Retroperspectiva (IV) – Futebol Amador (e especialmente a Suburbana)

Na quarta e última parte de nossa Retroperspectiva, falamos de Futebol Amador, o que acompanhamos mais de perto no ano.

 

No ínício, uma Taça e uma Copa

A temporada do futebol amador paranaense começou com a Taça Paraná, o estadual da categoria. Os representantes da Suburbana, Nova Orleans (campeão da Série A de 2014) e Nacional (campeão da Série B de 2014), ficaram na primeira fase, em terceiro lugar em suas chaves. A taça ficou com o Fanático de Campo Largo. Os curitibanos de 2016 na competição serão Santa Quitéria e Combate Barreirinha (falaremos deles depois). Fanático e o vice Bandeirantes desistiram do Sul-Brasileiro, jogado em novembro, aí quem foi disputar e sediar foi o Danúbio, de Guarapuava, o terceiro. O título do Sul-Brasileiro ficou com o Rui Barbosa-SC.

Enquanto da Taça Paraná era jogada, alguns clubes que não teriam calendário no primeiro semestre jogaram a Copa de Futebol Amador da Capital. O título ficou com o Capão Raso, que venceu nos pênaltis o Vila Sandra na decisão.

 

A Suburbana do equilíbrio

 

No fim de junho, a Suburbana começou. Um pouco antes, acompanhamos a preparação do Urano em uma série especial. A equipe da Vila São Pedro passou de fase, mas foi eliminada na 2.ª Fase, ficando com a oitava posição.

Foi uma edição marcado pelo equilíbrio. Em uma das chaves das 2.ª Fase, todos os times podiam ter se classificado e o primeiro lugar da chave ficou com o Santa Quitéria, que entrou em quarto na rodada decisiva. Já é clichê dizer que são coisas do futebol que o time que parecia que ia ficar pelo caminho arrancou para o título. Foi isso que o Santa Quitéria fez ao chegar à decisão e bater o Iguaçu, dono da melhor campanha e que liderava o certame quase de ponta a ponta, na decisão com um 1 a 0 em casa e um 0 a 0 movimentado fora.

Na Série B, o Combate Barreirinha se sagrou campeão ao vencer o Uberlândia na ida por 4 a 0 e empatar por 3 a 3 na volta. Os dois estão promovidos à Série A, tomando o lugar dos rebaixados Bangu e Vila Hauer.

Nos juvenis, o Trieste venceu a Série A ao superar o Novo Mundo e o Caxias venceu a Série B ao superar o São Braz.

Para o próximo ano, uma novidade: o técnico Leandro Chibior, campeão pelo Santa Quitéria, anunciou no último sábado a saída do clube. Interessante ver se o clube manterá-se forte na defesa do título e quem serão os desafiantes. Porém, tem muita água para rolar.

Voltando a 2015, aqui no Futebol Metrópole, cobrimos a competição in loco, ausentando-se de apenas quatro rodadas, duas por compromissos, mas que tinham matérias relacionadas no dia, e duas por problemas de saúde. Contando apenas a categoria adulta, fizemos pelo menos um jogo de cada um dos 12 times da Série A e jogos de outras seis equipes da Série B. Esperamos que tenham curtido.

Bônus: cards dos times que cobrimos pelo menos uma partida no Adulto

Série A

A 01 Santa Quiteria

A 02 Iguaçu

A 03 Vila Fanny

A 04 Novo Mundo

A 05 Trieste

A 06 Renovicente

A 07 Nacional

A 08 Urano

A 09 Operario Pilarzinho

A 10 Nova Orleans

A 11 Bangu

A 12 Vila Hauer

Série B

B 01 Combate Barreirinha

B 02 Uberlândia

B 03 Imperial

B 05 Vasco

B 14 Caxias

E assim terminamos nosso 2015. Estaremos em recesso até o começo de 2016. Talvez daremos um post com aquelas estatísticas de acesso que o WordPress manda todo ano. Sendo assim, Boas Festas e feliz 2016 para todos!

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: