Em noite de Monstrinho, Olímpico goleia Diamante e entra no G8 da Série B da Suburbana

No meio do abraço: Jogadores do Olímpico comemoram o quinto gol da equipe, quarto de Monstrinho, que assombrou o Diamante
No meio do abraço: Jogadores do Olímpico comemoram o quinto gol da equipe, quarto de Monstrinho, que assombrou o Diamante

Com uma atuação assombrosa, com o perdão do trocadilho, do atacante Monstrinho, o Olímpico venceu o Diamante por 6 a 1 na noite desta quarta-feira (14) no Manoel Garcia de Andrade e adentrou o G8 da Série B da Suburbana. O atacante fez quatro dos seis gols de sua equipe e deu assistências para os gols de Léo e Eduardinho. Jefferson fez o único gol do Diamante na partida. O Olímpico é o oitavo colocado com oito pontos e -4 gols de saldo. O Diamante segue na lanterna sem nenhum ponto marcado. Esta foi a última das partidas adiadas pela chuva do dia 3 de setembro a ser realizada.

“Foi um bom jogo. Vínhamos fazendo bons jogos e não vinham os resultados. Hoje [quarta], Deus me abençoou e fiz quatro gols e duas assistências. Foi para desencantar de vez e nosso time vai subir na tabela. Sábado pegamos o União Ahu e vamos respeitá-los, mas vamos buscar os três pontos”, afirmou depois da partida o artilheiro Monstrinho. O Olímpico irá defender a oitava posição no sábado contra o União Ahu no Ricardo Halik.

 

“Tá faltando vontade do time. Chegou a se esforçar e perdeu pênalti. Não estamos jogando com a raça devida. Começamos o segundo tempo com alguma determinação e tomamos gol em bola enfiada e o time desanimou. Se começarmos a ter a raça e vontade devidas, o time melhora, mas se continuar neste pique, vai ser o saco de pancadas do campeonato”, disparou Jefferson, autor do gol do Diamante e capitão da equipe. O time volta a campo recebendo o Grêmio Ipiranga no Manecão. Os jogos de sábado (17) têm os juvenis em campo às 13h30 e os adultos às 15h30.

O jogo

Mal a bola rolou, o Olímpico partiu para cima com mais eficiência. No primeiro minuto do jogo, Monstrinho saiu da jaula para abrir o marcador usando de velocidade para superar a defesa e bater na saída de Felipe.

Abusando muito de chutões, o Diamante conseguiu o empate quando se acalmou e usou de jogada de bola parada. Jefferson, aos 14 minutos, marcou escorando cruzamento de cabeça.

No entanto, a resposta visitante foi praticamente imediata. Monstrinho arrancou pela esquerda e serviu Léo no comando de ataque.  O atacante disputou e ganhou a dividida da zaga e rompeu para recolocar o Olímpico na frente aos 16 minutos.

Logo aos 20 minutos, foi a vez de Monstrinho ampliar novamente o marcador, dando a vantagem de 3 a 1 para o Olímpico.

Em uma jogada disputada na área, onde o árbitro marcou toque de mão, o Diamante teve um pênalti a favor e a chance de encostar novamente no placar. Luizinho bateu e Marcos fez a defesa a penalidade aos 44 minutos. No rebote, o goleiro, que inusitadamente usava a camisa 9 (a 1 ficou com o volante Pinga), fez outra grande defesa, garantindo o resultado da primeira etapa.

No segundo tempo, o Diamante entrou mais determinado a atacar e montou uma blitz no campo de ataque, colocando o goleiro Marcos para trabalhar, inclusive em uma bola longa de Vítor Ganzer. Porém, o ânimo esvaziou em um contra-ataque fulminante em que Monstrinho chapelou o goleiro e concluiu ganhando dividida com a zaga.

Com o placar elástico e mais tranquilo, o Olímpico passou a administrar a posse de bola, mas sem tirar o pé na hora de atacar. Isso propiciou que Monstrinho marcasse mais uma vez aos 36 minutos e ainda servisse Eduardinho aos 42 minutos, fechando a goleada em 6 a 1.

Testemunhas

Dava para contar nos dedos as pessoas nas arquibancadas do Manecão, nove, o que pode ser justificado também pela queda abrupta de temperatura no começo da noite, fator que pode ter espantado algum público potencial da partida.

Ficha Técnica:

Diamante 1 x 6 Olímpico

Estádio Manoel Garcia de Andrade, Vila São Pedro, Xaxim, Curitiba

Diamante: Felipe; Costela (Breno), Fernando (Zinho), Renato (Catarina) e Pardal; Jefferson, Taffarel, Ferrol e Vitor Ganzer; Luizinho e Lucas (Mané). Técnico: Diego Água.

Olímpico: Marcos; César, Negrão, Fabrício e Rodrigo Murara (David); Pinga, Dudu (Artur) e Polenta (Dênis); Eduardinho, Léo (Maurício) e Monstrinho (Breno). Técnico: Neri.

Arbitragem: Rodrigo Posser Borges, Leandro Polli Glugoski e Reube Dobrychlop dos Reis.

Gols: Monstrinho (ECO, aos 1/’1.º, aos 20’/1.º, aos 4’/2.º, aos 36’/2.º), Jefferson (DIA, aos 14’/1.º), Léo (ECO, aos 16’/1.º), Eduardinho (ECO, aos 42’/2.º).

Cartões Amarelos: Taffarel (DIA); Fabrício, Léo (ECO).

Confira imagens da partida:

Pedimos desde já desculpas pela qualidade das imagens devido às limitações extremas de nosso equipamento fotográfico, um simples celular, bastante pífio em fotos com pouca luz

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: