Pílulas da Suburbana (VIII)

Parte da diretoria do Desportivo Paranaense com o presidente da FPF (Foto: Álvaro Divardin / Deportivo Paranaense)

Novo Filiado

Tem novo filiado no futebol amador de Curitiba. É o Desportivo Paranaense, clube focado no trabalho de base e que possui parceria com outros dois clubes da Suburbana na categoria juvenil, o Nova Orleans e o Vasco da Gama. O Desportivo estreará nas competições oficiais na Suburbana Série B.

Parcerias mantidas

As parcerias com o Nova Orleans e o Vasco da Gama serão mantidas, o que significa que o Desportivo terá na prática uma equipe adulta e três equipes juvenis na disputa, estas últimas jogando com as camisas do próprio clube e dos parceiros.

Casa conhecida

A primeira opção de local para mando de campo do Desportivo é o próprio José Drulla Sobrinho, campo pertencente ao parceiro Nova Orleans. Para isso, deve-se confirmar em breve que o São Braz, que também usava o campo do UNO, mande seus jogos no Monte Bérico, ótimo campo do Flamengo, que fica na divisa entre o próprio São Braz e Santa Felicidade.

Santa Quitéria terá bicampeão no banco de reservas

O Santa Quitéria, semifinalista da última Suburbana, anunciou na última semana a contratação do técnico Juninho, bicampeão da Suburbana pelo Iguaçu. Juninho havia saído recentemente do Alvinegro, clube que treinou por sete temporadas. Na última Suburbana, o Santa Quitéria começou treinado por Roberto Costa e terminou sob o comando de Ary Marques.

Passagem passada

Não é a primeira passagem de Juninho pelo time do Estádio Maurício Fruet. Na passagem anterior, o jovem treinador conquistou a Suburbana de 2010. Assim como fez agora no Iguaçu, acabou saindo do clube em alta, naquela oportunidade para treinar justamente o Galo da Colônia.

Manutenção no Vila Hauer

Quem manteve o treinador foi o Vila Hauer, que irá para mais uma temporada sob as ordens do trenador João Paulo Kochan. O Hauer jogará a Copa de Futebol Amador da Capital e na sequência a Série B da Suburbana.

Clube dos cinco?

Essa informação pintou no Rolando a Bola. A Taça Paraná deverá ter apenas cinco clubes. Apenas um a mais que a esvaziada versão de 2016, que contou com apenas quatro clubes. Dos oito times credenciados, Fanático (atual campeão, este já anunciado) e Internacional de Campo Largo (que pedia condições melhores para a competição) estariam fora. Com eles, o Santíssima Trindade (campeão da Suburbana B) optou por jogar a Copa de Futebol Amador da Capital por ter menos custos. Sendo assim, restam cinco equipes: Iguaçu, Aprovale, Jatobá, Atalanta e União Guaraítuba. O arbitral será nesta quinta-feira na FPF.

About the author

Comments

  1. Essa Taça Paraná está vivendo uma fase de glória – ao contrário. Antes, dezenas de clubes participavam e faziam questão de dizer quem eram os clubes de melhor futebol e desportividade no amador do Estado. Por um lado, FPF não apresenta direito aos clubes o que esse torneio realmente simboliza. Muitos nem funcionam mais. Por outro lado, as gestões anteriores da FPF também deixaram esse legado – inclusive o legado de quem participa da FPF atual. É…

    1. Não, pois o Desportivo Brasil tem ou tinha o aporte da Traffic, que trabalha com atletas prontos ou semiprontos (embora tivesse uma base forte). Pelo que vejo, o Desportivo Paranaense trabalha mais na captação e formação de novos atletas de modo mais local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: