Violência provoca suspensão de jogo decisivo da Suburbana

Estacionamento do Octávio Silvio Nicco virou palco de briga na chegada da torcida do Vila Sandra. Policiamento que poderia ter evitado o confronto havia deixado o local cerca de uma hora antes

O que deveria ser uma tarde de futebol com jogos decisivos acabou em violência e depredação no Estádio Octávio Silvio Nicco, no Mossunguê, na tarde do último sábado (21). O jogo adulto entre Imperial x Vila Sandra e os 23 minutos finais da partida de juvenis entre as equipes foram suspensos devido a um confronto entre torcidas na entrada da praça esportiva no momento que a preliminar chegava à metade de sua fase final. Com isso, a Federação Paranaense de Futebol (FPF) deverá marcar uma nova data, e talvez um novo local, para a conclusão da partida juvenil e para a realização da partida adulta, sendo que o jogo juvenil impacta a continuidade da tabela da competição.

“Infelizmente nos deparamos com isso. Tinha tudo para ser grande jogo, bastantes torcedores e bastantes famílias que saem de casa ver familiares jogando e verem cenas lamentáveis, com pedras e foguetes. É algo que tem de abolir. Não temos condições de continuar juvenil e nem fazer adulto. O próprio policiamento não garantiu a continuidade e nós ficamos de mão atadas quanto a isso”, afirmou o árbitro da partida de fundo, Luiz Alexandre Fernandes, logo após ter recebido informações da Polícia Militar de que não daria condições de segurança para a partida.

“Semana inteira teve ameaça e avisamos polícia. Tinha três carros de polícia no começo do juvenil e avisei que eles não podiam sair, pois a torcida maior é no adulto e eles iriam ainda chegar. Aí eu, burro, estava na portaria e fui no meio tentar separar e tomei pedrada nas costas. A gente pediu para [a PM, que estava com três viaturas estacionadas no começo do jogo] não sair. No celular da minha filha tinha 50 mensagens pedindo ajuda, que poderia dar morte e quebraram carros. Demoraram para chegar e deu no que deu”, lamentou o presidente do Imperial, Jorge Choinski.

PM deixou local antes da confusão e local ficou desprotegido

A Polícia Militar, cujo 12.º Batalhão atende a região, esteve presente no começo da partida de juvenis com três viaturas, que ficaram estacionadas no estádio por alguns minutos. No entanto, mesmo sendo um jogo de risco, todas as três deixaram o local após alguns minutos do jogo de juvenis, diferente por exemplo da partida da semana passada entre Vila Sandra e Palmeirinha, também considerado jogo de risco, embora o Palmeirinha não tenha torcida organizada numerosa. Naquele jogo, as duas viaturas, no caso do 23.º Batalhão, ficaram o tempo todo dentro do estádio, ajudando a evitar alguma confusão, principalmente pela derrota do time da casa. Ambas partidas são fundamentais na briga contra o rebaixamento.

Informações dão conta de que a confusão teria começado semanas antes com um incidente em outro estádio e que seria um briga “terceirizada” envolvendo torcidas de clubes profissionais. Segundo o presidente do Imperial, os envolvidos do lado tricolor não eram membros assíduos da organizada do clube. Mesmo com todo o risco do jogo, a torcida do Vila Sandra, que chegou em bloco, não teve escolta alguma da Polícia Militar até o estádio e nem revista. No meio do grupo de alvinegro havia algumas pessoas fardadas de amarelo com marca da Torcida Taliban, do Santa Quitéria, time não envolvido na partida (em uma das fotos do slideshow ao fim desta reportagem, pode se notar alguns elementos de amarelo no canto direito do estacionamento). Ao chegarem, começou um duelo de sinalizadores atirados em direção à torcida visitante e pedras, paus e lajotas em direção à torcida local que estava na entrada.

Alguns veículos estacionados no local foram danificados. A PM demorou cerca de 20 minutos para chegar e não há informação de que alguém tenha sido detido. Se ela não tivesse abandonado o posto uma hora antes, talvez o confronto pudesse não ter ocorrido ou pelo menos ter sido resolvido mais rapidamente. Lamentavelmente, uma rodada que tinha de tudo para ser eletrizante especialmente para cinco torcidas distintas, acabou sendo manchada pela violência.

Esportivamente, agora uma nova data ficará a cargo da FPF. Com toda rodada realizada, a conta ficou simples tanto para Imperial quanto para Vila Sandra: vencer salva do rebaixamento e rebaixa o rival junto com o Palmeirinha e um empate derruba ambos para a Série B.

Enquanto a bola rolava

João, zagueiro do Imperial, ganha um abraço após segunda cabeçada certeira: Imperial estava vencendo por 2 a 1 e carimbando vaga em sexto no Juvenil

Enquanto a bola rolava, antes da confusão paralisar tudo, Imperial e Vila Sandra faziam uma boa partida pelos juvenis. O placar aos 17 minutos da etapa final, momento da paralisação era de 2 a 1 para o time da casa.

O Vila Sandra começou atacando mais, porém, mais organizado em campo, o Imperial chegou à abertura do placar em jogada ensaiada aos 14 minutos. Um escanteio foi cobrado para trás e o longo cruzamento encontro o zagueiro João, que venceu o duelo pelo alto e mandou para as redes.

Mesmo com um a menos após a expulsão de seu lateral-esquerdo, o Imperial seguiu tendo melhores chances, ainda mais com um adversário precisando desesperadamente da vitória para se classificar.

Na segunda etapa, um escanteio foi cobrado na cabeça de João, que aos 8 minutos comemorou pela segunda vez.

O Vila Sandra correu atrás da recuperação e conseguiu um gol de falta aos 17 minutos. Leandro bateu do lado direito e a bola passou por todo mundo, inclusive pelo goleiro. Neste momento, o confronto começava logo atrás do gol em que a rede acabara de balançar.

Confira imagens em ordem cronológica:

Este slideshow necessita de JavaScript.

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: