos, que virou um contra-ataque fulminante com Willian pela direita. O camisa 11 fulminou Rogério com um chute na gaveta, ampliando o placar.

O terceiro gol saiu de maneira semelhante. Aos 39 minutos, um passe errado virou outro contra-ataque do eficiente time do Urano, que já estava mais veloz desde a entrada de Luciano Pulga pouco antes do segundo gol. Willian teve novamente terreno pela direita, abriu caminho na marcação e foi ao fundo tocar para Adriano Marmita dar números finais ao placar a favor dos comandados de Serginho Jordão.

Muito espaço nos bancos

A exemplo do que aconteceu nas duas divisões do Campeonato Paranaense de Profissionais, a Suburbana enfrentou uma primeira rodada com as equipes com problemas para registrar atletas no novo sistema da CBF implantado neste ano. Desta feita, o Nova Orleans relacionou 16 dos 18 jogadores que poderia relacionar, enquanto que o Urano contou apenas com 15 atletas.

Nos juvenis foi o oposto

Na preliminar de juvenis, o Nova Orleans estreou com vitória de 3 a 0 sobre o Urano com três gols de cabeça. O zagueiro Igor fez duas vezes na primeira etapa após duas cobranças de escanteio idênticas do lado esquerdo. Gabriel Teixeira fechou o placar no segundo tempo ao concluir jogada em que o goleiro foi deslocado.

Ficha técnica

Nova Orleans 0 x 3 Urano

Estádio José Drulla Sobrinho, Orleans, Curitiba.

Nova Orleans: Rogério; Dudu, Eric, Márcio e Pikachu; Gema, Peteca, Pitt e Fernandinho (João); Vina (William Manfrom) e Davi. Técnico: Marquinhos Pateta.

Urano: Yuri. Diego (Felipe Vieira), Wissan, Nathan e Flavinho; Robson, Jhonatan (Luciano Pulga), Michael e Maicon; Richard (Adriano Marmita) e Willian. Técnico: Serginho Jordão.

Arbitragem: Eduardo da Silva Silveira, Diego Grubba Schitkovski e Weber Felipe Silva.

Gols: Willian (ACEU), aos 19′ do 1.º e 20′ do 2.º, e Adriano Marmita (ACEU), aos 39′ do 2.°.

Cartões amarelos: Dudu, Gema e Willian Manfron (UNO); Flavinho e Michael (ACEU).

Confira as imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro