Category Archives: Metrópole adentro

Em virada épica, Palmeirinha bate Vila Sandra e respira fora da ZR

Jogadores do Palmeirinha comemoram o gol de Nico, que deu números finais ao embate após segundo tempo alucinante

Após um primeiro tempo sem tantas emoções, o segundo tempo no último sábado (14) no Ozório Claudino de Barros foi completamente alucinante. Sete gols, virada do Palmeirinha sobre o Vila Sandra por 4 a 3 e os dois times começando a rodada decisiva da Série A da Suburbana fora da zona de rebaixamento. Melhor para o Palmeirinha, que saiu da lanterna e só depende dele para se salvar. Salvação que depende também só do Vila Sandra. Para entender o equilíbrio da competição, ambos ainda têm chance de uma classificação para o mata-mata.

“Mais uma vez saímos com resultados adversos. Faz planejamento, faz gol, toma empate, toma virada, faz gol, toma empate. O campeonato é difícil, mas vamos em busca de nosso objetivo que é ficar na Série A”, disse Zé Ricardo, atacante do Vila Sandra, autor de dois gols. “Demos tudo nesse jogo porque é vida ou morte e nosso time é isso, raça e determinação. Agora vamos para outra batalha contra o Trieste, pois precisamos ganhar”, afirmou o atacante Dolinha, do Palmeirinha, também autor de dois gols.

Os dois times têm 8 pontos, o Palmeirinha é o nono com saldo -9 e duas vitórias, o Vila Sandra é o décimo com saldo – 13 e duas vitórias e o Nova Orleans tem os mesmos 8 pontos e apenas uma vitória, estando na zona de rebaixamento, na 11.ª posição. O Imperial é o lanterna com sete pontos. Estes quatro times e o Uberlândia, oitavo com dez pontos, hoje entre os classificados, brigam tanto contra a degola como pela última vaga no mata-mata, o que é o prenúncio de uma última rodada eletrizante.

Na rodada decisiva, próximo sábado (21), a princípio com juvenis às 13h30 e adultos às 15h30, caso a FPF não ajuste já a tabela ao Horário de Verão, Imperial e Vila Sandra fazem confronto direto no Octávio Silvio Nicco. O Vila Sandra se salva com uma vitória simples. Um empate salva o alvinegro se o Nova Orleans não vencer ou o Palmeirinha for derrotado. O Imperial precisa vencer e torcer por um dos seguintes resultados: que Nova Orleans ou Palmeirinha não vençam, ou que o Uberlândia perca sua partida.

O Palmeirinha enfrenta o líder Trieste no José Carlos de Oliveira Sobrinho. Se vencer, alcança a permanência sem depender de outros resultados. Caso empate, terá de torcer por um dos seguintes resultados: empate no confronto entre Imperial e Vila Sandra; uma não vitória do Nova Orleans e qualquer resultado no Mossunguê. Em caso de derrota, o Verdãozinho do Tatuquara terá de torcer por uma derrota do Nova Orleans e para que o Imperial não vença o Vila Sandra.

Outro time que luta pela permanência, o Nova Orleans, recebe o Vila Fanny no José Drulla Sobrinho. Precisa vencer e torcer para que um desses resultados aconteçam: empate ou derrota de Vila Sandra, Palmeirinha ou Uberlândia. Caso empate, terá de torcer por uma derrota do Palmeirinha.

Com menos chances de queda, mas ainda ameaçado, o Uberlândia pega o Operário Pilarzinho no Bôrtolo Gava. O Papagaio se salva com uma vitória sobre a Coruja. Caso empate, precisa que o Vila Sandra não vença o Imperial e que Nova Orleans ou Palmeirinha também não vençam. Caso perca, um empate entre Imperial e Vila Sandra salva a pele do Uberlândia. No entanto, caso haja um vencedor na partida do Mossunguê, o Uber terá de contar que Nova Orleans e Palmeirinha não vençam seus jogos.

O jogo

O primeiro tempo no Corredor foi bastante truncado. O Vila Sandra esteve mais perto do gol, mas pouco finalizou ou, quando finalizou, não o fez da maneira mais correta.

Se o primeiro tempo foi ruim, o segundo tempo veio para redimir o futebol das equipes com um ritmo alucinante e muitas alternativas.

Tudo começou com um pênalti a favor do Vila Sandra. Aos 10 minutos, Zé Ricardo cobrou com categoria e abriu o placar.

O técnico da equipe alvinegra começava a fazer planos para segurar o marcador quando Alex 21 empatou o marcador aos 11 minutos.

Nem deu tempo para respirar, pois Dolinha virou para o Palmeirinha logo aos 12 minutos, botando mais fogo na partida.

O técnico Aroldo José resolveu abrir o time e colocar aos 16 minutos o ponta Leco no lugar do volante Marcos Paulo. A alteração surtiu efeito em quatro minutos. Aos 20 minutos, Leco ganhou na velocidade da defesa e deu um toque de cabeça para deslocar Anderson e empatar o jogo novamente.

O jogo seguiu disputado com os dois times buscando o gol. E foi novamente Dolinha que colocou o Palmeirinha mais uma vez na frente com uma conclusão aos 33 minutos.

Aos 40 minutos, o Vila Sandra conseguiu um pênalti. Mais uma chance convertida pelo centroavante Zé Ricardo. O 3 a 3, a bem da verdade, era um mau resultado para os dois, pior ainda para o Palmeirinha, que ocupava a lanterna naquele momento com seis pontos e não dependeria mais de si mesmo para se salvar.

No entanto, aos 43 minutos, veio um pênalti para o Palmeirinha e a chance de respirar fora da ZR pela primeira vez desde a 2.ª Rodada e de depender de si próprio para se manter na elite. Nico foi para a cobrança e converteu, superando o goleiro Thyago Moraes e garantindo o 4 a 3.

Nos juvenis, Vila Sandra goleia e segue vivo

Vila Sandra teve relativa facilidade para superar o Palmeirinha nos juvenis

Na preliminar de juvenis, o Vila Sandra goleou o Palmeirinha por 7 a 0 e segue vivo na competição. O Alvinegro tem 11 pontos e é o nono, dois pontos atrás do Capão Raso, o oitavo, o que significa ter chances de classificação. O Palmeirinha segue na lanterna sem ponto algum e apenas cumpre tabela.

O jogo começou sob um temporal e teve de ser parado por um minutos aos 2 minutos da etapa inicial devido à queda de granizo. O evento meteorológico durou cerca de um minuto e meio e a partida foi retomada com a chuva diminuindo e o gramado secando aos poucos.

Aos 14 minutos, Jamaica apareceu pela ponta esquerda e cruzou para Leandro bater de primeira e abrir o placar. Aos 32, Juninho chutou de longe e contou com falha do goleiro para ampliar.

Na segunda etapa, com o gramado melhorando,  o Vila Sandra se impôs mais física e tecnicamente. Aos 2 minutos, Irlan viu o goleiro adiantado e bateu por cobertura. Aos 9 minutos, João completou de cabeça para ampliar. Aos 18 minutos, Vinícius marcou de falta. Aos 33 minutos, foi a vez de Patrick mostrar estrela e finalizar bem.

Perto do fim, aos 39 minutos, um lance curioso. O Vila Sandra teve um pênalti a favor. Vinícius bateu por cima, mas o árbitro Marcelo Rodrigues Masena mandou voltar por invasão da área do time do Palmeirinha. O Vila Sandra trocou o batedor e Leandro converteu, fechando o placar em 7 a 0.

Ficha Técnica

Vila Sandra 3 x 4 Palmeirinha

Vila Sandra: Thyago Moraes; Cleiton, Lela, Vinícius e Gian; Fabrício (Cesinha), Guilherme (Clóvis), Marcos Paulo (Leco) e Nenê (Maia); Zé Ricardo e Adriano. Técnico: Aroldo José.

Palmeirinha: Anderson; Mazinho, Thiagão, Alessandro e Polaco (Rafael); Carlão, Alex 21, Maninho (Erick) e Nico; Dolinha e Gean (Marquinhos). Técnico: Wagner Primo.

Arbitragem: Cristiano Antônio Teixeira, Sandra Maria Dawies, Roberto Rivelino dos Santos Jr.

Gols: Zé Ricardo (UVS, aos 10’/2.º, aos 40’/2.º), Alex 21 (PGG, aos 11’/2.º), Dolinha (PGG, aos 12’/2.º, aos 33’/2.º), Leco (UVS, aos 20’/2.º), Nico (aos 43’/2.º).

Cartões Amarelos: Cleiton, Gian, Nenê (UVS); Mazinho, Nico, Marquinhos (PGG).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Terceirona tem pontapé inicial nesta quinta-feira

Acabou o impasse. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) negou, na última semana, a participação do Colorado, suspenso, na Terceira Divisão Paranaense. Com isso, a competição irá finalmente começar com quatro jogos nesta quinta-feira (12).

São nove clubes participantes, que jogam em turno único a primeira fase, classificando os quatro melhores para as Semifinais e depois os vencedores para as finais. A competição vale pelo menos duas vagas na Segundona do ano que vem. O atual campeão, o União Francisco Beltrão, se deu muito bem e conquistou dois acessos seguidos e já estará na elite no ao que vem.

Confira os participantes:

Arapongas

Batel

Cambé

Grecal

Independente São José

Rolândia EC

Sport Campo Mourão

União Nova Fátima

Verê

Lista de campeões:

1991 – Ubiratan

1997 – Prudentópolis EC

1998 – Nacional de Rolândia

1999 – Telêmaco Borba

2000 – Renove

2001 – Águia de Mandaguari

2002 – Dois Vizinhos

2003 – Sport Paraná (Formosa do Oeste)

2008 – Serrano (atual Prudentópolis FC)

2009 – Pato Branco

2010 – Metropolitano (atual Maringá FC)

2011 – Junior Team

2012 – Francisco Beltrão

2013 – FC Cascavel

2014 – Andraus

2015- Cascavel CR

2016 – União Fco. Beltrão

Confira os jogos:

1.ª Fase – 1.ª Rodada

Quinta-feira (12/10)

15h30 – Independente São José x União Nova Fátima @ Pinhão, São José dos Pinhais

15h30 – Verê x Cambé @ Vila do Mar, Verê

15h30 – Batel x Rolândia EC @ Waldomiro Gelinski, Guarapuava

15h30 – Sport Campo Mourão x Arapongas @ Roberto Brzezinski, Campo Mourão

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Novo Mundo vence Nova Orleans, garante classificação e emparelha com líder

Jogadores do Novo Mundo comemoram o gol de Caíque (10): Alvirrubro só está atrás do Vila Fanny no saldo de gols

Em um jogo nervoso e que precisou suportar a pressão do Nova Orleans até o fim, o Novo Mundo saiu com um importante resultado e garantiu com três rodadas de antecipação uma vaga no mata-mata da Suburbana. Na partida deste sábado (7), na Arena Vermelha, um gol chorado de Caíque aos 8 minutos de jogo bastou para o triunfo por 1 a 0. Rogério ainda perdeu um pênalti para o time da casa.

O resultado deixa o Novo Mundo com os mesmos 18 pontos do líder Vila Fanny, mas atrás no saldo de gols, 11 contra 5, e já garantido na próxima fase. O Nova Orleans é o décimo com 7 pontos, ameaçado pela zona de rebaixamento, que tem o arquirrival Imperial logo abaixo com 6 pontos, mas também com esperanças de classificação, pois está distante apenas dois pontos do oitavo colocado, o Uberlândia, o que significa que, nas duas rodadas que restam,  teremos times brigando ao mesmo tempo contra a degola e em busca da(s) última(s) vaga(s) no mata-mata.

“Tivemos  oportunidade, maior volume foi nosso e não tivemos capacidade de marcar. Tivemos posse e não conseguimos definir. Eles conseguiram em uma oportunidade e venceram o jogo”, disse o zagueiro Du do Nova Orleans. “Foi um jogo difícil e fui feliz por fazer gol da vitória. O time todo está de parabéns e vamos trabalhar mais nesta semana. E estamos aí, nosso objetivo é lutar pelo título”, disse o meia Caíque, autor do gol do Novo Mundo.

Os dois times voltam a campo no próximo sábado, dia 14, com juvenis em campo às 13h30 e adultos às 15h30, ambos fora de casa. O Nova Orleans encara o Capão Raso no José Carlos de Oliveira Sobrinho. O Novo Mundo pega o Imperial no Octávio Silvio Nicco.

O jogo

A partida começou movimentada e o Novo Mundo chegou cedo ao gol. Aos 8 minutos, Rodolfo Negueba cabeceou a bola no travessão. A redonda subiu e Caíque empurrou de cabeça para dentro das redes. Foi o necessário para o Novo Mundo ter alguma tranquilidade enquanto que o Nova Orleans tinha dificuldade para sair jogando, tentando ligação direta.

Tentando melhorar qualidade do passe e povoar o ataque, o técnico Rossano, que substitui Alexandre Oliveira, agora diretor, sacou o lateral Andrezinho com meia hora de jogo e colou o atacante Éderson, que vinha no banco. O time do Nova Orleans ganhou fluidez, mas seguiu sofrendo com o nervosismo e a falta de pontaria.

Aos 41 minutos do primeiro tempo, um toque de bola na área virou pênalti para o Novo Mundo. Rogério teve na marca da cal a chance de dar gordura ao time da casa e garantir um segundo tempo com menos sustos. No entanto, ele conseguiu até deslocar o goleiro Matheus, mas a bola foi caprichosamente no poste esquerdo.

Na segunda etapa, o Nova Orleans partiu deliberadamente para cima e parou na falta de pontaria e na boa colocação pelo alto do goleiro André. Por segunda advertência, o lateral Alex do Novo Mundo foi expulso aos 30 minutos.

O Nova Orleans ficou até o minuto final tentando chegar ao gol. Esteve perto com Molão de cabeça, Nathan com os pés e Wescley em cobranças de falta, mas não era o dia do campeão de 2014. Melhor para o Novo Mundo.

Nos juvenis, duas expulsões e nenhum gol

Preliminar foi bastante disputada na Arena Vermelha

Na preliminar juvenil entre Novo Mundo e Nova Orleans, 0 a 0 no placar e 1 a 1 em expulsões. O empate, combinado com os resultados da rodada, fez com que os dois times carimbassem com antecedência o passaporte para o mata-mata. O Novo Mundo é o terceiro com 17 pontos e o Nova Orleans é o quarto com 16.

Durante a maior parte do jogo, o time da casa apostou nas jogadas pela ponta e em tentativa de bolas paradas. Mais forte fisicamente, o Nova Orleans apostou nos laterais e nas esticadas em direção aos atacantes. Apesar do placar zerado, foi um jogo de bom nível técnico para a categoria juvenil e com uma expulsão para cada lado na metade da segunda etapa, ganhou em espaço e imprevisibilidade.

Ficha Técnica:

Novo Mundo 1 x 0 Nova Orleans

Estádio Arena Vermelha, Novo Mundo, Curitiba

Novo Mundo: André; Fabrício, Luis Maciel e Hudson; Gui, Gean (Guiga), Evandro, Caíque e Alex; Rogério (Fernandinho) e Rodolfo Negueba (Wesllen). Técnico: Altevir Sales.

Nova Orleans: Matheus; Andrezinho (Éderson, depois Dênis), Du, Márcio e Robinho (Renan); Gi, Thiago Oliveira, Molão e Ander (Wescley); Nathan e Leandrinho. Técnico: Rossano.

Arbitragem: Marcelo Sales Corrêa, Heitor Alex Eurich e Marco Antônio dos Santos Pepe.

Gol: Caíque (NMU, aos 8’/1.º)

Cartões Amarelos: André, Alex, Hudson, Caíque, Rodolfo Negueba (NMU); Márcio, Gi, Wescley (UNO).

Cartão Vermelho: Alex (NMU, aos 31/’2.º, dupla advertência).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Fortaleza garante primeiro lugar na chave ao vencer e eliminar Urano

Jogadores do Fortaleza comemoram o gol de Michael, o terceiro na vitória sobre o Urano

Em um jogo de tensão e muitas alternativas, o Fortaleza foi mais eficiente e garantiu o primeiro lugar do Grupo A da Série B da Suburbana ao bater o Urano por 3 a 2 em jogo realizado neste sábado (30) no Antonio Monteiro Sobrinho. O time do Gabineto terá pela frente no mata-mata o bom time do Grêmio Ipiranga, quarto colocado do Grupo B, decidindo em casa. A ida será dia 7 às 15h30 no Elba de Pádua Lima. Com a derrota, o Urano, pela primeira vez em sua história, está fora da fase decisiva da Série B, que havia disputado uma única vez e subido, pois ficou em quinto lugar na chave.

Roberto, Giovane e Michael marcaram para o Forta. Flavinho e Marlon fizeram os gols do Azulão. A próxima fase deverá começar no próximo fim de semana.

“Complicado. Time foi aguerrido e lutou até o final. Tivemos de improvisar algumas peças pela expulsão do nosso querido amigo Elízio. Futebol é isso. Agora temos de trabalhar para ano que vem formarmos um time mais forte e ajudar o Urano”, disse Marlon do Urano. “Hoje foi bem o que a gente esperava. Não demos muitas chances para eles, falhamos em alguns deles. Agora não podemos errar, pois a próxima fase é outra e não vale nada o primeiro lugar. Agora queremos passar o mata-mata e subir o Fortaleza que é o mais importante”, disse Michael do Fortaleza.

O jogo

Precisando vencer para não depender de outros resultados (que inclusive não ajudaram, tendo em vista que o Caxias fez 3 a 0 no Bangu), o técnico Serginho Jordão escalou o Urano pensando no campo estreito e na necessidade de vitória com três zagueiros e a dupla do lado esquerdo, Flavinho e Pedrinho explorando as frequentes subidas do lateral Piwi do Fortaleza.

No entanto, o Fortaleza marcou na primeira chance que teve. Aos 14 minutos, após bate e rebate entre as intermediárias, Roberto dominou, driblou pela esquerda e bateu forte de fora da área para abrir o placar. Na comemoração, mostrou a camisa com a foto de um integrante da torcida do Fortaleza morto em um acidente de trânsito na última semana. A equipe da casa usou faixa de luto no uniforme devido ao acontecido.

O gol deu mais tranquilidade ao Fortaleza, que já estava classificado e buscava apenas ratificar a liderança. Fora de campo, as notícias dos resultados da rodada juntavam mais nervosismo ao time do Urano, que tentou diversas vezes especialmente pelo lado esquerdo do campo. Em uma delas, o goleiro Varde fez duas grandes defesas. Na primeira, teve reflexo para defender mesmo após o desvio de cabeça de Lucas. Na segunda, cresceu para cima de Marlon no rebote.

Eis que, após minutos de pressão, o Urano acabou sendo vítima do mais cruel dos clichês do futebol: quem não faz toma. Giovane, aos 45 minutos da etapa inicial concluiu e ampliou para o Fortaleza.

Precisando da virada, o técnico do Urano tratou de sacar um zagueiro e botar o time para a frente, além de buscar mais fluidez no ataque com o veloz Paulinho, ex-Uberlândia (o último jogador a pedir música em nosso site).

O time da Vila São Pedro conseguiu diminuir em um pênalti bastante discutido se foi dentro ou fora da área, pois a linha não estava muito clara. Flavinho bateu bem e colocou fogo no jogo. O Urano passou  ter mais ímpeto. Massa chegou a colocar bola na trave.

Mas o ímpeto todo esfriou aos 24 minutos da etapa final, quando Elízio, que tinha amarelo, acertou um carrinho na intermediária. Segundo amarelo e Urano com dez em campo. O efeito imediato foi Flavinho indo para a zaga e o time, pela primeira vez, perdendo o domínio da faixa esquerda.

Foi por ali que Michael, jogo aos 27 minutos, apareceu e bateu. A bola caprichosamente bateu na trave, na cabeça do goleiro Ricardo e entrou. Terceiro gol do Fortaleza, que garantiu mais tranquilidade à partida.

Nos minutos que restaram, viu-se um Urano partindo com desespero para o ataque tentando diminuir para depois buscar o único resultado que interessava: a vitória. A carga foi suficiente apenas para Marlon, aos 45 minutos, aproveitar chute cruzado pela esquerda após corta-luz de Paulinho, diminuindo o marcador.

Nos juvenis, Urano passeia e é o primeiro do grupo

Na preliminar, inicialmente, um acontecimento um tanto chato. Chegamos ao estádio com o jogo nos primeiros minutos (Gracias, URBS!). Pela primeira vez na competição, a mesma regra do profissional para acesso ao campo foi adotada, deixando-nos fora do campo no primeiro tempo de partida. Nos demais jogos, era comum credenciados acessarem o campo com o jogo em andamento, sem maiores constrangimentos ou impedimentos. Estar 30 minutos antes no campo, motivo alegado pelo representante, pode até estar em regulamentos da entidade, mas não estava listado, inclusive, nas orientações úteis deixadas no site da Federação Paranaense de Futebol, na página de credenciamento.

Sete vezes Urano na preliminar de juvenis

Com a bola rolando, o Urano, já classificado e brigando gol a gol pelo primeiro lugar na chave, conseguiu o que queria: a vitória por 7 a 0 sobre o Fortaleza, já eliminado, garantindo um polpudo saldo de 21 gols a favor.

O bom zagueiro PH abriu o placar aos 4 minutos. Logo depois, o Fortaleza equilibrou a partida, mas perdeu chances de empatar, ao mesmo tempo que o Urano perdeu um chance incrível do outro lado. Com o tempo passando, o time visitante mostrou mais concentração e impôs seu jogo ao ampliar com Natan aos 29 minutos, Matheus Lara aos 30 e André aos 32, numa avalanche de gols.

Na segunda etapa, a chuva apertou, mas o Urano não relaxou tanto, ampliando com Matheus Lara aos 3 minutos, Natan aos 22 e André aos 33, fechando o placar. O Fortaleza teve uma expulsão na etapa final.

Durante a semana a FPF irá anunciar a tabela dos juvenis. o Urano, pelo regulamento deste ano, pega o Santíssima Trindade, quarto da outra chave. Resta saber se as partidas serão isoladas ou se na preliminar de outros jogos da B. A ida será sábado dia 7 às 13h30, na preliminar do jogo adulto entre Santíssima Trindade x Vila Hauer.

Ficha Técnica

Fortaleza 3 x 2 Urano

Estádio Antonio Monteiro Sobrinho, Jardim Gabineto, CIC, Curitiba

Fortaleza: Varde; Piwi, Marcão, William Neguinho e Dudu (Nikimba); Thiago, Michael, Roberto e Giovane; Alisson (Pedro) e Cafu (Andrei). Técnico: Vilmar Assunção.

Urano: Ricardo; Batata, Elízio e Thiago Maciel (Massa); Marlon, Maikon (Jhonathan), Gleisson e Flavinho; Giovani; Lucas (Paulinho) e Pedrinho (Carlinhos). Técnico: Serginho Jordão.

Arbitragem: Thiago Coltre Nogueira, Alex Sandro Euzébio da Silva, Daniel Dantas Canário de Melo.

Gols: Roberto (FOR, aos 14’/1.º), Giovane (FOR, aos 45’/1.º), Flavinho (URA, aos 5’/2.º), Michael (FOR, aos 27/2.º), Marlon (URA, aos 45/2.º).

Cartões Amarelos: Thiago, Cafu (FOR); Batata, Elízio, Flavinho (URA).

Cartão Vermelho: Elízio (URA, aos 24’/2.º, dupla advertência).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Operário Pilarzinho e Imperial empatam em jornada heroica de goleiro

Júlio jogou no sacrifício e defendeu um pênalti aos 47 do segundo tempo garantindo o empate no Bôrtolo Gava

Em um jogo que não foi brilhante tecnicamente, mas cheio de emoções especialmente nos minutos finais, Operário Pilarzinho e Imperial ficaram no 1 a 1. Méritos especialmente do goleiro Júlio, o herói da tarde, com defesas importantes, entre elas um pênalti aos 47 minutos do segundo tempo, com o agravante de atuar o tempo todo no sacrifício por causa de uma lesão no joelho contraída algumas rodadas atrás.

“Fizemos um bom jogo, perdemos algumas chances. Vamos levantar a cabeça que não vamos cair, vamos em busca da salvação. A gente faz sacrifício para fazer o que a gente gosta. Consegui pegar pênalti e vamos tentar recuperar próximo jogo”, disse Júlio, após a partida, enquanto aplicava uma bolsa de gelo no joelho.”Parabéns pro goleiro deles, que pegou muito. Três chances de fazer gol, faltou último passe da entrega. Precisamos trabalhar forte para outro jogo em casa nesta semana contra o Capão Raso para buscarmos os três pontos”, analisou o zagueiro William Maluco do Operário Pilarzinho após o jogo.

O resultado não moveu as equipes na tábua de classificação. O Operário Pilarzinho seguiu em sétimo, agora isolado com oito pontos. O Imperial segue na zona de rebaixamento, em penúltimo, com seis pontos, mas agora só se diferencia do arquirrival Nova Orleans no saldo de gols, com vantagem alviverde de -3 a -5.

 

O jogo

A partida começou com o Operário Pilarzinho ganhando a maioria das bolas no meio-campo. Isso refletiu no primeiro gol da partida, em que a bola recuperada na intermediária foi parar em Rodriguinho, que aos 15 minutos serviu Marcelo, abrindo o marcador.

A resposta do Imperial foi muito rápida. Samuel arrancou pela direita e cruzou rasteiro. London não alcançou, mas Fernandinho empurrou para as redes aos 19 minutos.

O jogo tornou-se equilibrado e com bastante alternância de posse no meio. Adriano Sagui deu trabalho para o goleiro Júlio em duas boas jogadas na etapa inicial, enquanto que Fernandinho era o maior tormento no ataque do Imperial.

A partida manteve-se equilibrada com as alterações até pelo menos metade da etapa final, virando um jogo de chutões. No entanto, Wá colocou a bola no chão aos 38 minutos e fez um carnaval no lado direito. A bola foi cruzada rasteira, Herlon não alcançou e Vinícius chutou para fora com o gol vazio, na chance mais inacreditável do jogo até o momento. Sobrou até para a garrafa d’água que o técnico Peterson Freitas segurava no banco de reservas.

A chance de redenção veio mais tarde. O próprio Vinícius sofreu pênalti de Vermelho nos acréscimos. Herlon colocou-se para bater. O goleiro Júlio, que jogou o jogo inteiro com uma lesão no joelho, inclusive abstendo-se de bater tiros de meta, partiu para a defesa no canto direito. E, de quebra, colocou para escanteio o rebote alcançado por Vinícius. O movimento agravou a lesão do camisa 1, que ficou sem condições de jogo, mas garantiu o ponto fora de casa para sua equipe. Sem mais substituições disponíveis, o zagueiro Leonardo ficou no gol nos três minutos de acréscimo que se seguiram até o apito final.

Nos juvenis, Imperial foi mais eficiente

Atletas do Imperial comemoram o gol de Alan, que deu números finais à partida preliminar

Na preliminar de juvenis, quem levou a melhor foi o Imperial, que bateu o Operário Pilarzinho por 2 a 0. O resultado fez o Imperial subir para a sexta colocação com 9 pontos e três vitórias. O Operário Pilarzinho segue em décimo com 6 pontos.

O time visitante saiu na frente aos 22 minutos da etapa inicial em jogada de escanteio que encontrou o centroavante Eduardo bem colocado no segundo pau. O camisa 9 cabeceou para baixo com consciência e correu para o abraço. Mais decidido em campo, o Imperial deu mais trabalho para o goleiro que o Operário Pilarzinho.

Muito nervoso especialmente antes do último passe, o time do Operário Pilarzinho não aproveitou a posse de bola e acabou por tomar o segundo gol em um contra-ataque fulminante aos 28 minutos da etapa final. Alan arrancou e teve tempo para driblar o goleiro e jogar para o fundo das redes.

Ficha Técnica:

Operário Pilarzinho 1 x 1 Imperial

Estádio Bôrtolo Gava, Pilarzinho, Curitiba

Operário Pilarzinho: Juninho; Guilherme (Wá), William Maluco, Diego e Batista; Joãozinho Madureira, Robson Baroni, Thomas e Roriguinho; Adriano Sagui (Herlon) e Marcelo (Vinícius). Técnico: Peterson Freitas.

Imperial: Júlio; Galo, Leonardo, Biro e Adson; Lelê, Arroz (Nene), Alex Sorocaba  (Douglas) e Fernandinho (Bambu); Samuel e London (Vermelho). Técnico: Pastor Serafim.

Arbitragem: Gustavo Nogas, Weber Felipe Silva e Heitor Alex Eurich.

Gols: Marcelo (OPP, aos 15’/1.º), Fernandinho (IMP, aos 19’/1.º)

Cartões Amarelos: Rodriguinho (OPP), Vermelho (IMP).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Uberlândia e Santa Quitéria empatam em jogo de três expulsões

Jogo no Manoel Gustavo Schier foi extremamente extenuante para as duas equipes, que seguem no G8

Quem foi conferir o jogo dos adultos entre Uberlândia e Santa Quitéria não viu gols, mas viu um jogo que começou nervoso e terminou no limite físico dos atletas. A partida de sábado (16), no Manoel Gustavo Schier,  teve três expulsões, muitos atendimentos médicos, duas bolas na trave e dois goleiros na conta dos lances mais belos do jogo. O placar de 0 a 0 serviu para que o Uberlândia e Santa Quitéria estacionassem nas mesmas posições que começaram a rodada: oitavo e sexto, respectivamente.

“Foi um jogo equilibrado. Eles como favoritos. Todos sabem qualidade deles e as nossas. As expulsões prejudicaram as duas equipes e mesmo com um jogador a mais não conseguimos fazer nossa vantagem”, disse o goleiro Giraia do Uberlândia. “Atrapalhou um pouco nossa equipe. Campo pequeno, mas bom de jogar. Fiz duas bolas na trave que o goleiro iria pegar. A primeira expulsão, acho que o árbitro errou, pois foi mão no peito e simulação. A segunda foi uma discussão boba de lance que tinha parado. Neste calor, com um a mais, ficou difícil correr atrás do resultado”, disse o goleiro Jonas do Uberlândia.

Os dois times voltam a campo no próximo sábado (23), com os juvenis em campo às 13h30 e os adultos às 15h30. O Santa Quitéria recebe o Nova Orleans no Maurício Fruet. O Uberlândia viaja até o Francisco Muraro para enfrentar o Trieste.

O jogo

O primeiro susto do jogo foi no primeiro lance. Em jogada de escanteio, o goleiro Giraia, ao sair do gol, acertou o próprio companheiro Dinda, que precisou receber atendimento nas costas. Apesar do susto, o artilheiro do Uberlândia seguiu em campo.

Os primeiros minutos mostraram um Santa Quitéria mais articulado. Curiosamente, as duas equipe usaram bem os goleiros como último jogador de defesa. Jonas e Giraia são os dois goleiros da Suburbana que melhor utilizam o pé para jogar.

Aos 18 minutos, o primeiro lance de polêmica. Em uma disputa no ataque, o atacante Piter do Santa Quitéria acertou a mão no meito de Kaíke do Uberlândia. O árbitro Cristian Eduardo Gorski da Luz deu vermelho direto para o 9 do time visitante. Mesmo com um a menos, o time do Quitéria manteve um jogo fluido, agora baseado na ação de seus pontas. O Uberlândia apostou principalmente nas tramas entre o voluntarioso Kiki e Dinda.

Aos 31 minutos, em falta de média distância, Jonas acertou o travessão pela primeira vez.

Aos 43 minutos, falta distante um passo da área gerou discussão em que Baloy, do Santa Quitéria, e Luan Helias, do Uberlândia, foram expulsos. No lance seguinte, Jonas acertou mais uma vez o travessão.

Com dez contra nove, o jogo ganhou espaço, mas com a temperatura batendo nos 30 graus, no atípico fim de inverno curitibano, a conta foi chegando aos poucos no físico dos jogadores.

Na segunda etapa, num lance de plasticidade, o goleiro Giraia aplicou uma finta quando pressionado por Juliano, levando a torcida local ao delírio. “O lance do drible é que eu fui por muitos anos jogador de linha e uso isso como recurso”, explicou Giraia.

Apesar de ter um jogador a mais, o Uberlândia penou com o aspecto físico, pois tinha apenas seis jogadores no banco e utilizou três. Para quem viu o jogo, isso acabou equilibrando o número de atletas em campo. Kiki foi substituído sentindo a panturrilha. Quando todas as substituições foram feitas, Dinda teve câimbras, e teve de jogar os últimos minutos no sacrifício, com dificuldades de chutar e arrancar. Pelo lado do Quitéria, as principais chances foram com Jacaré, enquanto que Marlon e Nepo foram os que mais se aproximaram de abrir o placar para o time da casa. Todos sem sucesso.

Nos juvenis, melhor para o Uberlândia

Jogadores do Uberlândia comemoram o gol de Igor, o terceiro da equipe

Nos juvenis, o Uberlândia fez valer o fator casa e venceu o Santa Quitéria por 3 a 2 em duelo bastante equilibrado. O resultado colocou o time da casa na vice-liderança, enquanto que o Quitéria é o quarto colocado.

Erick, pegando rebote de cabeça, abriu o placar para o Uberlândia aos 2 minutos de jogo. Vinícius empatou para o Santa Quitéria aos 8 minutos.

O Uberlândia praticamente matou o jogo em dois minutos. Douglas marcou aos 18 e Igor aos 19 do primeiro tempo.

O Santa Quitéria teve um atleta expulso no começo do segundo tempo, mas mesmo assim não abdicou do jogo, chegando ao segundo gol com Pedrinho aos 28 minutos da etapa final.

Ficha Técnica:

Uberlândia 0 x 0 Santa Quitéria

Estádio Manoel Gustavo Schier, Vila Uberlândia, Novo Mundo, Curitiba

Uberlândia: Giraia; Charles (Baiano), Cabeça, Alex Paiva e Jadson; Nepo, Kaíke (Radamés), Juliano e Luan Helias; Kiki (Marlon) e Dinda. Técnico: Joãozinho Ribeiro.

Santa Quitéria: Jonas; Everton, Gustavo, Baloy e Lima (Gean); Russo, Luan (Jacaré), Massai e Juliano (Gustavinho); Djonatan (Edinaldo Pedra) e Piter. Técnico: Roberto Costa.

Arbitragem: Cristian Eduardo Gorski da Luz, Ivan Carlos Bohn e Marco Antonio dos Santos Pepe.

Cartões Amarelos: Cabeça, Juliano (UBE); Lima, Gean (SQT).

Cartões Vermelhos: Piter (SQT, aos 18/1.º, por acertar adversário no peito), Luan Helias (UBE) e Baloy (SQT) (Ambos aos 43’/1.º, em discussão).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Pendência judicial adia início da Terceirona

A Federação Paranaense de Futebol (FPF) anunciou nesta segunda-feira (11) o adiamento do início da Terceirona Paranaense. O motivo alegado pela entidade é a existência de processos junto ao TJD e ao STJD que pode implicar na saída de times inscritos da competição. A competição iria começar neste domingo (17), mas agora não tem data para o pontapé inicial.

O problema refere-se ao Colorado, equipe que desistiu da competição no ano passado e recebeu punição de não poder se inscrever em competições profissionais nesta temporada. A equipe se inscreveu na Terceirona deste ano, mas a FPF questionou no TJD, obtendo ganho. O mesmo se repetiu no STJD. O processo voltou ao TJD e a entidade preferiu aguardar a definição para saber se a última divisão estadual terá oito ou nove equipes inscritas.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Vasco bate Trindade e entra de vez na briga por vaga

Jogadores do Vasco da Gama comemoram o gol do Tob, abrindo a vitória sobre o Santíssima Trindade

Em jogo isolado pela terceira rodada do Grupo B da Série B da Suburbana, na tarde de quinta-feira (7), no Pedro de Almeida, o Vasco da Gama superou o Santíssima Trindade por 2 a 1 e entrou de vez na briga por uma vaga no mata-mata da competição. Tob e Rafa fizeram os gols do Cruzmaltino do Pilarzinho, enquanto que Marcão fez o gol do time do Cajuru.

O resultado coloca o Vasco na quinta colocação, fora da zona de classificação, mas com os mesmos cinco pontos do Santíssima Trindade, quarto colocado e último que se classificaria. O que diferencia as equipes na tabela é o saldo de gols, com 4 para o Trindade e 0 para o Vasco. O líder é o Grêmio Ipiranga com nove pontos.

“Foi bom jogo, não conseguimos resultado que queríamos. Passamos por um momento difícil, mas somos um grupo unido, praticamente uma família, e daremos a volta por cima”, disse o lateral Folha após a segunda derrota seguida do Trindade. “Hoje era jogo importante, pois senão ficaria difícil. Time deles qualificado e fui feliz de sair do banco e fazer gol e assistência. Agora vamos para cima do Tanguá, outro time forte, e vamos em busca da classificação”, disse o meia Tob do Vasco.

Os dois times voltam a campo no próximo dia 16, um sábado, data que a Suburbana tem sua próxima rodada completa. O Vasco recebe o Tanguá no Erondi Silvério. O Santíssima Trindade encara o Nacional no XV de Agosto. Juvenis entram em campo às 13h30 e os adultos às 15h30.

O jogo

O duelo, que havia sido adiado pela morte do meia Rodolfo, do Santíssima Trindade, foi a única da tarde de feriado. Sob forte calor e muita poeira no gramado, o jogo começou quente e com muito choques. Em um deles, o meia Jé do Santíssima Trindade sofreu um corte atrás da orelha esquerda e passou o restante do jogo usando um curativo na cabeça.

As duas equipes pouco finalizaram na etapa inicial. No caso do Trindade, um problema que se mostrou crônico durante a partida.

Com receio de uma expulsão, o técnico Jurandir Senna sacou o lateral Pixola aos 35 minutos do primeiro tempo e colocou inicialmente o atacante Rafa no meio-campo, descolando o meia Joãozinho para a lateral-direita. No intervalo, o treinador corrigiu o posicionamento de Rafa colocando o meia Tob no lugar de Meira. Foi a chave do jogo, pois, com mais força física em um campo pequeno e seco, o Cruzmaltino passou a chegar com mais facilidade ao ataque.

O primeiro gol da partida saiu aos 11 minutos. Tob bateu falta do lado esquerdo à meia altura no canto direito de Marlon.

O segundo gol saiu aos 16 minutos, com Tob encontrando Rafa e o atacante batendo com força no canto esquerdo. Marlon chegou a tocar na bola antes dela entrar.

A resposta do Santíssima Trindade foi imediata. Aos 17 minutos, Lelo bateu torto de meia distância, mas Nando evitou a saída e cruzou da direita, Tupã escorou no segundo pau e Márcio bateu com força no canto alto de Ade.

Com o jogo aberto, os dois times passaram a se lançar ao ataque. O Vasco levando perigo nos contra-ataques e o Trindade tentando tomar a iniciativa do jogo, mas sem conseguir chutar. No lance mais polêmico do jogo, numa devolução de fair play, o goleiro Ade segurou recuo com a mão. Falta e muita reclamação, com o técnico Jurandir Senna chegando a adentrar o gramado.

Sem a 10

Em homenagem a Rodolfo, o Santíssima Trindade não está usando a camisa 10 em seus jogos da categoria adulta.

Nos juvenis, uma bola bastou para o Vasco

O gol de Nicolas, para o Vasco, decidiu a partida preliminar

Na preliminar, um gol foi o suficiente para dar a vitória ao Vasco sobre o Santíssima Trindade. Nicolas, aos 26 minutos da etapa final, aproveitando erro de saída do time do Trindade, foi o autor do tento em meio a um jogo disputado, mas limpo, sem cartão amarelo algum.

Outros aspectos que chamaram a atenção no jogo foram o calor, com direito a pausa de reidratação nos dois tempos, e os gols perdidos para os dois lados.

O resultado mantém o Santíssima Trindade na vice-liderança com nove pontos e saldo +7. O Vasco da Gama é agora o terceiro com os mesmos nove pontos, mas saldo de +2.

Ficha Técnica

Santíssima Trindade 1 x 2 Vasco da Gama

Estádio Pedro de Almeida, Bairro Alto, Curitiba

Santíssima Trindade: Marlon; Baiano, Anderson, Queen e Folha; Márcio (Wescley), Jé, Nando e Tupã; Giovani (Lelo) e Leandro. Técnico: Oscar Kirsten.

Vasco da Gama: Ade; Pixola (Rafa), Carlinhos, Luizinho e Pará; Marcelinho (Ale), Asiático, Júlio e Joãozinho; Gaúcho (Sabino) e Meira (Tob). Técnico: Jurandir Senna.

Arbitragem: José Ricardo de Souza Costa, Reube Dobrychlop dos Reis e Daniel Olívio Tschöke.

Gols: Tob (VAS, aos 11’/2.º), Rafa (VAS, aos 16’/2.º) e Márcio (STR, aos 17’/2.º).

Cartões Amarelos: Jé, Tupã (STR); Pixola, Júlio, Tob (STR).

Confira imagens das partidas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Trieste goleia Vila Sandra e assume a ponta da Suburbana

Jogadores do Trieste comemoram o segundo gol de Bruno Batata, o quarto da equipe na tarde de sábado

O rival Iguaçu ajudou batendo o Operário Pilarzinho e o Trieste fez sua parte: batendo o Vila Sandra de virada por 4 a 1, a equipe do Francisco Muraro é a nova líder da Suburbana. Bruno Batata foi o destaque da partida, marcando duas vezes. Neto e Marquinhos Cambalhota também marcaram para o time da casa. Nenê abriu o placar para o Vila Sandra.

“Foi um jogo difícil, a gente veio com intuito de marcar mais e tivemos felicidade de fazer 1 a 0 e o Trieste é uma grande equipe e o que prevaleceu foi o físico, com o Trieste aproveitando e virando”, disse Nenê do Vila Sandra. “Assumimos a liderança. Sempre bom está na frente. Foi um jogo que saímos perdendo e tivemos domínio inteiro, diversas oportunidades, mas conseguimos concluir. No outro jogo, o Jociel tinha feito bela reposição e fiz gol e agora de novo”, analisou Bruno Batata.

O resultado colocou o Trieste na liderança com 8 pontos, estando à frente do arquirrival Iguaçu pelo critério de saldo de gols, 7 a 2. O Vila Sandra é agora o décimo colocado com três pontos. No próximo sábado (02/09), o Trieste enfrenta o Operário Pilarzinho no Francisco Muraro. O Vila Sandra também joga em casa, recebendo o Nova Orleans no Ozório Claudino de Barros. Os juvenis entram em campo às 13h30 e os adultos às 15h30.

O jogo

A partida teve um primeiro tempo bastante movimentado com muitas chances perdidas. O Vila Sandra saiu na frente aos 7 minutos. Nenê bateu falta na direita, a bola bateu na barreira e voltou para o 10 alvinegro mandar o rebote na gaveta.

A reação do Trieste foi rápida, pois aos 12 minutos o lateral-direito Neto acertou uma cabeçada no gol de Felipe.

O gol fez o Trieste passar a dominar o meio de campo, com todos os jogadores trabalhando bem a bola e municiando a dupla Bruno Batata e Marquinhos Cambalhota.

A mecânica funcionou na segunda etapa, com Bruno Batata virando o marcados aos 6 minutos.

Aos 14 minutos, Batata costurou a defesa do Vila Sandra e deixou Marquinhos Cambalhota em condições de marcar o terceiro.

Um dos melhores em campo foi o goleiro Felipe do Vila Sandra, que evitou um placar mais elástico. No entanto, Felipe não teve o que fazer perto do apagar das luzes, aos 45 minutos, quando o outro goleiro, Jociel Henrique, fez um lançamento na medida para Bruno Batata concluir com frieza e decretar o placar final da partida.

Nos juvenis, o placar foi o mesmo

Jogadores do Trieste comemoram o gol do Morais, que abriu o placar no Francisco Muraro: liderança também no sub-17

Nos juvenis, a preliminar mostrou o mesmo placar do jogo de fundo: 4 a 1 para o Trieste, embora a história tenha sido um tanto diferente. O Trieste lidera com 12 pontos, 100% de aproveitamento, enquanto que o Vila Sandra é o oitavo com 4 pontos.

O Trieste começou dominando a partida com ótimo toque de bola. O centroavante Morais, ex-Renovicente, abriu o marcador já aos 5 minutos. O segundo gol foi de Aramis, um dos artilheiros da competição aos 12 minutos. O Vila Sandra diminuiu com Luquinhas so 32 minutos.

No segundo tempo, o Trieste parou de jogar e o Vila Sandra passou a perder chances em escala industrial. Mas quando parecia mais perto do empate, o golpe veio com time da casa acordando. Aramis fez o segundo dele aos 29 minutos e Erick saiu do banco para fechar a contagem aos 38 minutos.

Estreia famosa

A rodada marcou uma estreia na tabela dos Juvenis: o asterisco. Por decisão do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD), o Vila Fanny foi punido com a perda de três pontos pela escalação irregular de um atleta na estreia da competição. Com isso, o Alvirrubro da Linha Verde está zerado na pontuação.

Ficha Técnica:

Trieste 4 x 1 Vila Sandra

Estádio Francisco Muraro (Trieste Stadium), Santa Felicidade, Curitiba.

Trieste: Jociel Henrique; Neto, Igor, Jair e Marabá; Bruninho (Bodão), Haroldo,  Edson Grilo (Roberto) e Danilo (Joãozinho); Bruno Batata e Marquinhos Cambalhota (Felipe Caron). Técnico: Ivo Petry.

Vila Sandra: Felipe; Cleiton (Pedro), Lela, Vinícius e Dedé; Clóvis (Tatá), César (Fabrício), Maia (Marcos Paulo) e Nenê; Thiguinho (Leco) e Zé Ricardo (Adriano). Técnico: Haroldo José.

Arbitragem: Cristiano Antônio Teixeira, Ivan Carlos Bohn e Alison Alceu Bernardi Lovato.

Gols: Nenê (UVS, aos 7’/1.º), Neto (TRI, aos 12’/1.º), Bruno Batata (TRI, aos 6’/2.º, aos 45’/2.º), Marquinhos Cambalhota (TRI, aos 14’/2.º).

Cartões Amarelos: Jair (TRI), Dedé (UVS).

Confira imagens da partida:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro

Acidente de trabalho mata meia do Santíssima Trindade

Fora do futebol, Rodolfo, 28 anos, trabalhava com manutenção de elevadores

A Suburbana perdeu um de seus bons jogadores. Rodolfo Leon Régis Romeu Duarte, ou simplesmente Rodolfo, ou Raí, camisa 10 do Santíssima Trindade, morreu na manhã desta sexta-feira (25) aos 28 anos de idade. O jogador de futebol amador trabalhava com manutenção de elevadores e foi vítima de um acidente de trabalho em uma obra no bairro da Água Verde, em Curitiba.

Segundo informações dos portais RIC, Banda B e Rolando a bola, o operário trabalhava no fosso de uma obra comercial quando o elevador cedeu, esmagando-o sem chances de fuga. O jogador deixou esposa grávida e uma filha.

“Muito obrigado. Você foi 10 em tudo. Descanse em Paz. Que Deus conforte o coração da família e amigos. E os proteja. É muito triste sua partida pela forma que aconteceu. Não me conformo”, publicou em seu perfil no Facebook o técnico Oscar Kirsten, do Santíssima Trindade.

A Federação Paranaense de Futebol declarou luto oficial de três dias e um minuto de silêncio será observado em todas as partidas das Séries A e B da Suburbana. A entidade também adiou a partida que seria realizada neste sábado (26) entre o Santíssima Trindade e o Vasco da Gama, no Parque Linear, tanto no juvenil quanto no adulto. Uma nova data será anunciada.

1 Comment

Filed under Futebol Alternativo, Metrópole adentro